urso

Refluxo x asma: qual a relação entre eles?

refluxo gastroesofágico, pediatria descomplicada, dra kelly oliveiraOlá mamães!

Agora que vocês já sabem o que é o refluxo gastroesofágico e qual a diferença do refluxo fisiológico do patológico, como explicado no post anterior, vamos entender então o que a ASMA tem a ver com o refluxo!

A grande questão é que o refluxo geralmente se manifesta por vômitos e regurgitação após as mamadas, pode ter também irritabilidade, dor e perda de peso quando patológico. Porém, o refluxo também pode se manifestar de maneira diferente do “normal”, ou seja, pode aparecer unicamente por sintomas respiratórios! É o que chamamos de Refluxo Gastroesofágico Oculto.

Sintomas que os pais devem ficar atentos:

Tosse crônica
Pneumonia por aspiração
Asma
Espasmo laríngeo
Apnéia (quando o bebê pára de respirar e pode até ficar com uma coloração azulada nos lábios )
Estridor laríngeo ( aquele barulhinho para respirar associada a esforço respiratório e rouquidão)
Displasia pulmonar ( Quando o pulmão não se desenvolve normalmente, ocorre geralmente em prematuros)
Crises cianóticas (quando o bebê fica roxinho e pode ser bem assustador para os pais!)
Sibilância ou tosse noturna sem resposta ao tratamento para asma
Bebês sem história na família de bronquite ou asma e início muito cedo de crises de chiado

Atenção papais e mamães: O chiado pode ser a única manifestação de refluxo em alguns bebês!

Para entender o que é a asma ou bronquite (são a mesma coisa!!!) veja uma explicação completa nesse post.

Sabemos que em crianças asmáticas, o refluxo gastroesofágico ocorre com maior frequência, mas, como o refluxo gastroesofágico pode causar uma doença respiratória?

Isso ocorre basicamente por dois mecanismos: resposta vagal e aspiração na traquéia de conteúdo presente no estômago.

Quando ocorre a formação do esôfago e dos brônquios no bebê ainda na barriga da mãe, os nervos responsáveis por essas estruturas são comuns aos dois.

Por isso, quando o bebê aspira sem querer um pouco de leite (entenda aspirar: quando o leite em vez de ir para o esôfago vai para a traquéia e consequentemente pros pulmões), isso causa uma alteração reflexa dos brônquios, que reagem se contraindo e causando o tal do chiado…Quando o leite do estômago volta para o esôfago na forma de refluxo, também ocorre essa contração brônquica reflexa, e o chiado surge!

Sabe-se também que, em asmáticos, existe uma pressão menor do esfíncter esofágico inferior, que é responsável por não deixar o conteúdo do estômago voltar para o esôfago, o que favoreceria o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago.

Outros estudos também demonstraram que a exposição de alérgenos ( sobre o que são esses alérgenos, veja esse postinalados induziram a ocorrência de esofagite (isso foi demonstrado através de exames específicos).

O fato curioso foi que o mesmo não ocorreu quando esses mesmos alérgenos foram ingeridos e não inalados, o que confirma mais ainda a relação entre inflamação no pulmão e hipersensibilidade do esôfago.

Mas como saber se meu filho que chia na verdade tem um refluxo oculto?

Existem testes específicos que são realizados por um especialista. Não deixe de ver com o pediatra se há indicação para realizá-los e quais exames são necessários.

O que veio primeiro afinal, a asma/ bronquite ou o refluxo gastroesofágico?

Esse é o grande dilema! Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha? Sabemos que crianças asmáticas tem mais refluxo, e que o refluxo por si só pode desencadear o chiado…Na verdade podem ser manifestações diferentes de uma mesma doença, que é essa sensibilidade exagerada a esses tais de alérgenos…

A mensagem que fica é: se seu filho tem refluxo, a presença de asma deve ser investigada (se não há melhora com o tratamento convencional e desde que indicada a investigação pelo especialista), se ele tem asma, deve ser investigado refluxo!

Se tiverem dúvidas, angústias e sugestões, por favor, mande nos comentários.

Espero que tenham aprendido bastante! Compartilhe para que outras pessoas também possam ter essa informação 😉

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

E aí gostou do conteúdo? Espero que tenha ajudado a esclarecer dúvidas! Compartilhe! E você sabia que dá para receber o conteúdo do blog direto no seu email? É só se cadastrar! Só fazer o cadastro na nossa newsletter e colocar seu email! Não se preocupe pois somos contra spam, e você receberá somente os conteúdos relevantes. Estamos também no Facebook (curta e coloque para “ver primeiro” nas opções) e instagram @pediatriadescomplicada (ative as notificações para visualização).

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Veja outras dicas em:

Referências bibliográficas:

  • Tratado de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria, 3ª edição – 2014
  • Gastroesophageal reflux and asthma in childhood: a study on their relationship using esophageal PH monitoring. Teixeira BC et al. Jornal de Pediatria – Vol. 83, Nº 6, 2007

 

Image credits: babynature.co.za/nature-baby/wp-content/uploads/babyreflux.jpg

11 Comments

  • Pingback: Dermatite atópica: medidas simples e eficazes para aliviar os sintomas dos pequenos | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: a importância da prevenção | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: Como tratar? | pediatria descomplicada

  • Nathalia 11/05/2016 Reply

    Olá Dra. Tudo bem? Minha filha tem 3 anos. Fez endoscopia com 6 meses. Constatou duodenite, esofagite entre outros. Tiramos o leite e toma até hoje o neocate. E desde 2 meses toma losec. Tem crises e mais crises de tosse. E aerolin não melhora nada. Refluxo dela tem total ligação com as crises. Qdo para de tomar losec volta crises… E tbm qdo exposta a ácaros e poeira, da lhe tosse rsrs. Adorei suas matérias.

  • Rosa 03/08/2016 Reply

    Dra o que fazer quando se tem uma desconfiança de um refluxo gastro numa pessoa com asma. Como diferenciar se o problema é do esôfago ou do pulmão? Num adulto.

  • Raquel de Paula 17/08/2016 Reply

    Olá Dra. Bom Dia! Estou passando por uma fase muito ruim, meu bebê que agora está com 4 meses, desde os 2 meses apresenta tosse, chiado e cansaço respiratório. Já o levei em muitos médicos, ele já tomou predsin durante três semanas, já tomou amoxilina porém não consegui fazer os sete dias de tratamento porque ele deu uma diarréia fortíssima e ficou com uma assadura que demorei três semanas para curar. Ele já fez também nebulizacao com Clenil A, com Fluibron e por último agora o levei em um alergista que passou Celestone já estamos em 17 dias tomando esse corticóide e tbm receitou Filinar. E ele continua chiando e cansado, Dra não sei mais o que fazer será que na verdade ele não está saindo da crise porque deveria estar tomando remédios para refluxo em vez de bronquite? Quando o bebê tem refluxo tbm apresenta catarro? Por favor Dra me ajude preciso de uma luz, uma orientação… Desde já agradeço!

  • Juliana 01/11/2017 Reply

    Dra, minha filha tem 4 anos, diagnóstico de asma. Crises constantes principalmente depois q entrou na escola. Otite tbem. Agora a médica desconfia de refluxo. A medicação motilium e losec é apenas p tratar o sintoma?ela fica dependente dessa medicação, e qdo parar de usar, as crises podem voltar? Há um tratamento p cura do quadro?

    • Dra. Kelly Marques Oliveira - Pediatra 29/12/2017 Reply

      Olá Juliana! Imaginamos o quanto sua dúvida te deixe angustiada, mas infelizmente o conselho federal de medicina não permite que nenhum de nossos profissionais deem condutas pela internet, pois cada caso é um caso e é necessária uma avaliação

  • Elisangela Aparecida Marques 31/12/2017 Reply

    Boa noite dra. Sofri muito com a minha filha ate os seus tres anos. Ela chorava muito a noite, era um bebe chiador vivia usando bombinha de aerolin e tomando predsim. Levei ela em varios especialistas principalmente em uma gastropediatra e nada. Foi muito sofrimento ate q um dia um medico um anjo enviado por Deus dr. PAULO MAZARO desconfiou e pediu raio x. Alem de td o refluxo era oculto. Por isso a dificuldade do diagnostico. Desde entao foi descoberto o problema e devido a coisas simples como erguer a cabiceira da cama minha filha agora dorme a noite td. Mas lendo o seu post foi como voltar ao passado. Muito boas essas orientaçoes. Por isso venho compartilhar minha experiencia. Espero q ajude a outras mamaes…

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Faixa