urso

A importância do brincar!

Brincar é algo inerente à criança. É  durante o brincar que a criança aprende e se desenvolve. A criança aprende noções de tempo e espaço, matemática, autocuidado e cuidado do outros, estimula a memória, desenvolve a imaginação e outras habilidades que somente nesse momento é possível. O brincar é uma das atividades mais importantes para a criança, e precisamos estimular o brincar livre!

Você sabe para que serve as brincadeiras, brinquedos e os horários de lazer dos bebês e das crianças? Alguns brinquedos e brincadeiras ajudam os pequenos a se desenvolverem e a crescerem, mas elas devem respeitar a idade de cada criança e sua faixa de desenvolvimento, para que essa etapa seja realizada com sucesso. Por isso, é importante sugerir alguns estímulos e brincadeiras para cada faixa etária de 1 mês a 2 anos de idade.

Começando a brincar…

Até os primeiros seis meses de vida, a maioria das brincadeiras estão ligadas a estímulos visuais, feitos por outras pessoas, como balançar a cabeça e fazer caretas, estímulos táteis, tocando a criança, além de fazer sons com a boca e com as mãos, por exemplo. É importante frisar que nesta idade os brinquedos precisam ser grandes, já que criança leva tudo à boca, macios, laváveis e coloridos, para estimular o desenvolvimento do bebê.

As atividades sugeridas para os bebês com até seis meses são baseadas no desenvolvimento psicomotor normal, como: colocar objetos pequenos, macios e coloridos nas mãos da criança, andar devagar ou movimentar brinquedos de um lado para o outro, colocar o bebê de bruços, apoiando suas mãos nos pés dele para dar pequenos impulsos e ele ir se arrastando, juntar as mãos do bebê como se fossem bater palminhas, falar sempre com ele, levá-lo para passear ou tomar sol quando o tempo estiver bom, carregar o bebê nos seus braços, segurando-o para a frente, olhar seu bebê nos olhos, falar com ele, escutar seus sons, dentre outros.

Vale ressaltar que cada criança tem seu próprio ritmo de amadurecimento, por isso é normal que ela esteja um pouco adiantada ou atrasada em relação a alguns desenvolvimentos, e isso não significa que ela esteja com alguma doença ou distúrbio, fique tranquila!

Dos 4 a 6 meses de idade…

Dos quatro aos seis meses, o bebê já está começando a conhecer você e está pronto para outras atividades, por isso, tente criar uma rotina com atividades de seu bebê. É interessante que o banho, as refeições e o passeio aconteçam de preferência nos mesmos horários, já que o bebê pode estranhar novidades e essa rotina irá ajudá-lo a aprender e a se sentir mais seguro.

Algumas brincadeiras para esta idade, são: serra-serra, segurar o chocalho com a mãe do bebê para balançar e reproduzir barulho, mostrar um brinquedo e depois escondê-lo, para observar se o bebê procura, esconder-se atrás da pessoa que o segura no colo e chamar o bebê estimulando-o a procurar você, colocar o bebê sentado, cercado de almofadas, segurar o bebê pelo tronco, logo abaixo dos braços colocá-lo de pé por curtos períodos, começar a contar ao bebê o que você está fazendo, colocá-lo sentado com leve apoio, colocar brinquedos longe do bebê, para buscá-los arrastando-se, bater palmas com o bebê, fazer o bebê estender os braços para atirar-se no colo dos adultos, dentre outros.

Lembre-se que a criança é nosso espelho, ou nossa sombra, como já dizia Laura Gutman, e precisamos estar emocionalmente bem para lidar com eles. Nesse momento é importante também cuidarmos de nós mesmas, para cuidar deles. Bebês são sensíveis e precisam se sentir seguros, também durante o momento de brincar isso é importante. Tente passar essa segurança para eles.

Dos 7 aos 9 meses de idade…

Dos 7 aos 9 meses, a criança procura mais liberdade e consegue se deslocar de um lugar para o outro. Começa a querer sair do colo e explorar o mundo! (Para desespero dos pais!)

Deixe a criança perto de você, mas num lugar seguro. É interessante usar tapetinhos de atividade em que a criança possa ficar, e procure tornar a casa um ambiente mais seguro para ela. Converse com ela para que ela perceba sua presença, pois nessa fase também ocorre a angústia de separação. Entre as atividades para estas idades, estão: dar uma caixa de papelão para o bebê brincar de entrar e sair, sentar dentro da caixa, jogar brinquedos para dentro e para fora, fazer caretas para o bebê tentar imitar, dar dois brinquedos e ensiná-lo a bater um no outro, colocar o bebê sentado para brincar. Colocar algum obstáculo na frente do brinquedo, chamá-lo pelo nome, beijar o bebê e oferecer o seu rosto para ele beijar também, pendurar algum brinquedo com a cordinha (carrinho) para ele puxar e levantar pela cordinha, esconder um brinquedo pequeno em sua mão para ele procurar, rolar a bola na direção do bebê e pedir para ele ir buscar, dentre outros.

Aos 10 e 11 meses…

Com 10 meses, o bebê já pode engatinhar pela casa toda e é uma ótima oportunidade para que você peça para ele apontar um objeto. Vale deixá-lo entrar embaixo da mesa para conhecer os espaços e a se olhar no espelho, por exemplo.

Com 11 meses, coloque o bebê perto de móveis, para que ela se apoie e ande em volta. Quando o bebê estiver sentado no chão, jogue uma bola de borracha ou plástico com ele. Deixar o bebê encher e tirar brinquedos de uma caixa, mostrando quando está cheio e quando está vazio.

12 meses: hora de estimular a andar!

Já com 12 meses é hora de facilitar o andar, segurando o bebê pelas mãos.  Estimule o bebê a tirar os seus próprios sapatos, mostre livros e revistas para que o bebê aponte, por exemplo, partes do corpo e objetos conhecidos. Mas tome cuidado para não forçar a criança a obedecer. As atividades devem ser realizadas de forma relaxada e agradável. Sorria e mostre alegria quando ele conseguir fazer o que foi solicitado, mas caso seu filho não consiga realizar a brincadeira, não desanime e repita-a em outra ocasião, quando ambos estiverem dispostos. Além disso, evite fazer brincadeiras com o bebê momentos antes dos horários de sono, pois ele pode ficar muito agitado (e empolgado) e não conseguir dormir.

A partir dos 13 meses, a criança já apresenta maior coordenação motora e consegue encaixar peças maiores, por isso, dê brinquedos para ela pegar, jogar e empurrar. Brinque de construir pilhas e torres, dê giz de cera e papel para a criança rabiscar. Na hora da refeição, deixe a criança pegar pequenos alimentos com os dedos. Permita que ela tente comer sozinha com a colher e tomar sucos e leite em caneca plástica, segurando-a com as próprias mãos.

Deixe a criança andar descalça na areia ou na grama, em pé, jogue bolas com as mãos,  e incentive a criança a tirar as roupas sozinha. Aproveite para perguntar as partes do corpo.

É importante ressaltar que até os dois anos de idade os brinquedos não contenham peças pequenas, cortantes ou perfurantes.

A maioria dos pais criticam as más atitudes e a criança começa a repetí-las para chamar atenção, mas o mais importante é fazer um reforço positivo para ele quando apresentar um bom comportamento, pois assim você estará valorizando essas atitudes e incentivando-o a repeti-las.

Espero que tenham gostado das dicas! Existem inúmeras formas de brincar com seu filho, e à medida que percebemos suas habilidades e capacidades, podemos ampliar a nossa visão e criar inúmeras formas de brincar com eles!

Deixe sua dica ou sugestão nos comentários abaixo!

Com carinho,

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu e-mail? É só se cadastrar! Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram@pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faixa