urso

Meu filho tem a língua presa, e agora?

Porque a língua presa pode afetar a amamentação
Já escrevi aqui no blog um pouco sobre essa condição do bebê, que pode chegar até 10% de prevalência na infância, e porque isso afeta a amamentação. Acontece que a cada dia recebo famílias no consultório que já passaram por diversos profissionais, mas continuam tendo inúmeros problemas e dificuldades na amamentação, a ponto de desistir. Muitos chegam antes, mas muitas vezes o estrago já foi feito…

Por que estou dizendo isso?

A língua do bebê tem papel primordial para a amamentação. Vamos entender o porquê.

A língua é um musculo notável no nosso corpo. Ela é o único músculo no nosso corpo que tem uma extremidade que se move livremente, solta de quaisquer outras estruturas do corpo e, na sua outra extremidade ligada a oito outros músculos. A língua tem a habilidade de se movimentar para frente, para trás, para cima e para baixo. Ela consegue fazer movimentos ondulatórios e até tremer no céu da boca (pensa no som do “R” quando fazemos “rrrrrr”).

Durante a gestação, na sua formação, a língua fica completamente presa no assoalho da boca, por um tecido chamado frênulo (ou freio) lingual. Este tecido desaparece completamente, ou em alguns casos, parcialmente, a partir da ponta para a base da língua. Quando este pedaço de tecido não desaparece ou reduz, isso pode restringir a mobilidade da língua e ter sua funcionalidade prejudicada.

Os problemas associados a anquiloglossia (nome médico para língua presa) podem incluir desde dificuldades ao nascimento até problemas que que podem perdurar por toda a vida. Muitas dificuldades que as mães apresentam na amamentação, por exemplo, ainda nos primeiros dias na maternidade, podem ser decorrentes dessa condição. Outros problemas como cólicas, gases, refluxo, dificuldade na alimentação e na fala também podem estar associados a essa condição.

Costumo dizer que a língua presa é só a ponta do Iceberg. A língua presa leva a uma dificuldade da língua se movimentar corretamente na boca, o movimento necessário à amamentação fica prejudicado, a pega fica incorreta, levando a inúmeras dificuldades: bebê com dificuldade de ganho de peso, que dorme no peito, ou engasga muito, ou bebês que lutam e choram para mamar. Para a mamãe, a pega incorreta, e o atrito constante da língua no mamilo leva a fissuras e feridas que nunca cicatrizam, além da dor insuportável. A ferida aberta é porta de entrada para infecções, como mastite e candidíase. Tudo se torna um ciclo vicioso, que acaba sendo responsável por um desmame precoce. Com sorte, a mãe conseguirá descobrir antes e evitar que isso aconteça.

Se você tem encontrado dificuldades para amamentar, procure ajuda o quanto antes. O procedimento de frenotomia, realizado para corrigir a língua presa, é simples e seguro. Pode ser feito por médico capacitado ou dentista.

Veja os outros posts que escrevi sobre o assunto:

Um bjo

Dra Kelly Marques Oliveira 

Pediatra e Consultora Internacional em Amamentação (IBCLC)

CRM 145039

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o “ver primeiro”, para receber aviso dos posts novos) e Instagram (@pediatriadescomplicada, clique no canto superior direito “ativar notificações de publicação”).

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699/ Whatsapp (11) 93014-0007

Foto: gentilmente cedida por staciebingham.com, texto traduzido por Dra Kelly Oliveira, com autorização.