urso

Introdução alimentar: entenda o método baby-led-weaning (BLW)

blw, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira, baby led weaning
Depois de começar a escrever sobre introdução alimentar, hábitos saudáveis, como introduzir o alimento ao bebê eu falei para vocês sobre um método chamado baby-led-weaning, que nada mais é que a introdução alimentar guiada pelo bebê, ou seja, deixar que ele explore os alimentos, sinta a textura, o cheiro e o gosto dos alimentos.

Quando comecei a estudar sobre BLW fiquei muito animada, pois recebi testemunhos de mães que aplicaram o método e deu super certo, além da experiência positiva que tive em meu consultório.

Aqui no blog escrevo sempre o que há de mais atual para vocês, e procuro sempre embasamento científico para aquilo que vou falar. Por isso hoje vou explicar o método baseado nas diretrizes da pioneira do método, Gil Rapley, mamãe britânica formada em saúde pública, que iniciou o método e experiências com seus filhos e autora do livro Baby-led-Weaning. Essa é uma tradução livre feita por mim (coloquei algumas observações minhas) e o original em inglês vocês podem encontrar no link.

Leiam até o final, pois cada observação é fundamental para entender o método! (E não pára por aqui…)

Diretrizes para a introdução de alimentos guiada pelo bebê

Como começar

Antes de iniciar o método baby-led-weaning (BLW), é importante entender como fazê-lo e entender os princípios básicos para aplicar esse método. Essas diretrizes proporcionam um melhor entendimento e aproveitamento do método. Além disso, os pais ficarão mais seguros em aplicá-lo.
A maioria dos bebês estão prontos para começar a introdução dos alimentos com 6 meses de idade. O bebê com 6 meses de idade consegue sentar sozinho e segurar objetos com a mão, já não tem o reflexo de protrusão da língua (o que evita engasgos), e o intestino está preparado para receber novos alimentos. Bebês prematuros ou que tenham alguma condição especial de saúde ou atraso motor, que afetem a sua habilidade de engolir ou mastigar os alimentos, não se recomenda esse método. Vale ressaltar que é importante que os pais discutam com o pediatra sobre a introdução alimentar do seu filho e os métodos a serem utilizados.

Princípios do método de introdução de alimentos guiada pelo bebê

#1 Amamentação como base para a auto-alimentação (self-feeding)

O seio materno exclusivo e em livre demanda é recomendado durante os primeiros seis meses de vida do bebê. A amamentação em livre demanda prepara o bebê para a auto-alimentação, após completar 6 meses. Bebês que mamam no peito possuem seu próprio ritmo de alimentação e o mecanismo de fome e saciedade é estimulado. Eles também controlam sua própria alimentação e ingestão de líquidos, uma vez que decidem sozinhos quanto tempo deve durar cada mamada. E como o leite materno muda de sabor de acordo com a alimentação da mãe, o leite materno prepara o bebê para experimentar sabores diferentes.
Bebês normais, saudáveis e amamentados ao peito são capazes de iniciar sua própria introdução aos alimentos sólidos, desde que com o apoio e ajuda dos pais. Apesar da introdução dos alimentos pelo método do baby-led weaning, ter como base o self-feeding de bebês amamentados no peito, bebês que foram desmamados precocemente, ou seja, fazem uso de fórmula pela mamadeira também se mostraram capazes de aprender o método! Ou seja, o fato de o seu bebê mamar na mamadeira não é uma limitação para o método! A única diferença é que nestes casos é importante oferecer outras bebidas além do leite, como água por exemplo.
#2 Entenda as motivações do bebê
Esta abordagem de introdução alimentar oferece ao bebê a oportunidade de descobrir o que os alimentos que não o leite materno ou leite de fórmula têm a oferecer, como parte do mundo que o cerca. Ela engloba na experiência da alimentação o desejo do bebê de experimentar, explorar e imitar, comum dessa fase! Permite ao bebê definir o tempo de cada refeição e dá ênfase à exploração, ao invés da alimentação em si, e torna a transição aos alimentos sólidos seja da forma mais natural possível. Isso porque a motivação dos bebês a fazerem essa transição é muito mais a curiosidade do que a fome em si!
As refeições não precisam coincidir exatamente com o horário em que as mamadas aconteciam anteriormente. O aleitamento materno pode ser mantido e os alimentos são introduzidos em conjunto. Isso permite que essa abordagem seja mais descontraída e agradável para todos.
#3 O bebê pode engasgar?
Muitos pais se preocupam com o risco do bebê engasgar dessa forma. Embora esse método pareça arriscado, há mais motivos para pensarmos que o bebê tem menos risco de engasgar quando estão no controle do que quando são alimentados com a colher. Vamos pensar por etapas de aquisição das habilidades do bebê. Os bebês desenvolvem primeiro a habilidade de mastigar antes da habilidade de empurrar o alimento intencionalmente até a garganta. E antes de aprenderem a mastigar, eles desenvolvem primeiro a habilidade de alcançar e agarrar coisas. Mais tarde ainda, desenvolve-se a habilidade de pegar coisas muito pequenas. Ou seja, bebês pequenos não podem se colocar em risco facilmente, já que eles ainda não conseguem pegar pedaços pequenos de comida. Ao alimentarmos o bebê com a colher, podemos encorajá-lo a sugar o alimento diretamente para o fundo da boca, aumentando o risco de engasgo.
Dessa forma, percebemos que o desenvolvimento geral de um bebê está muito ligado à sua habilidade pegar objetos (os alimentos nesse caso, por isso os pedaços em forma de haste, compridos, de forma que ajude o bebê a pegá-los), levá-los à boca, mastigá-los e engoli-los. Um bebê que resiste muito a colocar comida na boca, provavelmente ainda não está completamente pronto para comê-la. Por isso, é importante resistir à vontade de “ajudar” o bebê nessas circunstâncias, já que seu próprio desenvolvimento e habilidades assegurarão que a transição aos sólidos seja feita no momento certo para ele, diminuindo assim, o risco de engasgos
O bebê que inicia a alimentação deve estar sempre sentado ou apoiado na cadeirinha na posição vertical. Isso garante que algum alimento que ele não seja capaz ou não queira engolir seja expelido pra fora (isso vai acontecer…).

#4 É seguro? 

Ao adotar o método baby-led-weaning, devemos manter as mesmas medidas de segurança adotados na hora da alimentação. Embora seja muito improvável que um bebê consiga pegar um amendoim, por exemplo, situações e acidentes podem acontecer em raras ocasiões, independente da forma como seja alimentado. Dessa forma, esse tipo de alimento deve ser deixado fora do alcance do bebê, assim como brinquedos com peças muito pequenas não podem ser dadas ao bebê, e existem brinquedos próprios para cada faixa etária. Lembre-se, as regras normais de segurança na hora de comer e brincar devem ser seguidas!

# 5 Garantindo uma alimentação saudável com o método BLW

Bebês que se alimentam sozinhos aceitam uma grande variedade de alimentos. Isso acontece, porque eles aproveitam muito mais do que apenas o sabor dos alimentos – eles experimentam as texturas, cores, tamanhos e formatos. Além disso, oferecer alimentos separadamente ou de um jeito que eles possam separá-los, permite que eles aprendam sobre os diferentes sabores e texturas. Ao permitir que eles deixem de comer qualquer coisa que eles pareçam não gostar irá prepará-los e encorajá-los a experimentar coisas novas. (Isso não significa que você não poderá oferecer o alimento rejeitado em outra ocasião, isso pode e deve acontecer!)
Os mesmos princípios de uma alimentação saudável para crianças são aplicados aos bebês que alimentados pelo método baby-led-weaning.  Isso significa que fast-foods, comidas com açúcar ou sal adicionados devem ser evitadas (pra não dizer banidas!). Respeitando-se isso, assim que o seu bebê tiver mais de seis meses de idade, não é necessário (exceto caso haja histórico familiar ou pessoal de alergias ou qualquer suspeita alteração intestinal ou doença) restringir o cardápio oferecido. Frutas e vegetais são os ideais, sendo que os mais duros podem ser levemente cozidos, para que fiquem macios o suficiente para serem mastigados. No começo, é melhor oferecer a carne em pedaços grandes, para que possa ser explorada e chupada (provavelmente no início é só isso que o bebê vai fazer…). Quando o bebê começar a lidar bem com porções de comida, e conseguir pegar objetos menores, a carne picada funcionará bem. (Bebês não precisam de dentes para morder e mastigar – as gengivas fazem o papel, pois pela proximidade dos dentes, já estão mais endurecidas e com capacidade de mastigar). A sua habilidade em pegar e mastigar esses alimentos, bem como a sua aceitação é o parâmetro para mostrar sua capacidade em comê-los!
Não há necessidade de cortar a comida do tamanho da boca do bebê. Um bom parâmetro é cortar tudo de tamanhos e formas semelhantes ao punho do bebê, com um detalhe importante: bebês pequenos não conseguem muito bem abrir a mão com o propósito de soltar as coisas. Portanto, eles lidam melhor com comidas cortadas em palitos ou que tenham uma haste ou “pegador” (como o caule de um pedaço de brócolis ou couve flor, por exemplo). Assim eles podem mastigar os pedaços que estão fora da sua mão e então soltar o resto depois – normalmente quando se interessarem por outro pedaço. Assim que suas habilidades forem aumentando, menos comida será desperdiçada.

#6 Como fazer com as bebidas?

A composição do leite materno varia de acordo com a duração da mamada. O leite do início da mamada, o anterior, é rico em água e o leite posterior, do final da mamada, tem mais gordura. Um bebê amamentado no peito reconhece essa mudança e usa isso para controlar quanto líquido quer beber. Se ele estiver com sede, irá mamar por pouco tempo, se estiver com fome, irá mamar por um período maior. Por isso que bebês amamentados em livre demanda e exclusivamente até os 6 meses não precisam de nenhuma outra bebida, mesmo nos dias quentes!
Este princípio funciona também durante o período de transição para a comida da família se o bebê continuar mamando em livre demanda. Um copo de água pode ser oferecido nas refeições, como parte da oportunidade de exploração, mas não há preocupações maiores se ele não quiser beber nada.
Se for possível continuar a amamentação em livre demanda isso tem a vantagem de permitir ao bebê decidir quando e quanto ele vai mamar, e naturalmente ocorrerá a diminuição das mamadas, conforme a criança aumenta o seu consumo e interesse por outros alimentos.
Para as mamães que começarem a trabalhar e a livre demanda não é possível, você pode retirar o leite e armazenar para oferecer ao bebê, veja no post sobre Amamentação e trabalho.
Bebês alimentados com fórmula infantil tem uma abordagem um pouco diferente, já que a fórmula tem sempre a mesma consistência e sabor, independente da relação de fome ou sede do bebê. Deve-se então oferecer água em intervalos regulares, assim que o bebê começar a comer.
Bom, esse post é para dar uma introdução ao assunto, espero terem gostado!
Vejam o vídeo com autorização da sua mamãe, de uma bebê amamentada exclusivamente ao seio materno até os 6 meses, que introduzimos a alimentação pelo método BLW. Dá uma vontade imensa de comer brócolis!!!

[wpvideo pb4xooJe]

Um bjo
Dra. Kelly Oliveira
CRM 145039

Referências bibliográficas: http://www.rapleyweaning.com/assets/blw_guidelines.pdf

Imagem e vídeo gentilmente cedida pela mamãe Marina, obrigada!

53 Comments

  • janaina 06/02/2015 Reply

    Dra existe idade certa para começar o BLW?

  • Anne 06/02/2015 Reply

    Ótima explicação do método. Ainda tenho algumas dúvidas. Nesse método o processo de introdução dos alimentos também segue a seqüência de iniciar com frutas e depois a papa principal? Não existe nenhuma maneira de utilizar o método com um bebê no 5º mês de vida? Obrigada!

  • elaine rocha 07/02/2015 Reply

    Ola. Mto bom o texto. Mas para mim esta pulando do # 2 para o #5…. eh falha no meu celulat??

    • Olá Elaine, obrigada, já está certo. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Ariane Gaspar Costa 07/02/2015 Reply

    Eu acho esse método muito interessante e gostaria muito que minha bebê tivesse essa experiência, mas ela já estará frequentando o berçário aos 6 meses e acho difícil adotar esse método lá. Será que eu posso utilizar esse método em casa mesmo assim?

    • Olá Ariane, você pode sim mesclar o método sem problemas. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Francielle Konofal 07/02/2015 Reply

    Tenho uma dúvida. .. nas papas salgadas os ingredientes seriam misturados, o que faria com que o bebê recebesse os nutrientes necessários. .. com o BLW ofereceria para o bebê vários legumes também nas refeições, desde a primeira oferta? Ou o correto seria mostrar um legume por vez?

    • Olá Franciele, a introdução pode ser feita uma de cada vez, devido a possibilidade de alergias. Depois pode-se misturar vários legumes e carnes. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Aline 08/02/2015 Reply

    Boa noite, Dra !
    Esse é método pode ser realizado com um bebê de quase 1 ano e meio, que só está acostumado a comer com a ajuda da mãe ?

  • Pingback: Baby-led-weaning: guia rápido de orientações | pediatria descomplicada

  • Michelle Pereira 10/02/2015 Reply

    Adorei! Meu filho Nícolas rejeita legumes sólidos. So os come em sopa. Se soubesse que desde bebê pudesse oferecer assim os alimentos, tvz ele gostasse hoje. Vou repassar a dica!

    • Oi Michelle, que bom que vc gostou. Mesmo assim, você pode tentar esse método agora. Veja se assim ele começa a aceitar. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Glaucia Vanessa 13/02/2015 Reply

    ola!!
    vc pode me dar algumas dicas de como fazer papas salgadas…Obrigado

  • Simone Haut 04/04/2015 Reply

    Olá doutora! Amei o post e não vejo a hora de iniciar com meu filho. Ele tem 6 meses e já começou com alimentos, nunca ouvi sobre esse método mas amei, so que tenho uma dúvida, ele não senta sozinho ainda; ele nasceu com 4, 465kg e é um bebê com tamanho e peso acima da média, mas ele consegue e segura objetos tranquilamente! Será que posso usar esse método com ele? Obrigada

    • Olá querida Simone. O método pode ser usado para crianças a partir de 6 meses desde que seguindo as recomendações de segurança para qualquer introdução alimentar. Use sempre um apoio para as costas e nunca deixe o bebê sozinho. Se precisar de orientação profissional atendo em consultório particular em São Paulo. Um bjo Dra Kelly

    • Olá querida Simone. Que bom que vc gostou. O método realmente é muito interessante. Deve-se tomar os mesmos cuidados de segurança para introdução alimentar de qualquer alimento. Tenho usadoi esse método com os pacientes no meu consultório, com muitas experiências interessantes.Se precisar de acompanhamento profissional, atendo em consultório particular em São Paulo, para marcar consulta você pode ligar para (11) 5088-6699. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Pingback: Saiba tudo sobre Alimentação Saudável da criança no CONALCO! | pediatria descomplicada

  • Eliane Rolim 19/05/2015 Reply

    Existem evidências científicas sobre este novo método? Foram realizados estudos com rigor metodológico e bem delineados que comprovem/discutam sua validade, relevância e importância?

    • Oi Eliane. Muito relevante suas perguntas. O método é extremamente novo e começou a ser aplcado na Nova elandia e Reino Unido particularmente. Em relação a evidências científicas sobre o método, ainda não existem estudos controlados e randomizados sobre o método. Existem muitos estudos em andamento ocorrendo. A discussão no meio científico ainda está acontecendo. Mais estudos precisam ser feitos para embasar o método, com certeza. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

    • Vou falar um pouco sobre essas evidências no congresso online de introdução alimentar, o Conalco, que está acontecendo essa semana! Não deixe de se inscrever.

  • Eliane Rolim 20/05/2015 Reply

    Excelente, Dra Kelly. Estou participando do CONALCO. Estarei em sua palestra. Obrigada e grande abraço!

  • Pingback: Se meu bebê falasse…o que ele gostaria de comer? | pediatria descomplicada

  • Pingback: 10 Dicas práticas para a introdução alimentar | pediatria descomplicada

  • Priscila 03/07/2015 Reply

    Olá Dra. Excelente post e excelente blog! Já conheço seu trabalho e admiro muito!
    Mesmo lendo bastante, chegando a hora de começar a I.A. bate uma certa insegurança….
    Minha bebê faz 6 meses depois de amanhã, está sendo amamentada exclusivamente com leite materno em livre demanda, e depois de amanhã vamos começar a introduzir a alimentação complementar, já com o método BLW. Nao consigo decidir por qual fruta começar…. qual você recomendaria? Apresento cortada em tiras do tamanho do punho dela?
    E tb gostaria de dar água, a título de experimentação…. de que forma posso apresentar? No copinho de transição ou na colherzinha (não daremos mamadeira), e aproximadamente qual quantidade?
    Muito obrigada, e desculpe pelas perguntas repetitivas.

    • Oi querida Priscila. Obrigada! Os alimentos são em haste ou inteiros mesmo, como a banana. Alimentos como uva, tomate cereja, ou nesse formato devem ser cortados longitudinalmente. Água conforme a necessidade, e peito a vontade! Pode ser no copo de transição ou colher. Evitar a mamadeira. Continue acompanhando as novidades por aqui! Tenho também instagram @pediatriadescomplicada e o Facebook http://www.facebook.com/pediatriadescomplicada. Um bjo Dra Kelly

  • Pingback: Quando iniciar a introdução alimentar – recomendações | pediatria descomplicada

  • Pingback: PRIMEIRAS COLHERADAS: Continuação da alimentação complementar- bebê de 7 meses | Bebê, Cães & Prosa

  • Pingback: BLW – Nosso primeiro passo (6 meses) | Mamãe é Apegada

  • Pingback: Introdução alimentar: o papel do pediatra nas escolhas certas | pediatria descomplicada

  • Priscila 11/09/2015 Reply

    Minha bebê está com 7 meses e nesse 1 mês desde a IA não quis comer NADA.
    Ontem dei mamão cortado em palitos, com casca e tudo e ela adorou.
    Isso quer dizer que devo abandonar as papinhas e seguir o BLW?
    Ela acostumando com os sabores e texturas tem chance de comer na colher depois?
    São muitas dúvidas…
    Obrigada

    • Continue acompanhando aqui no blog, sempre tem informações sobre introdução alimentar! Veja no Facebook e no instagram da página @pediatriadescomplicada. Continue oferecendo os alimentos. Um bjo Dra Kelly

  • Pingback: Exclusivo: Curso Avançado de Baby-led Weaning | pediatria descomplicada

  • Pingback: ALIMENTAÇÃO DO BEBE – MÉTODO BLW | Enciclopédia Materna

  • Marcela Monteiro 26/09/2015 Reply

    Gostei bastante dessa técnica, porém gostaria de saber se ela se aplica para crianças maiores. Meu filho tem 4 anos, e até hoje tem dificuldade de comer, não aceita verduras, carnes, se não estiverem misturadas com a comida que deve ter sempre com um pouquinho de caldinho…. O que me recomenda a fazer?
    Obrigada.
    Marcela

    • Oi Marcela! O método baby led weaning é um método de introdução alimentar, portanto não tem ser utilizado para crianças de 4 anos. Quando há rejeição de alimentos em crianças mais velhas é preciso usar outras formas de apresentar os alimentos, e trabalhar em conjunto com o pediatra, nutricionista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional… o interessante é ter toda uma equipe que a auxilie nisso. Um bjo Dra Kelly

  • Darlene Fernandes Leite 09/10/2015 Reply

    Olá Dr. Preciso muito de sua ajuda..minha bb tem 1 ano completado no dia 29/09/15 ainda damos comidas extremamente amassadas porque qualquer pedaço maior ela já engasga. Tiveram alguns episódios um pouco mais intensos onde fiquei realmente apavorada. Agora tenho muito medo de tentar qualquer coisa com ela e tudo que damos è raspado,amassado ou em pedaços muito pequenos. Ela tem 8 dentes..Já tentei dar pedaços de fruta/verdura na mão,mas quando ela morde o pedaço geralmente è muito grande e ela se afoga novamente. Como posso fazer e quais seriam os alimentos mais indicados para dar a ela nessa situação ??

    • Tente dar a ela pedaços menores para que não engasgue. Deixe – a pegar e explorar a comida! Seria interessante passar com um fonoaudiologista e nutricionista tb. Um bjo Dra Kelly

  • Pingback: Guia para introdução alimentar de frutas: mitos e verdades | pediatria descomplicada

  • Francine 19/11/2015 Reply

    Oi gostei muito desse método BLW, vou começar a fazer e depois falo o resultado.
    Obrigado Dr.

  • Mariela Kakitani 15/01/2016 Reply

    Com a introdução desse método, a criança não terá dificuldades para aceitar talheres futuramente? Meu filho vai começar com as frutas daqui alguns dias, mas ainda tenho muitas dúvidas se vou usar o BLW.

  • Pingback: Introdução de Alimentos, a reeducação alimentar de toda a família | Piccolo Universe

  • Pingback: Pequenos Notáveis | Claudia Sandri » Arquivos » 120 DIAS COM BLW

  • Essencial Mammy 03/05/2016 Reply

    Parabéns pelo post tão elucidaditvo! Não tive coragem de aplicar o método do BLW com minha filha, hoje com 1 ano e 9 meses, mas pretendo segui-lo com meu próximo filho. Hoje compreendo melhor seus benefícios.
    Sou Baby Planner e também escrevo sobre maternidade. Se puder, dá uma passadinha lá no blog. http://www.essencialmammy.wordpress.com

    bjs

  • Ana 24/06/2016 Reply

    Tenho uma duvida: nao se deve fazer a famosa papinha entao? Eu devo oferecer a variedade de legumes q eu usaria na papinha apenas cozida e misturada no Prato Em pedaços?

    Obrigada.

  • Pingback: O que o BLW não é – mitos e verdades | pediatria descomplicada

  • Pingback: Curso avançado em BLW – Edição 2016 | pediatria descomplicada

  • Ana Franzini 27/09/2016 Reply

    Olá dra, achei esse texto muito interessante e gostaria de compartilhar em meu blog, com os devidos créditos, vc autoriza?
    http://www.naturalmentemamae.com

    Obrigada! 🙂

  • Olá dra, achei esse texto muito interessante e gostaria de compartilhá-lo em meu blog com os devidos créditos. Você autoriza?
    Obrigada! 🙂
    Ana
    http://www.naturalmentemamae.com

  • Pingback: O bebê não engasga? Introdução alimentar, BLW e engasgo | pediatria descomplicada

  • Pingback: Curso avançado em BLW  | pediatria descomplicada

Deixe uma resposta