urso

Dermatite atópica e verão: Qual a relação?

Vocês se lembram de quando falamos da dermatite atópica nas crianças? Não? Então vou relembrá-los! A dermatite atópica é um dos tipos mais comuns de alergia cutânea chegando a atingir cerca de 20% das crianças ao redor do mundo. Trata-se de uma doença crônica que faz com que a pele fique seca, sensível, avermelhada, descamações e, muitas vezes, com erupções e crostas que causam desconforto e coceira.

O que muitos pais não sabem é que o verão pode influenciar muito e ser um grande vilão para as crianças que sofrem de dermatite atópica. O calor, a umidade, o cloro da piscina, a mudança repentina de temperatura, o suor causado pelo clima e o ar condicionado são fatores que favorecem crises de dermatite pois aumentam o contato com agentes poluentes como ácaros, fungos, bactérias e até mesmo a poeira e ressecam a pele.

Além disso o calor aumenta a proliferação de ácaros, o que contribui muito para a piora do quadro como um todo.

O calor causa um significativo aumento na transpiração que, por sua vez, leva a sensação de coceira, o que agrava os sintomas já característicos da dermatite.

Para evitar crises de dermatite atópica nessa época do ano e amenizar os sintomas da doença, trouxe algumas dicas importantes no post de hoje! Confira:

Muita atenção ao tempo de exposição ao sol: Exposição excessiva ao sol pode causar queimaduras e irritação na pele, além de intensificar os sintomas da dermatite pois a pele das crianças já está sensibilizada. Por isso atenção ao tempo de exposição ao sol! Prefira os horários em que ele não está tão forte e lembre-se de sempre passar protetor solar para que a pele fique protegida. O sol em excesso faz mal, mas um exposição solar consciente e adequada pode inclusive melhorar as lesões da dermatite atópica.

Limpeza do ar condicionado e ventilador: O ar condicionado, como vocês já devem saber, provoca o ressecamento das vias aéreas e da pele quando usado de forma incorreta e sem um umidificador em conjunto, porém seu uso não é 100% proibido! Já fiz um post sobre isso, clique AQUI para conferir! É importante manter o ar condicionado e o ventilador higienizados, evitando a proliferação de ácaros, bactérias e fungos e não deixar os aparelhos ligados por muito tempo.

Hidratação e mais hidratação: A pele ressecada pode causar microfissuras que aumentam a incidência de crises de dermatite pois os agentes microbianos que agravam os sintomas entram em contato com a pele com mais facilidade, podendo levar à infecção secundária por bactérias. Além disso as microfissuras provocam prurido e ardência, o que faz piorar a coceira e causar mais escoriações. Por isso a principal recomendação é a hidratação! Não precisa poupar não, pode hidratar bastante. Os produtos mais recomendados nesse caso são aqueles sem perfume, com emolientes e componentes que restauram a barreira cutânea da pele. Procure por cremes hidratantes específicos para a pele atópica.

Atenção ao cloro das piscinas e a água do mar: No caso dos banhos de piscina, o cloro pode acabar sensibilizando a pele já afetada. Por isso a principal recomendação é tomar banho com água sem cloro após o contato com a água da piscina e hidratar a pele em abundância, imediatamente após o banho. Mas lembre-se de conferir a temperatura da água do chuveiro para que não esteja quente demais, ou a irritação pode piorar.

Já no caso da água do mar, em casos de dermatite leve, a água salgada pode servir como um “anti-inflamatório”, e até ajudar a melhorar a pele. Entretanto, não é recomendada para crianças que possuem a doença de forma grave ou a pele com lesões e fissuras abertas.

Não deixe as roupas do seu filho molhada com água de piscina ou do mar: Ao sair da piscina ou da praia, é muito importante trocar a roupinha molhada ou úmida por uma roupa seca e limpa após um rápido e fresco banho com água morna quase fria e de duração média de 10 minutos. O biquíni ou a sunga molhados pode abafar e friccionar a pele, causando irritação. Após o banho passe o creme imediatamente. O curativo úmido é recomendado em alguns casos, e é diferente de deixar com a roupa molhada de água do mar ou piscina.

Opte por roupinhas mais leves: Justamente por ser uma época de muito calor, o ideal é que os pequenos usem roupas mais frescas e leves de forma que sua pele fique arejada e não transpire tanto. Os tecidos sintéticos devem ser evitados ao máximo durante os dias mais quentes. Roupas com proteção solar também são uma ótima opção em caso de exposição solar.

Procure sempre a orientação de um alergista para melhor cuidado da doença! Dermatite atópica não tem cura, mas tem tratamento! 😉

Quer saber mais sobre dermatite atópica? Deixe sua dúvida nos comentários!

Não esqueça de se inscrever no canal do youtube da Pediatria Descomplicada! 

Para ter acesso a conteúdos exclusivos, do Pediatria Descomplicada, junte-se ao grupo do Telegram através do link: https://bit.ly/30iJTkW.

Um bjo,

Dra Kelly Marques Oliveira

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga no Instagram(@pediatriadescomplicada, clique no canto superior direito “ativar notificações de publicação”).

Dra Kelly Marques Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5579-9090/ Whatsapp (11) 93014-0007

2 Comments

  • Vera sepini 17/01/2020 Reply

    Boa tarde.
    Qual pomada seria Boa para usar n9 caso de dermatite atopica.
    Meu bebê tem 1 ano e 8 meses e sofre no calor.

    • Sac Blog 17/01/2020 Reply

      Olá Vera,

      Muito obrigada pelo envio da pergunta, no entanto, o Conselho Federal de Medicina não permite dar condutas pela internet, pois além de não ser correto, cada paciente é único e é necessário uma avaliação completa para entender o que está acontecendo.

      Caso resida em São Paulo, entre em contato conosco para agendar sua consulta (11) 5579-9090 e pelo whatsapp (11) 93014-0007

      Um beijo,
      Dra Kelly.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.