fbpx

urso

O BLW é melhor em casos de seletividade alimentar, Dra. Kelly?

Olá, pessoal!

Nessas últimas semanas tivemos alguns IGTV’s focados na abordagem BLW para realizar a introdução alimentar e alguns posts sobre a seletividade alimentar, estão lembrados? Pois bem! Alguns pais comentaram nestes vídeos e posts se o BLW é a melhor abordagem para casos de seletividade alimentar. O que você acha?

Primeiro, relembrando, a seletividade alimentar é caracterizada, principalmente, pela recusa alimentar, desinteresse por determinados alimentos e pouco apetite, sintomas que preocupam e muito os pais e responsáveis. Muitos pais enxergam a seletividade alimentar como um desafio e não sabem como lidar ou ajudar a criança para que ela se alimente.

Nesse contexto, muitos se perguntam se tentar a abordagem por BLW pode ser uma solução. Diferente da abordagem tradicional feita com papinhas e alimentos amassados, o BLW permite que a criança veja os diferentes alimentos que está consumindo, com suas diferentes cores e texturas.

Essa liberdade de poder escolher o alimento que será consumido na abordagem BLW pode ajudar na dessensibilização da criança aos alimentos que não são aceitos, por exemplo. A seletividade não segue uma regra e pode estar relacionada a qualquer aspecto do alimento, desde sua cor, seu cheiro, sua textura ou o sabor. Se a criança possui uma aversão alimentar sensorial (AAS), o ideal é evitar oferecer diretamente o alimento na hora da refeição, e sim, aos poucos, tentar mudar a relação da criança com aquele alimento e em como reage a ele.

Uma das recomendações é oferecer mais de um alimento para a criança, por exemplo: feijão ou lentilha, banana ou maçã, arroz ou batata e por aí vai. Dessa forma a criança também cria confiança com o poder de escolha, autonomia e independência.

O mais importante é que os pais junto com o pediatra entendam quais são as dificuldades alimentares da criança para definir a melhor abordagem na hora de introduzir os alimentos. O BLW proporciona tais facilidades, como o poder de escolha da criança e a variedade sensorial e visual, mas nem sempre pode ser a melhor solução em todos os casos! Somente uma avaliação profissional de diversos fatores será capaz de definir o que é melhor em cada situação.

Dúvidas? Deixe nos comentários!

Não esqueça de se inscrever no canal do youtube da Pediatria Descomplicada!

Para ter acesso a conteúdos exclusivos, do Pediatria Descomplicada, junte-se ao grupo do Telegram através do link: https://bit.ly/30iJTkW.

Um bjo,

Dra Kelly Marques Oliveira

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga no Instagram(@pediatriadescomplicada, clique no canto superior direito “ativar notificações de publicação”).

Dra Kelly Marques Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5579-9090/ Whatsapp (11) 93014-0007

2 Comments

  • Fabiola Mendes 07/04/2020 Reply

    Drª, e o risco de engasgo? Esse método de introdução alimentar pode ser iniciado desde o início, com crianças de 6 meses? Quais os cuidados deve ser tomado?

    • Dra. Kelly Marques Oliveira - Pediatra 13/04/2020 Reply

      Olá querida,

      Obrigada pelo carinho e por me acompanhar nas redes sociais.

      A introdução alimentar deve ter inicio a partir dos 6 meses de idade, sendo muito importante o acompanhamento de um profissional qualificado para que seja orientada da melhor forma possível de todos cuidados que deve se ter.

      Caso queira mais informações, deixe o seu telefone que a minha equipe entrará em contato com você.

      Um beijo,
      Dra. Kelly

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja muito bem-vindo!
Quer receber Nossa newsletter coloque seu melhor email

(Não se preocupe, somos contra spam)