urso

Carta às mães que não conseguiram amamentar…ou ainda lutam

amamentação foto 11
O desabafo da Fernanda Gentil no Instagram me comoveu muito. Pensei o quão frágil nós somos. Pensei o quanto as mães sofrem caladas, vendo o seu leite secar, chorando com dores excruciantes ao amamentar, ou mesmo não sabendo o que fazer, pois o bebê está chorando sem parar e ela acha que está passando fome (o que de fato pode ser, se o bebê não está mamando bem). Pensei no quanto nos profissionais da saúde falham ao dar suporte para essas mães, que muitas vezes gritam por socorro.

Onde nós erramos? Não sei. Ou melhor, acho que sei sim. Falta amor, falta compaixão.

Por isso resolvi escrever essa carta. Considero um desabafo também. Gostaria de poder ajudar mais. Gostaria de não ser uma só. Talvez se conseguirmos nos unir, poderemos ser mais, poderemos ser uma voz e uma resposta.

Querida Fernanda
Essa carta é para você e todas as mamães que tiveram dificuldade em amamentar e por algum motivo, não conseguiram.
Como você mesmo escreveu o nascimento do bebê é algo mágico, e se tornar mãe faz parte de todo um processo em que cresce um amor que não cabe no peito.
Dificilmente alguma mãe não quer ou não pode amamentar, por alguma razão médica, como doença ou algum tratamento que não é possível a amamentação. Sendo assim, a grande maioria das mães quer amamentar, e quer muito!
Ouvimos tanto que o leite materno é o melhor para o bebê, que é o alimento mais perfeito do mundo, que protege contra inúmeras doenças para a mãe e para o bebê, que fortalece o vínculo, que é um ato de amor…isso tudo é maravilhoso, mas de nada adianta SABER TUDO ISSO se não recebemos o apoio, a ajuda e o suporte que precisamos para conseguir tornar a amamentação uma realidade.

Amamentar deveria ser algo natural e esperado para as mães. Basta colocar o bebê no peito que ele vai mamar. Isso acontece com muitas mulheres, que nunca tiveram dificuldade para a amamentar e sempre foi algo prazeroso. Para outras mulheres, com um pouco de insistência e boa vontade, mesmo sem a ajuda necessária, com, sem ou apesar de nós (!), serão capazes de amamentar. Entretanto, para muitas mulheres, se não tiverem ajuda correta, nem o suporte necessário, elas não terão sucesso em amamentar, e o desmame precoce é a triste consequência disso. De fato, é uma realidade da sociedade brasileira, em que a média de amamentação é 54 dias. Conseguir uma boa ajuda e informações corretas nem sempre são fáceis de encontrar. O mais comum é ouvir conselhos conflitantes de médicos, enfermeiras, outra mães e amigos, e fica difícil saber qual seguir. Bons conselhos e informações corretas são escassos.

É preciso ouvir, é preciso ter compaixão, amor…é preciso ajudar de verdade! Não adianta falar para uma mãe que está com mamilos machucados, que sente dor ao amamentar, que o bebê chora o tempo todo (de fome muitas vezes!) que é só dar o peito e tudo vai passar….As vezes passa…mas as vezes não…e isso culmina num desmame precoce! Se você é incapaz de oferecer ajuda (isso significa ajuda mesmo e não somente coloca no peito que uma hora dá certo), fazer afirmações negativas e desencorajamento não ajuda muito.
E acreditem gente, sou pediatra, e sei o quanto nós (digo a classe médica e PRINCIPALMENTE os pediatras) somos capazes de acabar com toda a confiança de uma mãe, e mesmo toda a sua esperança em amamentar quando AINDA NA MATERNIDADE, examinamos a mãe e dissemos: seu bico é plano, o bebê não vai pegar o peito! Ou o bebê não está ganhando peso, dê fórmula para ele! Quantas vezes recebi em meu consultório mães que saíram da maternidade com uma RECEITA DE FÓRMULA! Isso é uma receita para o FRACASSO na amamentação!

É triste, mais do que isso, é lamentável que tantas vezes nós médicos acabamos por desencorajar a amamentação de tantas formas, e até dizer coisas erradas como que o leite vira água depois de um certo tempo, ou que não alimenta mais o bebê, entre outras coisas.

Afinal, é bem mais fácil para nós prescrever fórmula não é? O bebê mama, ganha peso, a mãe pára de “reclamar”, todos felizes não é? Gostaria de pensar que sim, porém não é verdade! A verdade é que o desmame dói! Dói para o bebê é dói para a mãe, pode não ser dor física, mas dói o coração…Vem o sentimento de culpa, de insegurança e incapacidade…

Será que uma mãe que quer o melhor para o seu bebê pode ser culpada por isso? Eu sinceramente acredito que não. Já ouvi tanta coisa errada (palpite, afirmações, orientações) erradas vindo de tanta gente diferente, que considero que a mãe que conseguiu amamentar e uma verdadeira heroína, dada as circunstâncias que jogam contra. Mamães, tirem essa culpa de vocês. Vocês não são menos mães porque não amamentaram, ou porque por algum motivo o bebê acabou desmamando cedo. Se existe alguma culpa no processo todo, acredite, ela não é sua. Bola pra frente! A vida é um constante aprendizado, quem sabe nossa vivência não pode ajudar outras mães? Ou as próximas gestações? Ou nossos netos?

Quem somos nós para julgar o próximo? Será que sabemos que dificuldades e problemas aquela mãe passou? O quanto ela gostaria de amamentar mais? O quanto ela passou noites chorando porque seu bebê queria cada vez menos o peito e ela sentia que tinha cada vez menos leite?
Por isso mamãe se você não conseguiu amamentar, seja por falta de informação, de suporte familiar, questões emocionais, insegurança, medo, doença…ou mesmo se decidiu não amamentar….Não, não estou aqui para julgar você.

Entretanto, cabe a mim dar todo o suporte e apoio, dar todas as informações que como profissional da saúde (daqueles que ajudam, e não atrapalham) preciso te passar.

O meu apelo aqui é: Não lutem sozinhas! Se você ainda está com dificuldade para amamentar, mas o bebê não desmamou completamente, e você ainda tem forças para tentar mais um pouco, procure ajuda!
Apesar de existirem pediatras que não se importam com a amamentação, ainda tem aqueles que estão dispostos a lutar com você e a ajuda-la a não desistir, e conseguir o suporte que você precisa!

Procure um banco de leite próximo de sua cidade, existem pessoas maravilhosas lá, dispostas a ajudá -la com seu bebê!

Procure uma consultora de amamentação que pode te ajudar até em casa com a posição e pega correta do bebê!

Procure grupos de mães em que pode haver uma troca de experiência, e mesmo grupos na Internet que possam te dar um suporte maravilhoso! (ja ouviu falar na IBFAN? La Leche League? Grupo Virtual de Amamentação? )

Existe tanto ainda para fazer!
Enquanto isso eu vou seguir lutando, não vou desistir! Essa é uma causa que vale a pena lutar! Às vezes me sinto remando conta a maré…mas vale a pena! Vale a pena cada esforço para ver um bebê mamar novamente, vale a pena ver um sorriso de gratidão no rosto e a realização de cada mamãe.

Para saber mais sobre amamentação, veja meus posts sobre vários temas relacionados à amamentação abaixo:

AMAMENTAÇÃO: RESPOSTAS A ALGUMAS DÚVIDAS EXISTENCIAIS!
MITOS DA AMAMENTAÇÃO: AMAMENTAR UM LADO POR VEZ?
COMO ARMAZENAR LEITE MATERNO: O QUE VOCÊ PRECISA SABER
DICAS PARA O BEBÊ PEGAR O PEITO DA FORMA CORRETA
COMO SABER SE O BEBÊ ESTÁ MAMANDO BEM? COMO SABER SE EFETIVAMENTE RETIRA LEITE DO PEITO?
MITOS SOBRE AMAMENTAÇÃO: MEU LEITE NÃO SUSTENTA!

um beijo e um abraço apertado para vocês,

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

*As informações dadas aqui não substituem a consulta médica. Se houver dúvida o médico deverá ser consultado.

Comentários do Facebook