urso

Fissuras, mamilos machucados e dor para amamentar, e agora?

Tired Mother breastfeeding baby. Top view photo

Dor tipo latejamento, pontada, ardência, rachadura, sangramento, descamação, prurido, queimação, mamilos sensíveis, fissuras ou simplesmente mamilos machucados são queixas extremamente comuns relacionadas à amamentação, principalmente nos primeiros dias. Estudos mostraram que 80 a 90% das mulheres que amamentam ter algum tipo de dor no mamilo, e 26% evolui para fissuras e feridas maiores, com dor mamilar extrema (Huml 1995) – La Leche League, tradução livre

Mas como saber se aquela dor inicial é “normal” e quando devo pedir ajuda?

É comum que a mamãe sinta uma dor leve tipo queimação ou fisgada no mamilo no começo das mamadas, devido à forte sucção deles e da aréola. Esse tipo de dor pode ser considerada normal, desde que não persista durante toda a mamada e não vá além das duas primeiras semanas de vida do bebê, quando a amamentação está melhor estabelecida. No entanto, se a dor persiste, aumenta ou as fissuras aumentam também fique atenta!

A causa mais comum de dor para amamentar é devido a pega e posicionamento incorretos (veja aqui como avaliar a pega e posição corretas). Tente corrigir a pega se o bebê estiver fazendo a pega errada, normalmente isso ajuda com um bom posicionamento (veja aqui mais sobre posicionamento correto no peito). Outras causas incluem mamilos planos, invertidos, muito curtos ou muito grandes,  disfunções orais na criança, freio de língua curto, sucção não nutritiva prolongada ( o famoso “chupetar” no peito, apesar de não gostar dessa palavra!), uso impróprio de bombas de extração de leite, interrupção errada da sucção do bebê quando é preciso tirá-lo do peito antes dele soltar espontaneamente, uso de cremes e óleos que causam reações alérgicas nos mamilos, uso de bicos de silicone (intermediários) e exposição prolongada a forros úmidos. Não existe evidência que mulheres de pele clara são mais vulneráveis a lesões mamilares do que mulheres com pele escura.

O trauma no mamilo, que pode estar asssociado a edema, fissuras, bolhas, vermelhidão, “marcas” brancas, amarelas ou escuras, hematomas, é uma causa de desmame muito comum.

 Para evitar que isso aconteça, existem algumas medidas de prevenção. Então mamães, vejam as dicas abaixo:

1.Amamente com técnica adequada (posicionamento e pega adequados). Para isso assista vídeos, leia muito e procure orientação antes do bebê nascer.

Veja aqui sobre pega e posição:

2. Cuide do peito: mantenha os mamilos e aréola “arejados”, faça trocas frequentes dos forros (absorventes para mama) quando ocorrer vazamento de leite. Quando possível, tome um pouco de sol no mamilo e na aréola. A umidade excessiva pode predispor a fissuras, além de candidíase. É só lembrar do bebê com fralda: o mesmo cuidado que temos com o bumbum do nenê, devemos tem com o peito!

3. Não use produtos que acabam retirando a proteção natural do mamilo, como sabões, álcool ou qualquer produto secante. Não use buchas! (Essá recomendação já existiu, mas trata-se de uma recomendação antiga, e não mais indicada…)

4. Não aplique nada que não possa ir à boca de um bebê recém nascido. Um bom “filtro” para descobrimos o que pode ser aplicdo no peito é pensar: isso poderia ir na boca do meu bebê? Certamente sol e leite materno você pode usar, porém dependendo da fissura não é suficiente. Obviamente que tratar a CAUSA do porqê seu peito está machucado é mais importante, para impedir que machuque mais. Casca de banana e mamão não devem ser usados, pois hágrande risco de infecção. Alguns estudos mostraram eficácia na cicatrização de fissuras com o uso da lanolina 100%.

5. Amamente em livre demanda – ofereça o peito ao seu bebê sempre que ele desejar ou se você sentir que seu peito está cheio. A criança quando colocada no peito assim que dá os primeiros sinais de que quer mamar, vai ao peito com menos fome, menos irritada e assim diminui a chance de ocorrer a pega inadequada e machucar os mamilos, além de evitar o ingurgitamento mamário. A necessidade da mãe também é importante e você deve oferecer o peito ao bebê se ele estiver doendo ou com a mma endurecida.

6. Faça massagem e ordenha manual da aréola antes da mamada se ela estiver ingurgitada, o que aumenta a sua flexibilidade, permitindo uma pega adequada.

Vídeo sobre massagem e ordenha aqui:

7. Se precisar interromper a mamada, introduza o seu dedo indicador ou mínimo pelo canto da boca do bebê, de maneira que a sucção seja interrompida antes de a criança ser retirada do seio, e evitar que machuque o mamilo. (Introduza com cuidado, isso não machuca o bebê! Sei que as mães ficam com “dózinha” e acabam nao introduzindo direito. Você deve introduzir até sentir a diminuição da pressão na aréola.

8. Cuidado com bicos de silicone ou intermediários! O chamado bico de silicone tem indicações precisas, devem ser usados de forma provisória quando muito bem indicados. Ele pode causar trauma mamilar e piora das lesões, além de a longo prazo, levar a diminuição da produção de leite. Somente use com indicação de um profissional especialista em amamentação , que ainda possa acompanhá-la nesse processo.

9. Procure um profissional qualificado. Sei que pode até parecer redundante aqui, mas um profissional especialista em amamentação faz TODA a diferença. E quanto antes for feita a intervenção, ou até a prevenção, melhor!

Esses são alguns dos problemas que podem ocorrer, no próximo post falaremos como ajudar a melhorar.

Como tem sido por aí? O que mais vocês tem tido de problemas e dificuldades? Coloque nos comentários, ou escreva nas minhas redes sociais abaixo 😉

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o “ver primeiro”, para receber aviso dos posts novos) e Instagram (@pediatriadescomplicada, clique no canto superior direito “ativar notificações de publicação”).

Dra Kelly Marques Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699/ Whatsapp (11) 93014-0007

Referências Bibliográficas

3 Comments

Deixe uma resposta