urso

10 Passos Para Uma Alimentação Saudável

 

 

Para começar uma alimentação saudável na verdade é muito simples, e o Ministério da Saúde resumiu em 10 passos alguns princípios fundamentais. Falaremos sobre eles um a um. Conforme falo sobre cada passo, vamos tirar as dúvidas!

Passo 1: Dar somente leite materno até os 6 meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento.

Esse primeiro passo é essencial. Até os 6 meses de vida a criança não precisa de mais nada! O leite materno é o alimento mais completo que existe, e supre completamente as necessidades do bebê até os 6 meses, além de proteger contra doenças e alergias. Veja o que escrevi sobre a importância do leite materno no post anterior e no link A importância do leite materno.

Lembre-se que a sua alimentação é super importante nesse momento, pois os nutrientes que você come passam para o bebê. Por isso, capriche numa alimentação variada e saudável!

Passo 2: A partir dos 6 meses, introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos de idade ou mais.

Com 6 meses o bebê já está pronto para receber novos alimentos, pois seu intestino está mais maduro e já tem as aquisições motoras e cognitivas para pegar o alimento, mastigar e engolir. O leite materno ainda é o alimento principal da criança, e os outros alimentos são complementares! Por isso o aleitamento materno deve continuar em livre demanda! Ao contrário do que muitos dizem, o leite não vira água, e é essencial para proteção contra infecções.

A criança, nessa fase, na verdade come muito pouco, e é natural haver uma rejeição inicial. O importante é continuar oferecendo à criança, sem forçar.

Passo 3: Após 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas, legumes) três vezes ao dia se a criança receber leite materno, e cinco vezes ao dia se estiver desmamada.

Quais alimentos devo começar? Suco? Fruta? Legumes? Quantas vezes? São tantas dúvidas nesse tópico…

Na verdade não tem muito segredo! Pode-se começar com as frutas ou legumes, não existe uma recomendação de que algum precisa ser primeiro do que o outro. Os alimentos devem ser oferecidos pela primeira vez separadamente, simplesmente pelo fato de que se houver alguma reação (onde as mais graves são imediatas, até no máximo 2 horas), saberemos qual alimento foi. Uma vez oferecido aquele alimento, pode-se misturar com outros. Não é necessário manter uma monotonia do alimento (mesmo alimento a semana toda), se a criança aceitar bem, pode-se passar ao próximo.

A criança amamentada não precisa de tantas refeições, uma vez que o leite materno supre muitas de suas necessidades, e pode fazer menos refeições ao dia. Também não há necessidade de leite e derivados se o aleitamento materno está em livre demanda. Bebês em uso de fórmula infantil não necessitam de outras fontes de leite antes de um ano de idade. O leite e seus derivados podem ser introduzidos a partir de um ano de idade, mas sempre consulte o seu pediatra.

Passo 4: A alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança.

Sei que tem algumas mães que precisam de horários e rotinas, mas nem sempre seu filho estará com fome na hora que você quer. Claro que pode seguir uma rotina, até mesmo para facilitar a dinâmica da casa, mas não precisa ser rígida ok? Sem neura! Você pode aproveitar os horários das refeições da casa e oferecer à criança a refeição no mesmo horário.

Passo 5: A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; deve-se começar com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até se chegar à alimentação da família.

A consistência é próxima de purê, e deve ser amassada com o garfo. Atenção: Não é para bater nada no liquidificador, mixer, ou passar na peneira… sei que vocês já ouviram muitas dessas recomendações por aí, mas esqueçam! Isso faz com que a comida vire uma (desculpe a palavra) “gororoba” com a mesma consistência e gosto, e a criança não desenvolva o paladar! É o primeiro passo para fazer o seu filho rejeitar o alimento. Além disso, perde-se fibras e muitas outras coisas nesse processo. Separem o alimento, deixem ele ver as cores e consistências diferentes.

Sucos devem ser evitados pelo mesmo motivo do mixer e peneira, máximo 100ml, preferir a fruta in natura.

E não esqueçam que a consistência deve ser aumentada, até que comece a dar pedaços, e até que chegue a consistência da família. Isso significa que entre 8 e 9 meses a criança já come pedaços, e com 1 ano de vida a criança come a comida da família!

Existe um método chamado baby led weaning, que é um método de introdução alimentar que a criança inicia com os alimentos inteiros e em pedaços, mas isso é assunto pra outro post… veja mais sobre ele nos links: BLW – introdução alimentar guiada pelo bebê e BLW – guia rápido.

Passo 6: Oferecer à criança diferentes alimentos ao longo do dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.

Lembre-se de oferecer um alimento de cada grupo: uma proteína (carne, frango, peixe ou ovo), cereais ou tubérculos (arroz, mandioca, batata, batata doce), leguminosas (feijão, lentinha, ervilha), legumes (abobrinha, cenoura, quiabo), verduras e frutas.

Passo 7: Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.

Isso é mandatório! Lembre-se que começa pelo exemplo. Precisa ter em casa e os pais comerem para a criança primeiro ter a curiosidade, conhecer e também apreciar!

Passo 8: Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos, guloseimas, nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.

Espero que isso já esteja bem certo para vocês. Só estou relembrando: Não há necessidade de acrescentar sal. Não há necessidade de acrescentar açúcar. Evite alimentos industrializados ao máximo. A introdução alimentar é a construção do paladar da criança, por isso, estimule o consumo de alimentos saudáveis e hábitos saudáveis.

Passo 9: Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequados.

Preferir alimentos frescos e orgânicos, sempre higienizá-los adequadamente.

Passo 10: Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos e respeitando a sua aceitação.

Respeite a criança quando estiver doente. Seu apetite estará diminuído, e provavelmente comerá muito pouco. Às vezes, só vai aceitar mesmo o leite materno. Ajude na sua recuperação e tenha paciência. O apetite logo volta.

Espero que tenham gostado das dicas!

Ainda tem muitas dúvidas no assunto, eu imagino, por isso, deixem nos comentários!

.

Um bjo,

Dra Kelly Marques Oliveira

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga no Instagram(@pediatriadescomplicada, clique no canto superior direito “ativar notificações de publicação”).

Dra Kelly Marques Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5579-9090/ Whatsapp (11) 93014-0007

 

2 Comments

  • Iandra 12/09/2019 Reply

    Meu filhote
    4 meses e 15 dias, tive que começar a instrução alimentar porque volto a trabalhar quando ele completa 5 meses. Tudo foi feito com orientação da pediatra. Mas ele continua no LM em momentos que ele queira. A minha dúvida é, sinto por ele se muito pequeno não quer comer comida amassada ele engasga. Quando dou batida porque come tudo.
    Tem alguma forma de amassar todos os alimentos para ficar de forma batida, mesmo cozinhado não consigo chegar nesta consistência de amassar e dar.

    • Sac Blog 16/09/2019 Reply

      Olá mãe,

      Muito obrigada por me acompanhar e interagir nas redes sociais.
      O Conselho Federal de Medicina não me permite dar condutas pela internet, pois além de não ser correto, cada paciente é único e é necessário uma avaliação completa para entender o que está acontecendo. Sugiro que passe em uma consulta médica para avaliar esta questão. Caso resida em São Paulo, entre em contato conosco para agendar sua consulta:

      (11) 5579-9090 /(11) 93014-0007
      Espero pelo seu contato!
      Um bjo, Dra Kelly.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faixa