urso

Alerta Sarampo: Vacine seu filho!!!

vsarampo, alerta, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira, pediatra são paulo

Recebi um alerta da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e estou repassando. O alerta é nacional. 

Por favor, divulguem para quem puder, pois é de extrema importância.

Vacine seu filho contra sarampo. Vamos entender o porquê!

A situação do sarampo no Brasil e no mundo

Para quem não sabe, alguns surtos de sarampo ocorreram no ano passado em diferentes lugares do mundo: nos Estados Unidos, em dezembro do ano passado, foram mais de 100 casos relacionados a um surto de sarampo que teve início na Disney, no estado da Califórnia (http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2015/02/1583802-disney-da-origem-a-surto-de-sarampo-nos-eua.shtml ). Na Europa, foram mais de 3000 casos notificados desde o ano passado. Na China, já foram notificados milhares de casos somente nesse ano e na África a situação é endêmica.

No Brasil, no ano passado ocorreram surtos de sarampo no Ceará, Pernambuco e casos isolados em São Paulo e Rio de Janeiro.

O que é o sarampo?

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, causado pelo vírus Morbilivirus e transmitido por secreções respiratórias. O sarampo provoca uma inflamação generalizada nos vasos sanguíneos e pode evoluir com complicações graves, eventualmente fatais ou que levem a sequelas.

Definição de caso suspeito de sarampo:

“Todo paciente que, independente da idade e da situação vacinal, apresentar febre e exantema maculopapular, acompanhados de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite; ou todo indivíduo suspeito com história de viagem ao exterior nos últimos 30 dias ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou ao exterior”.

Quais são os sinais e sintomas do sarampo?

 O sarampo apresenta basicamente 3 fases: prodrômica ou catarral,  exantemática e a fase de convalescença ou recuperação.

 Fase prodrômica: duração 6 dias. Início da doença com febre, tosse produtiva, secreção nasal e dor nos olhos, com conjuntivite e fotofobia importantes. Podem ter nódulos no pescoço pouco aumentados e, algumas vezes, podem ter também no abdome, que provoca dor abdominal. Nas últimas 24 horas dessa fase, surge o sinal de Koplikpequenas manchas brancas com halo-eritematoso, na altura dos pré-molares consideradas sinal patognomônico (característico) do Sarampo.

sarampo manchas koplik, pediatria descomplicada, alerta sarampo, dra kelly oliveira, pediatra sao paulo

Fase exantemática: ocorre a acentuação de todos os sintomas já descritos, com prostração importante e surgimento do exantema característico (manchas avermelhadas pelo corpo). O rash exantemático é máculo-papular, de cor avermelhada, com distribuição que começa da cabeça em direção aos pés.

sarampo, alerta sarampo, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira, pediatra sao paulo

Fase de convalescença ou recuperação: as manchas do corpo se tornam escurecidas e surge descamação fina e furfurácea, lembrando farinha.

Podem ocorrer complicações pulmonares, otites, sinusite e, às vezes até comprometimento  do sistema nervoso central, com meningite e encefalite. Em crianças muitos pequenas (ainda não vacinadas) e em adultos suscetíveis e idosos, a doença pode evoluir de forma grave.

 Como ocorre a transmissão do sarampo?

A transmissão da doença ocorre por meio das secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir e espirrar. Pode ocorrer também por dispersão de gotículas com partículas virais no ar, principalmente em ambientes fechados como creches, escolas, clínicas e meios de transporte, incluindo aviões, navios de cruzeiro e ônibus, ou seja, a doença é extremamente contagiosa. Após exposição a um caso de sarampo, praticamente todos os indivíduos suscetíveis (não vacinados ou com alguma imunodepressão) adquirem a doença.

Qual o tempo de incubação a doença?

Uma vez que a pessoa entrou em contato com o vírus, existe um tempo em que este demora para se replicar e então começar a manifestação dos primeiros sintomas. A isso chamamos de tempo de incubação.

O período de incubação dura média 8 a 12 dias. O vírus pode ser transmitido 5 dias antes até 5 dias depois do surgimento das lesões de pele. Dessa forma, não é possível se determinar quando a exposição a um caso de sarampo poderá ocorrer.

 A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba.

Isso significa que uma vez vacinado, não há risco de adquirir a doença.

Quem pode vacinar?

Crianças acima de 1 ano de idade, crianças e adultos que não estejam com a sua carteira de vacinação atualizada.

Quem NÃO pode vacinar?

Gestantes, pacientes imunodeprimidos graves, em uso de quimioterapia ou terapia imunossupressora com corticóide por mais e 4 semanas ou outro medicamento imunossupressor. Consulte o seu médico para dúvidas. 

Se você vai viajar, o que deve fazer

Se você vai viajar a recomendação é que esteja com a vacina em dia. Antes da viagem, atualize o seu cartão vacinal, e das crianças também, pelo menos 15 dias antes.

Fique de olho nos locais endêmicos, evite aglomerados e fique atento aos sintomas. Se tiver qualquer suspeita da doença leve ao médico.

Outras recomendações

– Tome as medidas básicas de higiene pessoal e do ambiente, que auxiliam na prevenção de doenças de transmissão respiratória: lavar as mãos, utilizar álcool em gel, reforçar a etiqueta respiratória, não levar as mãos à boca ou aos olhos, manter ambientes limpos e ventilados, evitar aglomerações e contato próximo com pessoas doentes. Não compartilhar copos, talheres e alimentos e ter uma alimentação saudável.

ATENÇÃO

Ao apresentar febre e exantema (manchas vermelhas no corpo), evitar o contato com outras pessoas, até ser avaliado por um profissional da saúde e procurar imediatamente serviço médico para esclarecimento diagnóstico e tratamento adequado.

Notifique todo caso suspeito de sarampo e rubéola à:

  • Secretaria Municipal de Saúde e/ou à Central de Vigilância/CIEVS/CVE/CCD/SES-SP no telefone 0800 555 466 (plantão 24 horas, todos os dias)
  • e/ou nos e-mails: notifica@saude.sp.gov.br e e dvresp@saude.sp.gov.br,da Divisão de Doenças de Transmissão Respiratória/CVE/CCD/SES-SP.

Por favor, ajudem a divulgar essa informação.

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).

Um abraço,
Dra. Kelly Marques Oliveira
CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

*As informações dadas aqui não substituem a consulta médica. Se houver dúvida o médico deverá ser consultado.

Referências:

photo credit:

  • https://windsorpeak.com/sites/baby411/files/2011/06/MeaslesRash212.jpg
  • https://cheekychums.files.wordpress.com/2011/01/rahs-measles.jpg
  • http://www.vaccinationinformationnetwork.com/wp-content/uploads/2013/09/koplik_spots1331663146360ggg.jpg

6 Comments

Deixe uma resposta