urso

Vacina da gripe: saiba as diferenças entre público e particular

vacina gripe, influenza, vacina gripe a, vacinação, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada

Devido a “antecipação” do próprio vírus esse ano, o Ministério da Saúde divulgou que a campanha de vacinação nacional contra vacina da Gripe será antecipada esse ano, com início no dia 30 de abril, até o dia 20 de maio.

No Estado de São Paulo, a campanha foi antecipada ainda mais. Hoje, dia 4 de abril, começa o início da campanha, com vacinação dos profissionais da saúde da rede pública e privada da capital e grande São Paulo. Dia 11 de abril será ampliada a cobertura para crianças entre 6 meses a 5 anos de idade, gestantes e idosos, e no dia 30 de abril, a campanha chega então aos demais municípios do Estado, além de doentes crônicos, puérperas, indígenas, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Normalmente os surtos de H1N1 ocorrem a partir de junho, com a chegada do inverno, porém com o relato de casos graves e mortes pela doença no Estado de São Paulo, foi antecipada a campanha.

É importante lembrar que grávidas,  mães lactantes (que amamentam ) e crianças acima de 6 meses podem, e devem tomar! Isso garante o que chamamos de proteção cruzada: os pais e contactantes não ficam doentes, e portanto, protege o bebê da doença.  Nas gestantes, as imunoglobulinas produzidas também passarão para o bebê ao final da gravidez.

Também  é importante que pessoas que convivem com crianças, como professores de escolinha e os profissionais da saúde se vacinem! Pessoas com maior risco, como idosos e pessoas com o seus sistema imunológico comprometido, seja por imunodeficiência primária ou adquirida, ou doenças crônicas, bem como pessoas que convivem com elas (cuidadores por exemplo), devem tomar a vacina!  

Mas, fica a dúvida: que vacina dar? Qual a diferença do público pro particular? Veja no post de hoje!

Diferenças SUS e particular 

SUS (rede pública): Fornece a vacina trivalente, que protege contra três tipos diferentes de vírus: o A (H1N1), o A (H3N2) e uma cepa do vírus B/Brisbane (linhagem Victoria).

Particular: Oferecem a vacina trivalente também aplicada no SUS, e a vacina tetravalente, que inclui a proteção contra mais um vírus, o vírus B/Phuket (linhagem Yamagata)

A ampliação do espectro ocorreu devido a circulação de duas linhagens de vírus influenza B (Victoria e Yamagata) num mesmo ano, a partir do ano 2000 em todo o mundo. Na metade das vezes a linhagem B que está presente na vacina não concide com o vírus circulante na temporada, o que justifica ter os dois tipos na vacina.

A partir de que idade posso/ devo dar a vacina? 

Trivalente: pode ser dada a partir dos 6 meses de idade. Sem diferenças no público e particular.

Tetravalente: A tetravalente é oferecida nas clínicas particulares. Existem 2 laboratórios que fabricam a vacina. Sanofi Pasteur: pode ser aplicada a partir dos 6 meses de idade (não chegou na maioria dos locais, previsão de chegada em maio)

GSK: indicada para crianças e adultos, a partir dos 3 anos.

Que pessoas devem tomar a vacina? 

Vacina Trivalente: a vacina será fornecida GRATUITAMENTE para os seguintes grupos: crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com mais de 60 anos, profissionais da área saúde, pessoas com doenças crônicas sob recomendação médica (pessoas com problemas respiratórios, cardíacos, com imunodeficência primária ou secundária, entre outros). Esses grupos são os chamados grupos de RISCO, pois tem maior chance de complicação da doença.

Vacina tetravalente: disponível nas clínicas particulares e com as mesmas indicações da vacina trivalente. Como a vacina é paga, qualquer pessoa que deseja tomar, mesmo não incluída no grupo “de risco”, poderá tomar.

A vacina tetravalente pode proteger cerca de 25% mais do que a trivalente, pois o espectro de imunização é maior (tem uma cepa a mais). O mais importante, entretanto, é que a população não deixe de se vacinar! 

Esquema de doses da vacina

  • Crianças de 6 a 3 anos incompletos: 2 doses de 0,25ml, com intervalo de 1 mês entre cada dose*
  • Crianças de 3 a 8 anos: 2 doses de 0,5ml, com 1 mês de intervalo*
  • Adultos e crianças a partir de 9 anos: 1 dose de 0,5ml.

*Para crianças já vacinadas anteriormente, recomenda-se a administração de uma única dose.

Contra indicações da vacina

A vacina da gripe é segura para a população. Ela não deve ser aplicada em pessoas com reação de anafilaxia documentada à vacinação prévia pela mesma vacina, ou seja, pessoas que já tiveram anafilaxia por vacina da gripe.Pessoas com alergia documentada a timerosal devem consultar seu médico antes de realizar a vacina. Pacientes com alergia a ovo devem conversar com seu médico antes de realizar a vacina. Veja o post sobre alergia a ovo e vacina da gripe.

Espero que tenham gostado das informações sobre a vacina, e tenha esclarecido bastante a respeito!

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Referências bibliográficas

Protocolo de Tratamento de Influenza dez 2015 – Ministério da Saúde

Comentários do Facebook