urso

Sarampo: saiba mais como se proteger dessa doença que volta a assustar

Com certeza você viu nos noticiários que o sarampo está causando uma nova epidemia e atingindo pessoas de todas as idades. Isso tem deixado toda a população muito assustada, principalmente as mamães que querem deixar essa doença bem longe de seus filhos, mas você sabe como se proteger?

A melhor maneira de se proteger contra essa doença é por meio da vacina, pois a contaminação dela ocorre diretamente de pessoa para outra, por meio das secreções do nariz e da boca expelidas ao tossir, respirar ou falar. Portanto, todas as crianças, adolescentes e adultos devem verificar se estão com suas doses de vacina em dia.

E para evitar com que novos casos surjam, até o próximo dia 16 de agosto, a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo realizará a Campanha de Vacinação contra o Sarampo. Veja só quem faz parte do público-alvo:

– Crianças que tenham idade entre 6 meses e 11 meses e 29 dias. Elas devem ser vacinadas durante a campanha, e vale lembrar que essa vacina não será válida para a rotina, por isso, as mamães devem agendar uma nova dose aos 12 meses de idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

– Pessoas com idade entre 15 e 29 anos, independentemente do número de doses anterior.

– Profissionais da saúde

– A vacina contra o sarampo deve ser aplicada em duas doses a partir de um ano de vida da criança até 29 anos de idade.

-Pessoas de 30 a 59 anos devem receber uma dose. Vale lembrar que essa vacina é contraindicada para mulheres grávidas e indivíduos imunossuprimidos.

– Mulheres tentantes devem esperar por no mínimo 1 mês após a vacinação para tentar engravidar.

– Lactantes: podem em qualquer idade do bebê.

A vacina contra o sarampo é segura de verdade?

Durante algumas consultas, muitas mamães me perguntam se a vacina contra o sarampo é segura de verdade e eu sempre falo que ela é o método mais de seguro de proteger os pequenos contra essa doença, por isso, pode ficar tranquila:

A VACINA CONTRA O SARAMPO É 100% SEGURA E NÃO PROVOCA PREJUÍZOS NA SAÚDE DO PEQUENO.

O que existe dentro da vacina?

O Ministério da Saúde e a SBIM (Sociedade Brasileira de Imunização) afirmam que essa vacina é composta por três vírus enfraquecidos, albumina e aminoácidos, proteínas, sulfato de neomicina, sorbitol e gelatina e em décadas de imunização por todo o mundo apenas foram relatados casos de alergia aos componentes do leite contidos em sua formulação.

Entretanto hoje em dia, é possível encontrar vacinas sem traços de lactoalbumina (proteína do leite de vaca). Essa possibilidade é maior em clínicas particulares. Já para os alérgicos a proteína do leite de vaca, é necessário fazer a vacina sem traços de leite.

Além disso, a vacina contra o sarampo existe desde 1957 e hoje existe APENAS a tríplice ou tetra viral:

Tríplice viral: Contra sarampo, caxumba e rubéola. Pode ser aplicada dos 9 meses de idade até idosos.

Tetra- viral: Contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Pode ser aplicada dos 9 meses de idade até 14 anos.

Dra., existe algum componente na vacina do sarampo que pode causar uma reação alérgica?

Embora seja raro, componentes do imunizante podem causar reações alérgicas em indivíduos predispostos e aqui no Brasil, uma das vacinas empregadas na rede pública carrega traços de lactoalbumina (uma proteína do leite de vaca).

No entanto, muitos estudos mostram que mesmo as pessoas que têm alergia grave ao ovo possuem um risco baixíssimo de reações anafiláticas após tomarem suas doses contra o sarampo. Mas é melhor seguir aquele ditado que diz “é melhor prevenir do que remediar”, por isso, por precaução, os alérgicos a algum componente do imunizante podem conversar com seu médico antes de receberem as doses.

Já as crianças com alergia grave ao leite de vaca não devem receber a vacina tríplice viral, que contém lactoalbumina.

E como saber se meu filho tem sarampo, dra.?

Geralmente, os sintomas que antecedem a doença têm duração de três a cinco dias e podem causar:

  • Febre
  • Mal-estar
  • Coriza
  • Conjuntivite
  • Tosse
  • Falta de apetite

As manchas vermelhas na pele começam atrás da orelha e se espalham para a face, pescoço, membros superiores, tronco e membros inferiores. Além disso, a febre persiste com o aparecimento das manchas.

No terceiro dia, as manchas na pele e a febre diminuem e desaparecem apresentando uma descamação fina, mas caso a febre persista, este pode ser um sinal de complicação da doença.

Quais são essas complicações?

  • Otite média aguda
  • Pneumonia bacteriana
  • Laringite e laringotraqueíte
  • Doenças cardíacas

Existe também uma complicação rara, tardia chamada panencefalite esclerosante subaguda, que acontece anos após a doença.

E qual tratamento para sarampo?

O tratamento é baseado em medicações que amenizam os sintomas da doença. Para isso, podem ser utilizados antitérmicos, hidratação oral, a terapia nutricional com incentivo ao aleitamento materno (em caso de crianças) e higiene adequada dos olhos, pele e vias aéreas superiores.

As complicações bacterianas do sarampo devem ser tratadas especificamente, com antibióticos adequados para cada quadro clínico.

Vale lembrar que em situações de surtos, medidas gerais de controle são fundamentais, com aleitamento materno, evitar aglomerações e vacinação.

 

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

 

Referências:

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faixa