urso

Mitos e verdades sobre o Zika vírus

zika virus, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira

O que é a febre Zika?

É uma doença causada por um Flavivírus, transmitida por mosquito causada pelo vírus Zika. Consiste em quadro de febre leve, prurido, conjuntivite, dores de cabeça e artralgia, que aparece entre os três e doze dias após a picada do mosquito vetor.

Uma em cada quatro pessoas podem não desenvolver sintomas, mas entre aqueles que são afetados, a doença é geralmente leve, com sintomas que podem durar entre dois e sete dias.

Sua manifestação clínica é muitas vezes semelhante a dengue, outra doença transmitida por mosquitos.

zika o que é a doença pediatria descomplicada, dra kelly oliveira

FONTE: odia.ig.com.br

Como é transmitido o vírus Zika?

É transmitido por mosquitos do gênero Aedes (o mesmo vetor transmissor da dengue ou chikungunya), tendo como principal o Aedes aegypti. Estas espécies picam durante o dia, principalmente no fim da tarde e crepúsculo. O início dos sintomas demora de 3 a 12 dias para aparecer.

A transmissão perinatal do zika vírus (durante a gravidez) e durante o parto também pode ocorrer,  quando a mãe está infectada. Foram feitos 2 relatos de caso de trasmissão sexual do zika vírus, porém mais investigações precisam ser feitas. Existe ainda um risco potencial de transmissão do zika vírus através de transfusão de sangue e hemoderivados.

A amamentação pode transmitir o zika vírus? 

Não existem relatos de transmissão do zika vírus pela amamentação. Dessa forma, pelos inúmeros benefícios da amamentação, e pela falta de evidências que ocorre a transmissão via leite materno, mães devem ser encorajadas a amamentar, mesmo em áreas onde encontramos o zika vírus.

Existe alguma relação entre a vacinação contra rubéola e os casos de microcefalia no país?

Mito! Informação errada e divulgada de forma irresponsável através das redes sociais. A Síndrome da rubéola congênita é uma doença que apresenta várias malformações, dentre elas a microcefalia, porém tal vacina nunca é dada a gestantes, e sim em crianças, aos 12 meses, e em mulheres com idade fértil, para protegê-la dessa doença numa posterior gravidez. O Brasil recebeu esse ano uma certificação da OMS devido a erradicação dessa doença no país!  Essa vacina é dada nas crianças com 1 ano de idade, a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

Quais são os sintomas da infecção pelo vírus Zika?

Os sintomas são geralmente leves e caracteriza-se por uma doença febril auto-limitada, com uma duração de 4-7 dias, com exantema máculo-papular, que começa no rosto e se espalha para o resto do corpo, dores nas articulações, especialmente nos pés e mãos, dor muscular, dores de cabeça e conjuntivite.

O quadro clínico é semelhante a  dengue ou Chikungunya, e pode ser confundido com essas doenças. Além disso, 60 a 80% das pessoas infectadas não apresentam nenhum sintoma!

Complicações (neurológica, auto-imune) são raras, porém podem ocorrer, como a Síndrome de Guillain Barré.

dengue, zika chikungunya diferenças, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada

Fonte: prefeiturademairi.blogspot.com

Como é feito o diagnóstico da doença? 

Diagnóstico de infecção por zika vírus é confirmado pela detecção de RNA viral a partir de amostras clínicas em pacientes com doença aguda, durante o período de viremia. Esse período dura em média 3 a 5 dias apos início dos sintomas.

A partir do quinto dia após o aparecimento da febre, pode ser feita sorologia para detectar anticorpos específicos IgM e confirmação da infeção por demonstração de soroconversão ou aumento de quatro vezes o título de anticorpo de anticorpos específicos para Zika vírus.

Como é o tratamento?

O tratamento consiste em aliviar a dor, febre, e qualquer outro sintoma causando o desconforto do paciente. Não há nenhuma vacina específica contra o vírus.

Posso ser infectado mais de uma vez com o vírus Zika?

Não há casos documentados de alguém recebendo infecção pelo vírus Zika mais de uma vez. A resposta é que ainda não sabemos.

O que são casos autóctones e casos importados do vírus Zika e o que isso significa? 

O caso é considerado autóctone quando os mosquitos de determinada área já estão infectados com a doença e a transmitem à população. Caso importado é quando a pessoa adquire a doença após realizar uma viagem para um local onde já tem o vírus circulando.

Que medidas devem ser tomadas para prevenir a infecção pelo vírus Zika?

A eliminação e controle dos criadouros do mosquito Aedes aegypti reduz as chances de transmissão de Zika, chikungunya e dengue.

Essas medidas incluem a eliminação ou destruição dos locais de reprodução do mosquito:

  • Evite o acúmulo de água em recipientes exteriores (vasos de flores, garrafas, pneus e outros recipientes que podem acumular água)
  • Cubra tanques de armazenamento de água para uso doméstico
  • Não permita que o lixo se acumule, e jogue-o fora em sacos plásticos fechados mantidos em recipientes de lixo cobertos.
  • Use mosquiteiros e telas nas janelas e portas.

O que posso fazer para me proteger do vírus Zika?

  • Cubra a pele exposta com camisas de mangas compridas, calças e chapéus.
  • Use repelente como indicado e reaplicar conforme sugerido.
  • Durma em lugares protegidos por mosquiteiros.

mosquito-542156_1280

Mais informações sobre repelentes e como se proteger da doença veja os posts

Guia pra uso de repelentes – perguntas e respostas

Dicas de verão: 20 dicas e recomendações para o uso de repelentes nas crianças

Dicas de verão: Saiba como proteger seu filho contra as picadas de inseto – parte 2

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).

Vote no blog Pediatria Descomplicada como Top Blog 2015 na área de saúde e bem estar!

Se você gosta do conteúdo e gostaria que o blog continuasse publicando informações relevantes, acesse o link e vote! Compartilhe!

sky_blog_1

Um abraço,

Dra. Kelly Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

Referências bibliográficas

22 Comments

  • cjldo2013 15/12/2015 Reply

    Republicou isso em maismaismedicina.

  • cjldo2013 15/12/2015 Reply

    Republicou isso em maismaismedicina.

  • Rosita 15/12/2015 Reply

    Tenho medo da zika. Não to grávida mais sei que ela pode da síndrome de guilain baré que é muito perigosa. Por isso a gente tem q passar repelente e n deixar água empoçada sem conta otros problemas que o carapanã pode causar, cmo a dengue e a chikungunya. Eu tive a chikungunya e dói muito. Fiquei cinco meses capenga, andando curvada como uma mulher velha, apesar de só ter 14 anos. Parecia que os ossos iam quebrar. Foi traumatizante para mim. E agora, como se não bastasse isso, tem a tal da zika. O nome pode parecer engraçado, mas com certeza a doença não tem nada de engraçada. Pelo contrário, é muito grave, assim como a dengue. A dengue dá hemorragia, a chikungunya aleija e a zika dá problema pro bebê E a síndrome de guilain baré, isso sem contar outras sequelas que não sabemos até o momento. É um cenário muito preocupante, se pararmos para pensar. A doença que, inicialmente foi toda como uma dengue leve, se mostrou muito mais grave que a dengue, e está se espalhando de forma alarmante por todo o país. Aqui na minha cidade o cenário é preocupante, e, o pior de tudo, as pessoas podem ter e nem saber que tiveram, visto que lembra muito uma dengue, rubéola, ou, até mesmo, uma alergia! Já tive chikungunya e sei que dói muito, a ponto de não conseguir segurar um lápis, não conseguia andar normalmente, que dirá segurar um lápis! PS: a chikungunya eu não peguei aqui na minha cidade, mas sim numa viagem que fiz ao Nordeste. A zika também se espalha consideravelmente pelo Nordeste e está rumando ao Sudeste e Sul do país (não sei se já chegou em SP ou RJ), mas aqui na minha cidade, no Norte, já faz estragos consideráveis. Mais um motivo para não deixarmos água empoçada. E depois não adianta culpar o governo se essas doenças se alastrarem (o que já está acontecendo), visto que a culpa é nossa, por não fiscalizarmos se temos algo que possa servir de criadouro para o carapanã 😉 cada um faz sua parte e o país pode ficar LIVRE da dengue, da chikungunya e da zika. Pode parecer uma missão impossível, utópica, talvez, mas é muito mais simples do que pensamos. Nós podemos extinguir essas doenças horríveis de nosso país abençoado se quisermos, só depende de nós mesmos! Eu faço minha parte! Doutor, tenho uma pergunta: qual a hipótese de pegar chikungunya novamente? E qual o melhor repelente contra zika, dengue e chikungunya?

    Grata,
    Rosita

  • Rosita 15/12/2015 Reply

    Tenho medo da zika. Não to grávida mais sei que ela pode da síndrome de guilain baré que é muito perigosa. Por isso a gente tem q passar repelente e n deixar água empoçada sem conta otros problemas que o carapanã pode causar, cmo a dengue e a chikungunya. Eu tive a chikungunya e dói muito. Fiquei cinco meses capenga, andando curvada como uma mulher velha, apesar de só ter 14 anos. Parecia que os ossos iam quebrar. Foi traumatizante para mim. E agora, como se não bastasse isso, tem a tal da zika. O nome pode parecer engraçado, mas com certeza a doença não tem nada de engraçada. Pelo contrário, é muito grave, assim como a dengue. A dengue dá hemorragia, a chikungunya aleija e a zika dá problema pro bebê E a síndrome de guilain baré, isso sem contar outras sequelas que não sabemos até o momento. É um cenário muito preocupante, se pararmos para pensar. A doença que, inicialmente foi toda como uma dengue leve, se mostrou muito mais grave que a dengue, e está se espalhando de forma alarmante por todo o país. Aqui na minha cidade o cenário é preocupante, e, o pior de tudo, as pessoas podem ter e nem saber que tiveram, visto que lembra muito uma dengue, rubéola, ou, até mesmo, uma alergia! Já tive chikungunya e sei que dói muito, a ponto de não conseguir segurar um lápis, não conseguia andar normalmente, que dirá segurar um lápis! PS: a chikungunya eu não peguei aqui na minha cidade, mas sim numa viagem que fiz ao Nordeste. A zika também se espalha consideravelmente pelo Nordeste e está rumando ao Sudeste e Sul do país (não sei se já chegou em SP ou RJ), mas aqui na minha cidade, no Norte, já faz estragos consideráveis. Mais um motivo para não deixarmos água empoçada. E depois não adianta culpar o governo se essas doenças se alastrarem (o que já está acontecendo), visto que a culpa é nossa, por não fiscalizarmos se temos algo que possa servir de criadouro para o carapanã 😉 cada um faz sua parte e o país pode ficar LIVRE da dengue, da chikungunya e da zika. Pode parecer uma missão impossível, utópica, talvez, mas é muito mais simples do que pensamos. Nós podemos extinguir essas doenças horríveis de nosso país abençoado se quisermos, só depende de nós mesmos! Eu faço minha parte! Doutor, tenho uma pergunta: qual a hipótese de pegar chikungunya novamente? E qual o melhor repelente contra zika, dengue e chikungunya?

    Grata,
    Rosita

  • Rosita 23/12/2015 Reply

    quando peguei chikungunya, tudo começou com uma febre altíssima (39.5°C!) e muita dor de cabeça e nas juntas. Mal conseguia andar direito. Estava andando toda dobrada, curvada como uma mulher velha. Ah, você sabia que “chikungunya” significa “aqueles que se dobram”, em swahili, uma língua falada na Tanzânia e no norte de Moçambique. Agora sei porque tem a doença tem esse nome. Você simplesmente não tem outra escolha, tem que se curvar de tanta dor, é insuportável, parece que os ossos vão quebrar. Estava com muita sede, também. Ir ao consultório da médica foi um sufoco, visto que não conseguia subir a escada de tanta dor. Quando finalmente subi a tal da escada, só conseguia pensar: “Caracas! [uso muito essa gíria quando estou surpresa com algo] O que está acontecendo comigo?” A médica me olhou e começou a perguntar algumas coisas sobre o meu histórico de viagem e talz… Expliquei que tinha voltado de Fortaleza, e tive UM ÚNICO DIA de febre e estava sentindo muita dor nas articulações e na cabeça. “Tienes manchas en la piel?”, a doutora perguntou, num portunhol [ela não é brasileira]. “Não”, eu disse. “Certo. Você vai ter que fazer alguns exames, OK?”, ela disse, num português Pidgin. “Se realmente achas necessário…”, falei. Ela riu. A doutora simpática passou uns exames para dengue, chikungunya, PCR (Proteína C Reativa), Fator Reumatoide e Leucócitos. E lá fui eu, fazer os exames. Não estava andando, e sim, mancando. Um enfermeiro simpático me disse que provavelmente era dengue, visto que estava tendo epidemia de dengue aqui. Negativo para dengue, surpreendentemente. Quando voltei para casa, simplesmente me atirei com tudo na rede de dormir, e comecei a implorar por água. De novo. Alguém me trouxe água de côco. Agradeci, sorrindo. No outro dia, fui ao reumatologista, a mando da médica. Tive um diagnóstico errado de AIJ (Artrite Idiopática Juvenil). Foi um drama para minha família. Mamãe pegou o celular e começou q pesquisar sobre essa doença, chorando muito. Para mim, não era nada. Não que eu estivesse sendo insensível, mas simplesmente não fazia ideia da gravidade desse diagnóstico. Voltei na médica, que me pediu para refazer o exame de dengue. Negativo de novo. Fiz o exame de chikungunya. Positivo! Era isso. Curiosamente, houveram alterações no PCR (Proteína C Reagente) e Fator Reumatoide, gostaria de saber se a chikungunya costuma causar essas alterações. Fiquei faltando um mês de aula, não podia escrever, perdi 7kg NUMA SEMANA, e ainda fiquei 5 meses com dor nas juntas, foi horrível. Não desejo isso para ninguém. Naquele tempo, ainda não se falava em zika virus, chikungunya já era novidade aqui no Brasil. Agora, a gente ja tá um pouco mais familiarizado com a “chiku”, como eu e minha família chamamos a doença, devido à surtos no Oiapoque e Feira de Santana. Mas minha cidade nunca teve epidemia de chiku, apesar de estarmos enfrentando epidemia de zika, no momento, o que espero passar ilesa. tive que fazer fisioterapia e RPG por causa das dores da chiku, mas vira e mexe ainda sinto algumas dores… Agora aprendi a lição de que não devo descuidar do repelente, até para evitar a zika, que tá sendo um drama aqui na minha cidade 🙂 fico feliz em saber que nunca mais pegarei a chiku. Só to passando um perrengue aqui, visto que o famoso repelente Exposis não está disponível em nenhuma farmácia da minha terrinha tampouco acho no restante do Brasil, e estamos muito preocupados com a zika e sua ligação com a síndrome de guilain barre… Enquanto isso, sigo usando o repelente que sempre usei, o OFF!, e espero que meu relato sobre minha experiência com a chiku tenha sido útil para você 😉

    abraços,
    Rosita

  • Rosita 23/12/2015 Reply

    quando peguei chikungunya, tudo começou com uma febre altíssima (39.5°C!) e muita dor de cabeça e nas juntas. Mal conseguia andar direito. Estava andando toda dobrada, curvada como uma mulher velha. Ah, você sabia que “chikungunya” significa “aqueles que se dobram”, em swahili, uma língua falada na Tanzânia e no norte de Moçambique. Agora sei porque tem a doença tem esse nome. Você simplesmente não tem outra escolha, tem que se curvar de tanta dor, é insuportável, parece que os ossos vão quebrar. Estava com muita sede, também. Ir ao consultório da médica foi um sufoco, visto que não conseguia subir a escada de tanta dor. Quando finalmente subi a tal da escada, só conseguia pensar: “Caracas! [uso muito essa gíria quando estou surpresa com algo] O que está acontecendo comigo?” A médica me olhou e começou a perguntar algumas coisas sobre o meu histórico de viagem e talz… Expliquei que tinha voltado de Fortaleza, e tive UM ÚNICO DIA de febre e estava sentindo muita dor nas articulações e na cabeça. “Tienes manchas en la piel?”, a doutora perguntou, num portunhol [ela não é brasileira]. “Não”, eu disse. “Certo. Você vai ter que fazer alguns exames, OK?”, ela disse, num português Pidgin. “Se realmente achas necessário…”, falei. Ela riu. A doutora simpática passou uns exames para dengue, chikungunya, PCR (Proteína C Reativa), Fator Reumatoide e Leucócitos. E lá fui eu, fazer os exames. Não estava andando, e sim, mancando. Um enfermeiro simpático me disse que provavelmente era dengue, visto que estava tendo epidemia de dengue aqui. Negativo para dengue, surpreendentemente. Quando voltei para casa, simplesmente me atirei com tudo na rede de dormir, e comecei a implorar por água. De novo. Alguém me trouxe água de côco. Agradeci, sorrindo. No outro dia, fui ao reumatologista, a mando da médica. Tive um diagnóstico errado de AIJ (Artrite Idiopática Juvenil). Foi um drama para minha família. Mamãe pegou o celular e começou q pesquisar sobre essa doença, chorando muito. Para mim, não era nada. Não que eu estivesse sendo insensível, mas simplesmente não fazia ideia da gravidade desse diagnóstico. Voltei na médica, que me pediu para refazer o exame de dengue. Negativo de novo. Fiz o exame de chikungunya. Positivo! Era isso. Curiosamente, houveram alterações no PCR (Proteína C Reagente) e Fator Reumatoide, gostaria de saber se a chikungunya costuma causar essas alterações. Fiquei faltando um mês de aula, não podia escrever, perdi 7kg NUMA SEMANA, e ainda fiquei 5 meses com dor nas juntas, foi horrível. Não desejo isso para ninguém. Naquele tempo, ainda não se falava em zika virus, chikungunya já era novidade aqui no Brasil. Agora, a gente ja tá um pouco mais familiarizado com a “chiku”, como eu e minha família chamamos a doença, devido à surtos no Oiapoque e Feira de Santana. Mas minha cidade nunca teve epidemia de chiku, apesar de estarmos enfrentando epidemia de zika, no momento, o que espero passar ilesa. tive que fazer fisioterapia e RPG por causa das dores da chiku, mas vira e mexe ainda sinto algumas dores… Agora aprendi a lição de que não devo descuidar do repelente, até para evitar a zika, que tá sendo um drama aqui na minha cidade 🙂 fico feliz em saber que nunca mais pegarei a chiku. Só to passando um perrengue aqui, visto que o famoso repelente Exposis não está disponível em nenhuma farmácia da minha terrinha tampouco acho no restante do Brasil, e estamos muito preocupados com a zika e sua ligação com a síndrome de guilain barre… Enquanto isso, sigo usando o repelente que sempre usei, o OFF!, e espero que meu relato sobre minha experiência com a chiku tenha sido útil para você 😉

    abraços,
    Rosita

  • Maria José Amaro Mota 19/01/2016 Reply

    Dexdor pode ser usado para aliviar as dores e se a mãe estiver amamentado o q fazer

  • Eronice 10/02/2016 Reply

    Estou preucupada,estou com zika,e não sabia dei mamar para minha filha de 7 meses. Agora estou preocupada.

  • Eronice 10/02/2016 Reply

    Estou preucupada,estou com zika,e não sabia dei mamar para minha filha de 7 meses. Agora estou preocupada.

  • Pingback: Estudo publicado no NEJM associa Zika vírus e microcefalia | pediatria descomplicada

  • Pingback: Estudo publicado no NEJM associa Zika vírus e microcefalia | pediatria descomplicada

  • Siliane 18/05/2016 Reply

    Muito obrigada pelas informações ….

  • Siliane 18/05/2016 Reply

    Muito obrigada pelas informações ….

  • Maria da Conceição santos 21/05/2016 Reply

    Estou preocupada acho que estou com chicogonha e tô dando mamá ao meu bebê de 2 meses e agora?

  • Maria da Conceição santos 21/05/2016 Reply

    Estou com a chicogonha e tô amamentando meu bebê de 2 meses e agora?

  • Maria da Conceição santos 21/05/2016 Reply

    Estou com a chicogonha e tô amamentando meu bebê de 2 meses e agora?

  • Cida 04/06/2016 Reply

    Quando alguem ta co zica virus tem auguma descrição de se alimentar poresemplo comer ovo faz mal ..

Deixe uma resposta