urso

Mudanças do calendário vacinal para 2016

Veja o que mudou no Calendário Vacinal

Foram realizadas mudanças no Calendário Nacional de Vacinação pelo Ministério da Saúde. Houve mudanças nas vacinas contra HPV, Póliomielite, Meningite,  Pneumonia, Hepatite B e Hepatite A. As mudanças ocorreram devido a própria alteração da situação epidemiológica no Brasil e no mundo e devido a estudos mais recentes relacionados às vacinas. Para as crianças que já começaram o esquema vacinal antigo, o esquema novo pode ser seguido a partir da próxima dose. Esse calendário refere-se ao Programa Nacional de Imunização do SUS, e atualizações no calendário vacinal pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) devem ocorrer em breve.

Vacina contra Poliomielite

Esquema antigo: vacina inativada da poliomielite (injeção) com 2 e 4 meses e vacina oral da polio (gotinha) aos 6 meses. Reforço aos 15 meses (2 doses) e aos 4 anos (gotinha)
Esquema novo: a 3ª dose aos 6 meses será também inativada (injeção)

Se a criança já tomou a 3ª dose por gotinha, não precisa tomar a injetável.

Essas recomendações estão em conformidade com o Plano Global de Erradicação da Poliomielite 2013-2018, que trata também da redução gradual de utilização de vacinas orais contra polimielite e fortalecimento dos programas de imunizações.

Vacina contra HPV 

Esquema antigo: Duas doses com intervalo de 6 meses, em meninas de 9 a 13 anos. 3ª dose após 5 anos.
Esquema novo: Somente duas doses com intervalo de 6 meses, sem a 3ª dose.

Estudos recentes mostraram que o esquema de duas doses apresenta resposta semelhante ao esquema de três doses, quando comparado meninas de 9 a 14 anos que receberam 2 doses com mulheres de 15 a 25 anos que receberam 3 doses.

Vacina contra pneumococo 

Esquema antigo: 3 doses  (2, 4 e 6 meses de idade) e reforço entre 12 e 15 meses.
Esquema novo: apenas 2 doses (2 e 4 meses) e um reforço aos 12 meses, podendo administrar até os 4 anos.

Para crianças não vacinadas entre 12 meses e 4 anos, administrar dose única.

A recomendação da OMS é o esquema básico de 2 doses e 1 reforço. Segundo o Ministério da Saúde, estudos mostram que a efetividade com 4 doses (3 doses e 1 reforço) é semelhante ao esquema com 3 doses (2 doses e 1 reforço), sem prejuizo à população.

Vacina contra Meningite

Esquema antigo: vacina aos 3 e 5 meses de idade, com reforço aos 15 meses.
Esquema novo: mesmo esquema, porém com o reforço aos 12 meses, podendo realizar até os 4 anos.

Vacina contra Hepatite B

O que mudou: O esquema vacinal é ampliado a toda a população, independentemente da idade ou condições de vulnerabilidade. Segundo o MS, com o envelhecimento da população e aumento da expectativa e qualidade de vida da população idosa, há um aumento da probabilidade de doenças sexualmente transmissíveis, como a hepatite B.

Vacina contra Hepatite A

O que mudou: vacina antes administrada aos 12 meses, será administrada aos 15 meses. Essa medida foi tomada para diminuir a quantidade de vacinas injetáveis num mesmo dia, sem comprometer o propósito de proteção da criança.

A nota completa do Ministério da Saúde você pode acessar aqui: Atualização calendário vacinal 2016

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).

Um abraço,

Dra. Kelly Marques Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

6 Comments

Deixe uma resposta