urso

Medidas simples e eficazes para prevenir o refluxo do seu bebê

refluxo, bebês, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada, pediatra sao paulo

Olá mamães!

 Uma vez que vocês já sabem o que é o refluxo, e já identificaram se o seu bebê tem refluxo ou não, e se é a doença do refluxo ou só o refluxo fisiológico, vamos então ver quais são as medidas que podemos tomar para ajudar a aliviar os sintomas dos bebês!

Independente se o refluxo é somente fisiológico ou se o refluxo como doença, medidas de prevenção podem e devem ser feitas. O tratamento medicamentoso só é utilizado para a doença do refluxo gastroesofágico, sob recomendação específica do médico. O tratamento cirúrgico é feito somente nos casos graves e quando não responde com as medicações e todas as outras medidas.

Vamos então às dicas! 

  1. O refluxo na maioria dos casos é fisiológico e não requer nenhuma medida drástica ou medicação. Ok,ok, sei que isso não é nenhuma dica por si só, mas vale ouro! Se você não ler nenhuma outra mas souber disso, já tá valendo! O que você mamãe deve ter em mente é, se seu bebê regurgita muito, mas está ganhando peso adequadamente e não aparenta ter dor, fique tranquila! Vai passar…A tendência é melhorar com o tempo, principalmente após a introdução de outros alimentos aos 6 meses e depois que o bebê começa a ficar mais tempo sentadinho…Por isso prepare o babador, e muita paciência!
  2. Mantenha o aleitamento materno. Mamães, sei que pode haver muita pressão da mãe, sogra, titia, cachorro, papagaio para você largar logo esse negócio de amamentação e dar a mamadeira, afinal deve tá fazendo mal mesmo, já que o bebê regurgita tanto…bem, saiba que o leite materno é o melhor para o seu bebê, e que o leite de fórmula causa além de mais cólicas (por ser menos digerível) e intestino preso no seu bebê, as regurgitações aumentam!
  3. Uso de fórmulas antirrefluxo. Mamães, essas fórmulas podem ser usadas primeiramente se, e somente se, o bebê não estiver em aleitamento materno. Nunca substitua o leite materno por uma fórmula, por melhor que ela possa parecer. Para os casos em que os bebês foram desmamados, podem ser utilizadas essas fórmulas com espessantes, pois elas diminuem o número de regurgitações. Apesar disso, o esvaziamento do estômago pode se tornar mais lento com essa fórmula, e quando houver o episódio de regurgitação, ser aquele de lavar a cama…
  4. Se você amamenta, evite alimentos e remédios que diminuam o tônus do esfíncter esofágico inferior ou que aumentem a acidez do estômago, como por exemplo alimentos gordurosos, frutas cítricas, tomates, café, álcool, cigarro. As medicações que você deve evitar são: anticolinérgicos, adrenérgicos, xantinas, bloqueadores de canais de cálcio e prostaglandina (pergunte ao médico sobre as medicações que você toma e se há alguma com esses componentes).
  5. Deixe o colchão que o bebê dorme elevado 30 graus. Medidas simples como essa pode melhorar muito o refluxo do seu bebê! Existem colchões especiais em formato de “cunha” que já posicionam o bebê dessa forma (veja figura abaixo), mantendo-o preso por um pequeno cinto para ele não acordar de cabeça para baixo e todo vomitado! Eles podem ser comprados em lojas especializadas. Mas cuidado! Não coloque muitos travesseiros nem colchões muito macios, pois isso aumenta o risco de sufocamento. travesseiro anti refluxo, pediatra sao paulo, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada
  6. Mantenha o bebê o mais sentadinho possível após as mamadas. Lembre-se que a própria posição vertical, por ação da gravidade, facilita o esvaziamento gástrico e alivia os sintomas do refluxo. Por isso, depois de mamar, coloque o seu bebê sentadinho por pelo menos uma hora…você vai ver a diferença!
  7. Coloque o bebê para arrotar após cada mamada. O bebê quando mama engole junto um pouquinho de ar. Esse ar, juntamente com o leite dentro do estômago, pode aumentar a pressão junto ao esfíncter esofágico inferior e facilitar a ocorrência do refluxo. Por isso a importância de eliminar esses gases!
  8. Acompanhe com o pediatra corretamente. Somente o pediatra poderá fazer o diagnóstico de refluxo e tratá-lo corretamente. Nunca use medicação sem recomendação médica! Existem inúmeros efeitos colaterais, riscos e benefícios que devem ser pesados antes de se prescrever uma medicação.

 Nota importante: antigamente existia uma orientação para o bebê dormir deitado de barriga para baixo, pois essa posição ajuda no esvaziamento gástrico do bebê. No entanto os pediatras não fazem mais essa recomendação devido ao risco aumentado de Aspiração e Síndrome da Morte Súbita do Lactente (esse tema vale outro post…). Colocar o bebê no seu colo de barriga para baixo para tentar acalmá-lo por alguns minutos pode ser uma opção, ou mesmo na posição barriga com barriga (você deitada com a cabeceira elevada mais ou menos 30 graus na cama com o bebê de barriga para baixo no seu colo), pode acalmar o bebê, mas lembre-se! Não se deve deixar o bebê dormir nessa posição.

Tanto o tratamento medicamentoso quanto a cirurgia devem ser recomendados e orientados com o pediatra juntamente com o especialista da área, quando necessário, mas você mamãe já pode colocar essas medidas simples e eficazes em prática!

Espero que tenham gostado! Compartilhem para quem vocês conhecem, divulguem essa informação!

Mandem sua dúvidas, histórias e angústias nos comentários, responderei na medida do possível.

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Veja outras dicas em:

Referências bibliográficas:

Tratado de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria, 3ª edição – 2014

Gastroesophageal reflux. R C. Norton, F J. Penna. Jornal de Pediatria – Vol. 76, Supl.2, 2000

image credits:
img.webmd.com/dtmcms/live/webmd/consumer_assets/site_images/articles/health_tools/baby_feeding_problems_slideshow/photolibrary_rm_photo_of_baby_spitting_up_on_dads_shoulder.jpg

naturalrefluxrelief.com/shop/product_images/uploaded_images/baby_in_middle_of_barp.jpg

14 Comments

  • Pingback: Dicas e recomendações para que tem APLV | pediatria descomplicada

  • Barbara Nakatsukasa Mantovani 13/03/2015 Reply

    Olá dra Kelly, gostaria de uma abordagem sobre refluxo oculto.

  • Pingback: Sono do bebê: como fazer a transição do berço para a cama | pediatria descomplicada

  • Graci 01/04/2015 Reply

    Oi tbm gostaria de saber mais sobre refluxo oculto. Minha bebê tem 35 dias, foi diagnosticada e toma label e domperidona. Esse refluxo oculto tbm acaba após os 2 a 6 meses ou persiste ao longo da infância? Ela pode dormir no berço, em Seu quarto sozinha, ou precisa ficar em nosso quarto? Obrigada

    • Olá querida Graci, sobre o refluxo, vc deve conversar com o médico que a acmpanha para saber essas informações, mas a evolução pode variar bastante de uma criança para outra. Se precisar de acompanhamento profissional, atendo em consultório particular em São Paulo, para marcar consulta você pode ligar para (11) 5088-6699. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada) Um bjo, Dra Kelly

  • Pingback: Dicas de inverno: dúvidas comuns para o frio -parte 2 | pediatria descomplicada

  • Dani 28/08/2015 Reply

    Olá….gostaria de saber onde consigo encontrar esse tipo de colchão para venda na Internet ou alguma loja
    Vc sabe?
    Obrigada

  • ouquita 14/10/2015 Reply

    Minha filha tem alergia atopica já a 1 mês e está fazer tratamento com o atl hidratante, mas mesmo assim continua vermelha e com pele manchada principalmente no corpo.

  • Pingback: Alergia alimentar, alergia ao leite de vaca e intolerâncias no bebê amamentado | pediatria descomplicada

  • Pingback: Mitos sobre a língua presa e porque ela afeta a amamentação – Parte 2 | pediatria descomplicada

  • Julielen 17/08/2016 Reply

    Meu bb tem refluxo devido a alergia a leite e esta fazendo tratamento a 3 meses. Esta tomando Label, e leite especial pra alergicos. Ele tbem mama em livre demanda , ja cortei leite e derivados da minha alimentaçao. Depois do tratamento, o numero de vomitos diminiu bastante, mas ele ainda passa o diiia inteeiroo agoniado, irritado,sem conseguir dormir aperriado pra golfar, parece q o golfo fica subindo e descendo e doendo dentro dele. A madrugada toda é pedindo peito, q acredito q é pra aliviar, pois como ele n dorme p dia todo fica com mt sono na madrugada e n chora, so quer ta com a boca mo peito. EM FIM.. ELE TOMA O LABEL BEM ANTES DO TRATAMENTO DA ALERGIA , E CONTINUA.. MAS PARECE Q N FAZ EFEITO ALGUM, ELE AINDA SOFRE MUUUUITO. TO DESESPERADA

  • Arinilda Campos 20/11/2016 Reply

    Gostaria de saber onde encontro almofada anti- refluxo como a da foto, fiz uma busca online e as que encontrei parecem ter inclinação menor que 30 graus. Como moro no interior prefiro fazer compra online. Muito obrigada

Deixe uma resposta