urso

Chupar o dedo e roer as unhas protege contra alergias? 

Recentemente foi publicado um artigo numa grande Revista de Pediatria, chama Pediatrics, com um tema no mínimo curioso. O artigo mostrou haver uma relação de “Proteção entre chupar dedo ou roer unhas e o menor risco de alergias”. O artigo foi amplamente divulgado na mídia, o que deixou os pais um pouco confusos.

Pensando nisso, resolvi escrever sobre o assunto e esclarecer algumas coisas. Quando falamos em Medicina Baseada em Evidências, entramos num campo muito amplo da medicina, que pode nos trazer algumas surpresas. A Medicina está sempre em constante mudança, e sabemos que o que é verdade hoje pode não ser amanhã. Ao analisar um artigo, precisamos lê-lo de forma crítica e retirar aquilo que é bom, entendendo sempre que podem existir o que chamamos de viés ou fator de confundimento.

Ah, Dra Kelly, mas o que isso tem a ver? É importante sabermos filtrar o que encontramos na mídia, precisamos sempre ler com crítica (inclusive o que coloco aqui para vocês!)

Muito se fala sobre o aumento das doenças alérgicas no mundo, de uma forma geral: rinite, asma, dermatite atópica, alergia alimentar, entre outras. Existe uma hipótese chamada “Hipótese da higiene” que se baseia no fato de que a exposição precoce a microorganismos, como vírus ou bactérias, reduziria o risco de uma criança desenvolver alergia. Essa hipótese seria explicada porque em famílias com muitos irmãos, haveria um risco menor de doenças alérgicas.

Segundo essa hipótese, as mudanças de estilo de vida, hábitos de vida urbanos, famílias menores, com menos filhos, melhores condições de higiene e um ambiente mais “estéril” desde o nascimento, explicaria o aumento das doenças alérgicas no mundo.

Essa hipótese ainda é controversa, e não explica totalmente porque as doenças alérgicas crescem também em países em desenvolvimento com condições de higiene mais precárias, por exemplo, ou porque os probióticos não são eficazes em prevenir a alergia.

Fato é que sabemos que o meio que nos cerca influencia diretamente no nosso corpo, e quais doenças iremos ter, no futuro. Por exemplo, hábitos mais sedentários aumentam o risco de obesidade, hipertensão e por aí vai. É o que chamamos de epigenética.

Por outro lado, temos em nosso código genético, herdado dos nossos pais, alguns genes que podem estar relacionados ao maior ou menor risco de doenças, independente do meio que nos cerca. Isso vale para doenças alérgicas, risco de câncer, obesidade no futuro…

Voltando ao estudo…

Pois bem, o estudo foi feito baseado na análise de 1037 crianças na Nova Zelândia, no qual foi identificado se essas crianças tinham o hábito de chupar o dedo ou roer as unhas. Aos 13 e 32 anos 724 dos 1037 pacientes foram submetidos a testes cutâneos de sensibilização, na qual avaliou-se sensibilização a diferentes alérgenos: poeira, pêlo de gato, cachorro e cavalo, lã de ovelha e fungos.

Aos 13 anos, a prevalência de sensibilização entre crianças com hábitos orais foi de 38%, comparado com 49% das que não tinham esses hábitos. Crianças com ambos os hábitos (chupar dedo e roer unhas) tiveram o menor risco de sensibilização alérgica, 31%. Aos 32 anos, essa menor sensibilização alérgica também se manteve para crianças com hábitos orais.

É importante ressaltar que a associação entre hábitos orais e sensibilização atópica para alérgenos específicos como poeira, gato e gramíneas foi considerada significativa aos 32 anos, mas não aos 13 anos.

Quando avaliado no detalhe, ao eliminar outros fatores que possam influenciar no resultado (positiva ou negativamente) como amamentação, pais alérgicos, pais fumantes, mais número de pessoas na casa, presença de animais de estimação e nível socioecônomico, também encontramos uma diminuição da sensibilização à poeira.

Chupar o dedo e roer unhas, portanto, foram associados com uma menor prevalência de sensibilização alérgica. Porém…não foi possível comprovar essa associação com menor risco de asma.

O que é importante guardar

Você já ouviu falar em vitamina S? “Porque se sujar faz bem”?

Jargões à parte, uma observação MUITO interessante do estudo é a associação da hipótese da higiene (explicado acima) e a grande questão das ALERGIAS. Ainda não se conseguiu comprovar totalmente essa hipótese, mas com certeza um ambiente muito urbanizado, pouco contato com a natureza, atividades muito mais dentro de casa, em computadores do que no parque ou no campo parece ter um ponto importante no desenvolvimento de doenças alérgicas, e com certeza metabólicas, como obesidade, hipertensão e dislipidemia, associado principalmente ao sedentarismo e alimentação “fast food” (leia-se industrializada, processada).

Tudo isso pra dizer o que?

O fato de a criança ter contato com diferentes microorganismos durante a vida, pode ter uma correlação com o menor risco de alergias, como a hipótese da higiene já dizia, mas…não significa que roer unhas nem chupar dedo sejam hábitos saudáveis ok?

Já está mais do que comprovado que chupar dedo, por exemplo, e uso da chupeta estão correlacionados com problemas de maloclusão dentária, respirador oral, etc. (Isso é assunto para outro post, mas se você quiser, dê uma olhada nas referências abaixo:

Estudo longitudinal levando à maloclusão na infância: concluiu que hábitos de sucção, baixas taxas de amamentação, respiração oral noturna são fatores de risco de maloclusão.

Hábitos orais prejudiciais: este estudo mostra como o ato de chupar o dedo, por exemplo, leva à maloclusão grave e alguns casos em que foi feito a correção com aparelho ortodôntico posteriormente.

Prevalência de mordida aberta anterior entre estudantes de uma Universidade Sudanesa: concluiu que o principal fator de risco para mordida aberta é o hábito de chupar o dedo!

Espero que tenham gostado!  

Um bjo

Dra Kelly Marques Oliveira

Pediatra e Consultora Internacional de Amamentação (IBCLC) 

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699/ Whatsapp (11) 93014-0007

 

Referências Bibliográficas

 

One Comments

Deixe uma resposta