urso

Pele do recém-nascido: o que você precisa saber

Existem tantas coisas diferentes na pele do bebê que os pais me perguntam, então resolvi fazer um apanhado e colocar tudo aqui para vocês! A boa notícia é que a grande maioria é benigna e não exige tratamento! Saiba identificar qual é a do seu bebê, sem desespero.

A pele do bebê é diferente do adulto e tem suas particularidades. Os bebês recém tem a pele delicada, e muito mais suscetíveis ao meio externo. Além disso, apresenta algumas características peculiares que estão presentes ao nascimento e nos primeiros meses. Algumas são modificações fisiológicas, normais dos bebês, mas é preciso ficar atento quando algo foge dessas características.

Hoje vou falar um pouco sobre essas características, o que esperar e o que fazer. Leia!

Bebê internado com Imunodeficência Combinada Grave. Pele semelhante a “grande queimado”. 

 

Descamação fisiológica 

Os bebês descamam! É super normal! Eu sempre falo que quanto mais “velhinho”o bebê, mais eles descamam. Geralmente ela ocorre na primeira semana de vida extrauterina. Geralmente as escamas são finas e discretas em torno de 5-7 mm, mas podem ser grandes e laminares, semelhantes à ictiose, em determinadas situações . A descamação completa ocorre na terceira semana de vida. Ainda não se sabe se este processo de descamação é secundário à remoção do vernix, com a consequente diminuição da produção do fator de hidratação natural (importante para manter a flexibilidade e plasticidade do estrato córneo), pois a sua ausência produz ressecamento e descamação. Quando existe uma descamação intensa e hiperemia desde o nascimento, com alteração da textura da pele, pode-se considerar anormal. Tal característica pode indicar pós-maturidade, anoxia intrauterina e ictiose e imunodeficiência primária. Caso pareça um “grande queimado” ou venha piorando com os dias, procure o médico.

Lanugo

Você já reparou que os bebês são peludinhos? Pois é! Esses pelinhos se chamam Lanugo! São os pelos curtos, finos, macios e sem pigmentação que cobrem o corpo do feto durante a gravidez., principalmente nas costas, ombros e face. Estes pelos geralmente desaparecem no sétimo ou oitavo mês de gestação, mas podem estar presentes no recém-nascido, e desaparecendo nas primeiras semanas de vida, sendo substituídos pelo corporal definitivo.

Leia mais sobre a pele do bebê e dicas pro calor 

Brotoejas 

Brotoeja são normais! É muito comum o bebê recém nascido ter algumas bolinhas na pele! Nem todas são iguais, mas a conduta é a mesma! Deixar a pele respirar, não espremer a bolinha, e não precisa passar nada! Sai sozinha!

As “bolinhas” podem ser:

Leia mais sobre dermatite atópica
Acne neonatal

Parece mesmo uma “espinha” na pele do bebê, e nada mais é do que um acúmulo de sebo na glândula sebácea. As espinhas em bebês aparecem porque a pele dos pequeninos ainda não está com os poros totalmente desenvolvidos, o que a torna um alvo fácil perante a carga hormonal materna. Essa carga faz com que as glândulas de oleosidade da criança sejam estimuladas, o que acarreta o aparecimento dos pontinhos vermelhos.

Eritema tóxico

O nome assusta, mas de tóxico só tem o nome! São completamente benignas! Algumas bolinhas (pápulas) vermelhas com halo hiperemiado ao redor. A origem é desconhecida, sendo mais frequente no recém-nascido de termo. Aparece a partir do 1º ao 4º dia de vida, com manchas avermelhadas pequenas desde milímetros a alguns centímetros de diâmetro, com ou sem pequenas pápulas cor-de-rosa pálido avermelhadas, rodeadas por halo vermelhinho, principalmente no tronco. As lesões são assintomáticas, com duração de 2-3 dias, e não necessita tratamento.

Miliária

Surgem a partir da segunda semana de vida, com pequenas vesículas superficiais. Ocorre por obstrução das glândulas de suor e por imaturidade dessas glândulas do bebê. É mais comum na época de calor. Existem 3 tipos: cristalina, rubra e profunda.

Miliária cristalina ou sudamina: ocorre no nível intracórneo ou subcórneo, com vesículas pequenas, transparentes, superficiais, sem halo inflamatório na frente e pele recoberta por pelos finos. Pode surgir com 6-7 dias de vida.

Miliária rubra: ocorre devido a ruptura intraepidérmica do conduto, e apresenta-se como pequenas pápulas eritematosas ou pápulo-vesículares. Às vezes, as vesículas transformam-se em pústulas (miliária pustulosa). As principais localizações são as regiões de dobras, mas também podem ter na face, couro cabeludo e ombros. O tratamento consiste em  evitar o calor, evitar o uso de roupas em excesso, dar banhos refrescantes e usar compressas de camomila.

Miliária profunda ou pustulosa: encontra-se mais profunda na pele (região subdermo-epidérmico) e ocorre por obstrução da glândula sudorípara. É muito rara no neonato. O diagnóstico diferencial se faz com eritema tóxico neonatal e herpes neonatal.

Melanose pustulosa neonatal transitória

Apresenta-se desde o nascimento como pústulas pequenas, flácidas e superficiais, que se rompem facilmente e formam crosta e colarete de escamas na face e tronco , e deixam manchas acastanhadas residuais.A causa é desconhecida. É importante que o médico diferencie de outros diagnósticos como candidíase, eritema tóxico neonatal, escabiose, herpes. Pode persistir durante meses e não existe tratamento.

Bolhas por sucção

São bolhas que surgem provavelmente por sucção oral intrauterina ( o bebê chupa o dedo a mão, o braço….com certeza ocorre em bebês sugadores por natureza!)  e ocorre em menos de 1% dos recém-nascidos saudáveis. Podem ser encontradas no dorso das mãos, braços, dedos (principalmente o polegar) ou lábios. As lesões são bolhas com conteúdo líquido seroso, de tamanho que pode variar de 0,5 a 2cm presentes desde o nascimento. Melhoram em poucos dias sem deixar sequelas. O diagnóstico diferencial deve ser feito com trauma obstétrico no parto. Como existe quebra da barreira natural da pele e área exposta, é importante evitar que haja infecção bacteriana secundária e pode ser usado pomadas cicatrizantes.

Hiperplasia sebácea

Nada mais é do que a manifestação do estímulo hormonal materno, e consiste em pápulas pequenas e numerosas com cerca de 1 mm, cor da pele, amareladas, no dorso nasal, bochechas e/ ou lábio superior. Acontecem devido à dilatação do infundíbulo folicular (local onde se insere o pêlo), recoberta por queratina. Diagnóstico diferencial com miliária e acne neonatal. Resolve espontaneamente em algumas semanas sem tratamento.

Entenda o que é a dermatite atópica 

Cistos de mília

Os cistos de mília são semelhantes à miliária e se caracterizam por pápulas de cor amarelada ou branca perolada, com tamanho de 1 a 2 mm de diâmetro, geralmente múltiplas e agrupadas. Não é necessário nenhum tratamento, desaparecem espontaneamente. Significam cistos epidérmicos, como resultado de retenção de queratina e material sebáceo dentro do folículo. Pode ter associação com síndromes, como epidermólise bolhosa e síndrome oro-facial-digital tipo 1, mas a grande maioria é completamente normal.

Espero que tenha esclarecido bastante! Se gostou, compartilhe!

Um abraço,

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

 

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Deixe uma resposta