AMAMENTAÇÃO EM TANDEM

urso

Amamentação em Tandem

Você já ouviu falar da amamentação em tandem?

Esse é o nome da prática de amamentar duas crianças de idades diferentes ao mesmo tempo! Diferentemente do que muitos acreditam, o leite materno não vira “água” com o passar do tempo e continua sendo uma fonte importante de gorduras, proteínas e antioxidantes, além de melhorar a imunidade e influenciar positivamente no vínculo afetivo.

Quanto à composição do leite materno de mães que amamentam em tandem, as pesquisas demonstram um percentual maior de gordura, comparado àquelas que não amamentam em conjunto, e nenhuma diferença realmente significativa nos macro nutrientes repassados à criança. E, após o desmame do mais velho, a composição do leite materno, em macro nutrientes, muda, levando em consideração as necessidades nutricionais da criança menor. Por isso, não precisa se preocupar de estar prejudicando seu bebê mais novo, caso esteja amamentando em tandem. Seu leite não estará “mais fraco”, ele continuará sendo de qualidade. Mas, é importante lembrar que a prioridade de amamentação deve ser sempre da criança menor, para garantir que suas necessidades nutricionais sejam sempre atendidas.

As pesquisas também demonstram uma imensa satisfação materna de amamentar dois filhos em idades diferentes. Apesar dos obstáculos que podem ser encontrados no caminho, principalmente o cansaço, 90% das mães relatam diversos benefícios da amamentação em tandem, principalmente relacionados à construção de relacionamentos mãe-filho mais fortes, bem como à maior intimidade entre as próprias crianças.
Além disso, 100% das mulheres que participaram de um dos estudos realizados relataram boa saúde dos filhos e que as crianças foram introduzidas a alimentos sólidos de acordo com as recomendações gerais, apesar da manutenção do aleitamento. A recomendação atual da Organização Mundial de Saúde é manter o bebê em aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade e, a partir daí, introduzir outros alimentos, o que impacta positivamente no estado nutricional e na saúde geral da criança.

Apesar de, na maioria das vezes, a amamentação em tandem não ser programada, mesmo com a chegada de uma nova criança, a maioria das mães do estudo (72%) decidiram continuar amamentando por considerarem que o filho mais velho ainda não estava pronto para o desmame. E essa decisão é uma ótima maneira de prolongar a amamentação do mais velho, sem prejudicar o mais novo. Na verdade, trazendo diversos benefícios para a saúde de ambos!

Baseado no artigo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7835967/

 

 

AgendeSuaConsulta

Comentários do Facebook