urso

Meu bebê está agitado, briga com o peito! Há algo errado?

 bebes agitados, fussy, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira, amamentação, bebês agitado para mamar

Qual é a agitação normal do bebê? 

Todos os bebês tem momentos, que podem durar dias, em que ficam mais agitados, nada acalma, querem mamar o tempo todo e só querem colo. Isso é normal para a maioria dos bebês, que passam por saltos de crescimento, cólica do bebê, dentes nascendo e mesmo momentos em que exigem de nós maior atenção. Saber diferenciar isso de algo patológico é muitas vezes desafiador.

Mesmo que o bebê esteja em aleitamento materno exclusivo ou fórmula, durante os primeiros meses, todos os bebês apresentam cólica, que geralmente ocorre no fim da tarde ou começo da noite. Alguns bebês tem esse horário tão certo, que parece contado no relógio! Outros são bem imprevisíveis…O período de agitação dos bebês usualmente começa a partir da segunda ou terceira semana de vida, tem o seu pico máximo com 6 semanas e usualmente melhora após os 3 meses de vida, com duração média de 2 a 4h por dia.

Pra distinguir entre o que é normal e o que parece ser um problema muitas vezes não é fácil, mesmo para o pediatra. Algumas coisas falam a favor de uma agitação “normal”:

  1. O bebê está crescendo e se desenvolvendo bem.
  2. O ganho de peso é adequado e dentro do esperado. Existem bebês magrinhos e mais gordinhos gente, não se trata de comparar um bebê com outro, mas o seu bebê com ele mesmo! Ele segue a curva dele? Então ótimo!
  3. O bebê está tranquilo e feliz no restante do dia, dorme tranquilo. Os períodos de agitação ocorrem em horarios determinados do dia e não duram o dia todo.
  4. O bebê está passando por algum salto de crescimento ou desenvolvimento? Toda vez que o bebê adquire uma nova habilidade ou cresce muito rápido ele exigirá mais de você. E isso se reflete principalmente no apetite e no sono.

Veja aqui os posts sobre Cólica do bebê:

Se você acha que a agitação está fora do normal, ou algo está errado, converse sempre com o seu pediatra.

O que faz com que o bebê fique agitado e “brigue” com o peito? 

Uma causa comum de agitação (fussy), sintomas de cólica é o desbalanço entre leite anterior e leite posterior. Isso pode ser causado por uma pega subótima e mamadas ineficientes ou “inacabadas” ou muito curtas, ou um reflexo de ejeção do leite exacerbado. Outras causas de agitação nos bebês são assadura no bumbum, candidíase (causada pela presença de fungo), alergia ou intolerância alimentar, confusão de bicos, diminuição da produção de leite, entre outras.

Lembre-se: bebês são EXTREMAMENTE sensíveis ao meio que os cerca e o ambiente em que vide pode afetar (e muito) o seu humor. Isso inclui: supercansaço, excesso de estímulos, solidão, desconforto e a simples necessidade de atenção e carinho.

Por isso um ambiente agitado, muito estresse e ansiedade, conflitos, brigas, ou mesmo muitas visitas podem atrapalhar os bebês que precisam de um tempo ainda para se adaptar a essa nova realidade chamada mundo real.

Bebês também costuma agitar MUITOOOO quando estão passando por algum salto de crescimento. Muitos bebês nessa fase voltam a acordar mais a noite para mamar, fica mais agitados, exigentes e mamam vorazmente! Calma, isso usualmente dura alguns dias e após esse período você consegue gozar de um período de calmaria e usufruir a nova aquisição do seu bebê. Muitas mães deixam de observar seu bebê, pois se concentram muito na cólica, na agitação, e quando isso vai acabar, e depois nem percebem  ( ou fazem a correlação) do que o seu bebê acaba de conquistar! Não perca o momento!

Medidas de conforto para bebês agitados (fussy) 

Necessidades básicas

Necessidades 

Básicas 

  • Amamente
  • Coloque o bebê para arrotar
  • Troque a fralda
  • Tire toda a roupa do bebê para checar se não há algo o incomodando
Toque reconfortante 
  • Segure o bebê
  • Carregue o bebê no sling, wrapsling ou outro carregador de bebê adequado para idade
  • Faça uma massagem no bebê
  • Carregue o bebê na posição de “alívio para cólica”( segure o bebê no seu antebraço, barriga para baixo, com a sua mão apoiando o peito do bebê)
  • Segure o bebê apoiado no seu peito, com as costas apoiadas e gentilmente traga a sua perna próxima do rosto do bebê, como formando uma bolinha, alongando as costas. Faça um movimento de aproximar e afastar as pernas
  • Deite o bebê de barriga para baixo numa superfície macia e dê tapinhas gentis e ritmados
Redução de estímulos
  • Balance o bebê gentilmente
  • Diminua a luz ambiente e o barulho
Sons reconfortantes
  • Coloque uma música (tente diferentes estilos de música e vozes, veja qual seu bebê prefere)
  • Cante para seu bebê
  • Ligue algum barulho branco – “white noise” (ventilador, secador de cabelo, máquina de lavar…)
Movimento com ritmo 
  • Amamente o bebê num balanço leve (enquanto anda ou balança)
  • Dê um banho no bebê
  • Segure o bebê e balançe gentilmente, para frente e para trás, ou dance com ele
  • Coloque o bebê no sling ou num carregador e caminhe com o seu bebê pela casa
  • Coloque o seu bebê num balanço, se já tiver idade para tal
  • Leve-o para fora para ver o movimento
  • Dê uma volta com o seu bebê de carrinho
  • Dê uma volta com o seu bebê de carro

Uma das coisas curiosas sobre os bebês nos momentos de agitação e fussyness é que todas as estratégias usadas pelos pais para acalmar o bebê podem não funcionar, ou apenas funcionar por um curto período de tempo, e então a estratégia precisa ser mudada.

Se você usa alguma estratégia que parece funcionar, como amamentar ou balançar gentilmente o bebê, use!

Meu bebê não pode ficar mimado com isso?  

Bebês não fazem “birra“, nem choram incessantemente se não tem alguma necessidade! Ele não está fazendo isso para te provocar ou testar seus limites. Bebês choram ou ficar irritados por algum motivo. Pode ser dor, fome, desconforto ou mesmo a necessidade de estar perto, de sentir o calor humano. Estudos mostram que muito pelo contrário, bebês que têm suas necessidades atendidas rapidamente tendem a chorar menos, e os pais aprendem mais rapidamente a entender as pistas que o seu bebê dá, e entender suas necessidades. Muitas vezes o bebê precisa somente do contato pele a pele, do calor e cheiro da mãe e do pai.

A necessidade da presença da sua mãe para o bebê é intensa, tão intensa como sua necessidade por alimento. É como se o bebê entendesse a mãe como uma extensão do seu próprio corpo. Não se trata de manipulação ou algo que precisa ser consertado com disciplina, ou “acostumar mal”.

O que realmente ajuda

Cuidar de um bebê pode ser bem cansativo! De a você mesmo e ao seu bebê um tempo para se conhecerem. Limitem as visitas, cerque-se de pessoas que te ajudem em outras áreas, como o próprio trabalho de casa, cozinhar, limpar a casa, pagar contas… O começo parece muitas vezes confuso e insano, com noites em claro, choros na madrugada, dificuldades na amamentação…respire fundo! A boa notícia é que você não está sozinha! Procure ajuda, existem pessoas preparadas para ajudá-la nesse momento tão crucial de vínculo. Saiba que também tem muitas outras mamães passando pela mesma situação, ao redor do mundo!

Como tem sido por aí? Compartilhe sua história!

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

11 Comments

Deixe uma resposta

Faixa