urso

Amamentação ideal x real

Breastfeeding

Após o post sobre as dificuldades que as mães tem e tiveram para amamentar que escrevi no blog, recebi o depoimento de muitas (muitas mesmo!), falando da dificuldade que tiveram, do quanto sofreram, histórias e mais histórias de mulheres que tiveram que lutar contra a maré, muitas vezes com família, pediatras falando contra e conseguiram. Outras, não tiveram a mesma “sorte”. Algumas com excelente apoio e ajuda, conseguiram seguir adiante.

De todos os depoimentos, percebi algo em comum: amamentar não é fácil. Ainda é tabu em muitos aspectos, e o “calo” aperta em todas nós. A sociedade pinta como algo maravilhoso, lindo e tranquilo. Falta realismo nisso tudo. E mais do que isso, falta ajuda prática e objetiva.

Gostaria de tomar a liberdade e compartilhar alguns depoimentos aqui.

“Eu já tinha assistido inúmeros videos sobre como amamentar, sobre a pega correta, as posições etc etc etc. Li muito, me preparei, mas…minha filha mamou direitinho a primeira semana de vida, na segunda começou a chorar desesperadamente na hora da amamentação, a pediatra de cara disse que eu tinha pouco leite e por isso ela chorava, disse assim: “mãe, sua filha está passando fome. É melhor dar a fórmula e ela ganhar peso ou deixar ela passar fome?”

“Tive todo tipo de dificuldade e tenho até hoje. Começou do pré natal, onde deveríamos ser orientadas e incentivadas a tentar todos os recursos mesmo antes de iniciar a amamentação. Quando meu filho nasceu, novamente me senti órfã, a maternidade particular totalmente despreparada para nos orientar com relação a amamentação. Vi meu filho passar fome durante quase 24 h, as enfermeiras furando o meu filho para verificar a glicose (…), deveria haver alguma lei que obrigasse aos profissionais de saúde dar suporte total as mães desde o pré natal, porque há um descompromisso total por parte deles. Vivi isso em todas as etapas.”

Pensando nas muitas dúvidas que recebi, muitas em comum, resolvi escrever um pouco mais sobre cada uma delas e esmiuçar um pouco esse tema que tanto nos afeta.

Mães, vocês são verdadeiras guerreiras. Disso não tenho dúvidas.

Afinal, como continuar amamentando quando o pediatra orienta complementar com fórmula, pois o bebê não está ganhando peso adequadamente? Como manejar um aleitamento misto (leite materno e fórmula) sem que o bebê desmame completamente? Como evitar a tal da confusão de bicos?

Bom muitos dos tema que já escrevi aqui eu já escrevi no blog. Resolvi entretanto, destacar alguns que surgiram. Nos próximos posts explicarei detalhadamente sobre cada possível dificuldade na amamentação.

Bebê que não ganha peso

De fato muitos bebês acabam não ganhando peso adequado no início da amamentação, e esse momento é extremamente delicado, pois é essencial a atuação do pediatra que apóie a amamentação. A primeira coisa que devemos nos perguntar é: O ganho de peso é mesmo insatisfatório? Após o 4o dia de vida, usualmente o bebê começa a ganhar peso (até então podem inclusive perder!), e somente por volta de 15 dias recupera o peso de nascimento. Um ganho de peso satisfatório é em torno de 20 a 30g por dia.

Antes de tudo, portanto, devemos se existe u REAL BAIXO GANHO DE PESO, ou somente é um bebê que é mais magro, no percentil mais baixo da curva, mas que está feliz, tranquilo, contente, e alcançando todos os marcos de desenvolvimento para a idade. A curva utilizada deve ser a da Organização Mundial da Saúde, que foi feita baseada na população mundial de bebês AMAMENTADOS EXCLUSIVAMENTE NO PEITO.

Se o ganho de peso for de fato insuficiente, devemos avaliar como está a amamentação, a transferência de leite, a pega do bebê se está correta, se a mãe está com os mamilos machucados sentindo dor, conseguindo descansar, etc.

Quando devo suplementar?

A suplementação deve ser prescrita pelo pediatra, após observar a amamentação! Não se prescreve uma medicação antes de examinar o doente, e o pediatra não deveria prescrever complemento sem antes examinar a mamada. Se não tem experiência com amamentação, deve encaminhar a quem tem. Assim como encaminhamos ao especialista quando precisa, como gastro, pneumo, etc. Complementar, seja com o próprio leite materno ou fórmula, não “resolve” a raiz do problema, apenas supre uma necessidade imediata. Não sou contra complemento, mas ele deve ser muito bem indicado, como uma medicação.

Como suplementar?

Uma vez que o bebê precise de complemento, para aumentar ganho de peso, porque o bebê ainda está muito sonolento, ou é prematuro e não consegue sugar, a mãe não tem condições de amamentar…enfim existem vários motivos que justificariam o seu uso…devemos decidir COMO suplementar! A melhor forma de dar complemento é evitar ao máximo o uso da mamadeira, por várias razões!

A forma como o bebê mama no peito é diferente da mamadeira. Na mamadeira, o bebê não abre bem a boca, a língua praticamente não se movimenta e o fluxo é contínuo, bem diferente do peito…aí que está o perigo e a confusão de bicos pode ocorrer.

Você pode suplementar pela técnica de relactação (com a sondinha), pelo copo aberto ou mesmo com a colher ou copo colher. Claro que isso exige um pouco de treino e paciência, mas não é tão difícil!

leite copinho

[wpvideo gY3P3AFQ]

mamadeira colher 1 mamadeira xolher 2

.

Nos próximos posts, vou falar um pouco mais sobre as dificuldades da amamentação, e sobre os problemas que as mamães podem enfrentar.

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).

 

O blog Pediatria Descomplicada está concorrendo ao Top blog 2015. Se você gosta do blog clique no link abaixo e dê o seu voto!

http://www.topblog.com.br/candidatos/?projeto=91015

top blog

Um abraço,

Dra. Kelly Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

Video: Dr Jack Newman – International Breastfeeding Centre

Fotos: imagens da Internet

Foto bebê: creative commons

5 Comments

  • amanda Oliveira 01/03/2016 Reply

    Tenho passado pelo dilema. ..realmente amamentar não e tão fantasioso quanto as propagandas. Meu filho esta tendo amamentação mista…mas infelizmente a mamadeira e a preferência dele
    …realmente dói muito. ..querer amamentar e o filho negar..mas enfim não vou desistir.

  • amanda Oliveira 01/03/2016 Reply

    Tenho passado pelo dilema. ..realmente amamentar não e tão fantasioso quanto as propagandas. Meu filho esta tendo amamentação mista…mas infelizmente a mamadeira e a preferência dele
    …realmente dói muito. ..querer amamentar e o filho negar..mas enfim não vou desistir.

  • Nívea da Silveira cruz 16/05/2016 Reply

    Fui muito bem orientada na maternidade. A equipe teve muita paciência e me ensinou tudo que eu precisava saber. Meu problema foi a produção,que nem na base da medicação (prescrita) melhorou muito. Minha filha mamava os 2 seios até não sair mais nada e continuava gritando de fome. Fiquei nessa luta,insisti que ia melhorará com o tempo. Mas eu estava ficando exausta e estressada. O Pediatra prescreveu a fórmula. Eu complemento com 2 mamadeiras ao dia,e ela não fez confusao de bicos! O negócio dela é mamar! Ela já está com quase 6 meses,é muito saudável e o ganho de peso vai bem.
    Agora a batalha é outra,só quer mamar no seio direito! Acabei de travar uma luta aqui pra fazê-la mamar dos 2 lados!

  • Pingback: Mitos sobre a língua presa e porque ela afeta a amamentação – Parte 2 | pediatria descomplicada

  • Pingback: Mitos sobre a língua presa e porque ela afeta a amamentação – Parte 2 | pediatria descomplicada

Deixe uma resposta