urso

10 dicas para manter a pele do bebê hidratada no clima seco

 

O tempo seco chegou com tudo, e isso acaba impactando na saúde dos nossos pequenos, e na nossa também! Além do frio, que também acaba ressecando a pele, o clima seco atrapalha em vários aspectos:

A pele sofre, pois com o frio acabamos ingerindo menos água, o que diminui mais ainda a hidratação natural da pele, e a pele fica muito, muito ressecada! Além disso, usamos água mais quente para tomar banho, e dá “aquela preguiça” de passar hidratante após o banho. Isso tudo agride a pele. Nossa pele tem uma camada natural de gordura que protege da perda de água. Com o ressecamento essa camada de proteção também fica prejudicada, aumentando mais a perda de água.

Para o bebê e para a criança, isso também acontece. A pele delicada do bebê sofre ainda mais que a pele do adulto, pois é mais sensível a agressões externas. Muitas vezes no frio, temos a tendência de agasalhar o bebê (com um pouco de exagero, muitas vezes), e isso não permite que a pele respire. Aí acabam aparecendo aquelas bolinhas vermelhas, as famosas brotoejas

Isso sem falar nas crianças que tem dermatite atópica! Essas sim, sofrem mais ainda… não é fácil mesmo!

Além disso, a via aérea do bebê também sofre! Isso mesmo. A qualidade do ar cai, o ar fica mais poluído, o olho fica seco, e aquela tosse chata aparece! Para quem tem asma é realmente uma época difícil. A nossa via aérea toda, desde boca narinas, e até chegar aos brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares, no pulmão, está em contato direto com o meio externo. Todo o nosso aparelho respiratório precisa se manter úmido para um bom funcionamento, e com o tempo seco pode surgir uma tosse irritativa.

Pensando nisso, separei algumas dicas descomplicadas (rs) para vocês! Espero que gostem! Como sempre digo, não existe milagre, mas dá pra melhorar sempre!

  1. Aumente a ingesta de água

Nada melhor do que manter-se hidratado com esse clima! Ingira mais líquidos, mas sobretudo água! Isso manterá uma melhor hidratação da pele, e também da via aérea. O cálculo da ingesta de água necessária por dia é de 0,35 x peso = quantidade em litros de água. Esse valor é uma estimativa e as quantidades podem ser maiores ou menores de acordo com a necessidade (exercício físico, febre, mãe lactante…). Em crianças e bebês acima de 6 meses de idade, ofereça água à vontade! Ofereça várias vezes ao dia, pois eles ainda não sabem pedir e precisam tomar água.

Leia aqui sobre a necessidade de água dos bebês e crianças.

2. Use um umidificador à noite

Clima seco pede um umidificador de ar. É interessante comprar uma marca que tenha também a opção de purificador de ar, e ainda possa controlar a % de umidade do ar que você quer manter. Procure manter a umidade do ar entre 40 a 60%. Caso não tenha umidificador, deixe uma bacia de água, ou toalha molhada no ambiente para aumentar a umidade.

3. Use soro fisiológico para as narinas e olhos

O soro fisiológico pode ser usado não somente quando há um processo infeccioso com aumento de secreção, mas também quando o tempo está seco para umidificar as narinas e evitar sangramento e o incômodo que pode ser causado devido as “casquinhas” que formam no nariz. O olho seco também sofre e você pode usar o soro fisiológico mas o melhor são lubrificantes oculares próprios para isso. Você pode usar seringa, spray, conta gotas, jato contínuo para colocar no nariz.

Leia mais sobre como fazer lavagem nasal 

4. Cuidado com o uso de aquecedores

Aquecedores podem ser usados para aquecer o ambiente, no entanto deve-se usar com cuidado, pois ressecar ainda mais o ar. O ideal é usar somente por um período para aquecer o ambiente e depois desligar. Não mantenha-o ligado. (Obs: é diferente de casas com sistema de aquecimento interno e calefação, em países frios ok?)

5. Mantenha os banhos curtos com água morna

Procure dar banho com água morna, o menos quente possível e não dar banhos longos. Água quente e banhos longos ressecam a pele do bebê. Se for bebê, não há necessidade de dar banho todo dia.

6. Não use muito sabonete e prefira o sabonete líquido 

Todas as vezes que pergunto no consutório quanto de sabonete os pais usam, normalmente é bem mais do que deveria. A quantidade de sabonete deve ser mínima, o suficiente para limpar  a região genital, onde suja mais, as dobrinhas e só! A quantidade de sabonete é do tamanho de uma amêndoa na palma da mão, para todo o banho! Por mais que seja tentador usar mais, para deixar o bebê cheirosinho, não use. Prefira sabonetes líquidos com pH neutro, sem cheiro forte. Quanto menos sabonete usar, menor irá ressecar a pele.

7. Use hidratante no seu bebê

Hidratantes podem ser usados desde recém nascidos, porém alguns cuidados na escolha do hidratante devem ser tomados. O hidratante deve ser sem cheiro, hipoalergênico e com poder emoliente bom. Nem todos os hidratantes de bebê são assim, então sempre pergunte ao seu pediatra algumas opções de cremes adequados à pele do bebê. Óleos hidratantes também podem ser colocados na banheira do bebê, mas também deve-se escolher um apropriado para a idade. Procure marcas apropriadas para bebês, ou marcas para pele atópica ou com eczema, pois também são hipoalergênicas. Procure hidratantes com ingredientes naturais, livres de corantes e parabenos.

Alguns exemplos: Cetaphil infantil ou restoraderm, Umiditá Infantil, Aveeno Baby, Stelatopia da Mustela.
8. Use uma pomada hidratante nas áreas mais secas

Sabe aquela pomada hidratante de bumbum de nenê? Você pode usá-la também para passar nas áreas mais ressecadas da pele do bebê, como rosto, cotovelos, joelhos. Só evite usar as com oxido de zinco nas demais partes do corpo, pois pode ressecar, mas pomadas com poder hidratante funcionam bem, pois são bem oleosas, densas e hidratam muito bem.
9. Aumente a hidratação nos banhos: coloque farinha de aveia 

A aveia tem alto poder hidratante, e você pode colocar um pouco de farinha de aveia na banheira do bebê, assim como óleos de banho pode ajudar também (procure a base de calêncula e camomila, evite cheiros fortes e artificiais).

10.  Mantenha o bebê quentinho, mas não encapotado

Quando agasalhamos demais o bebê existem alguns risco: eles podem ficar hipertérmicos (com aumento de temperatura sem processi infeccioso associado), o bebês podem suar, a pele por consequência não respira e fica com dermatite e brotoejas, e há risco de desidratação, e até aumento da chance de sufocamento. Use roupas quentinhas, em camadas, mas sempre deixe o rosto livre.

Um bjo

Dra. Kelly Marques Oliveira

Pediatra, Alergia e Imunologia e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) – CRM 145039

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

  Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).
Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Deixe uma resposta