urso

Guia pra uso de repelentes – perguntas e respostas

repelentes de inseto, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada, repelente, proteção contra insetos

Estamos numa época de ALERTA de doenças transmitidas por insetos, como Dengue, Zika e Chikungunya. Todo cuidado é pouco e ainda não sabemos ao certo as complicações do vírus zika. Pensando nisso resolvi fazer um post sobre o assunto. Vamos entender tudo sobre repelentes e como se proteger dos mosquitos e das doenças que eles causam!

Qual o melhor repelente de repelente de mosquito? 

As recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e CDC (Centre of Diseases Control)  é que os produtos contenham substâncias ativas com registro na Agência de Proteção Ambiental (EPA) ou Anvisa (Brasil). Esses produtos são seguros e não causam efeitos adversos em humanos e no meio ambiente.

Os produtos disponíveis no Brasil são: DEET, icaridina, IR3535, e óleo de eucalipto limão, citronela e outros óleos essenciais, com menor eficácia.

Quantas vezes o repelente deve ser reaplicado?

A frequência de aplicação do repelente deve ser de acordo com a orientação no rótulo do produto. Aqueles que contém maior porcentagem do ingrediente ativo tem maior duração.

Repelentes podem ser usado em crianças?

Sim. A maioria dos produtos pode ser usado em crianças, desde que respeitado as recomendações do fabricante. Repelentes de insetos não são recomendados para crianças menores de 2 meses.

No Brasil, a Anvisa recomenda a utilização de repelentes em crianças de acordo com a fórmula do produto.  

DEET

repelente, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada, picada de inseto, zika virus, gestante, gravida, repelente

É o repelente mais eficaz atualmente disponível, usado desde a década de 1950. Quanto maior a concentração da substância, mais longa é a duração da proteção, sem toxicidade relevante. Seguro para crianças e gestantes. Disponível nas marcas: Repelex, Autan e OFF.

Segundo a Academia Americana de Pediatria (AAP), em 2003, a recomendação é que produtos à base de DEET (N, N-dietil-m-toluamida) nas crianças numa concentração de 10% parece ser tão seguro como produtos com uma concentração de 30%, quando utilizado de acordo com as instruções nas etiquetas dos produtos. A recomendação geral seria usar a menor concentração possível em crianças e respeitar o tempo de reaplicação e outros cuidados.

AAP recomenda que os repelentes com DEET não devem ser aplicados em bebês com menos de 2 meses de idade.

A recomendação feita pela Anvisa no Brasil é que seja usado a partir dos 2 anos de idade, com concentração até 10%, não reaplicar mais que 3 vezes ao dia.

Icaridina

repelente, exposis, dra kelly oliveira, pediatria descomplcada, picada de inseto, gravida, gestante, zika virus

É um repelente derivado da pimenta, indicado pela OMS para viajantes e utilizado na Europa há mais de 10 anos. É semelhante ao DEET e fornece proteção de longa duração contra insetos. Existem diferentes concentrações, com maior ou menor duração. A ação é semelhante ao DEET, com aparente maior proteção ao Aedes aegypti, quando comparado ao DEET e IR335. É seguro para gestantes e crianças a partir de 2 anos. A única marca disponível no Brasil é o Exposis®.

O seu uso no Brasil é liberado para crianças a partir de 2 anos de idade em concentração de 25%, com período de proteção média de 8 a 10 horas. 

IR3535

repelente, exposis, dra kelly oliveira, pediatria descomplcada, picada de inseto, gravida, gestante, zika virus

repelente, exposis, dra kelly oliveira, pediatria descomplcada, picada de inseto, gravida, gestante, zika virus

Repelente sintético usado na Europa há mais de 20 anos. Em concentração de 20%, é eficaz contra Anopheles e Aedes. Aegypti, com eficácia em média de 3 horas. Seguro para gestantes e crianças a partir de 6 meses.

Existem 2 marcas disponíveis no Brasil o Jonhson Loção Antimosquito e o Repelente infantil Huggies Turma da Mônica, ambos com indicação de uso acima de 6 meses, pela Anvisa.

Outros repelentes naturais, como citronela, andiroba, óleo de soja, podem ser usados, mas a sua eficácia é baixa.

Conclusão
Bebês de 0 a 2 meses: repelentes de barreira, protetores de tomadas, telas e roupas compridas.
Bebês 2 a 6 meses: DEET na concentração de no máximo 10% (recomendação AAP, não brasileira) são seguros, desde que respeitados instruções de uso! Na dúvida pergunte ao seu pediatra!
Bebês de 6 meses a 2 anos: IR3535 (liberado no Brasil) ou DEET máximo 10% (liberado pela AAP)
Acima de 2 anos: qualquer uma das opções, sendo mais eficazes os a base de DEET ou ICARIDINA. Respeitar os limites de aplicação.

 

repelente tabela, picadas de insetos, repelente, nivel de evidencia de repelentes, eficacia de repelentes, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada

Fonte: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v27n1/13.pdf

 

Tabela repelentes, dra kelly oliveira, pediatria descomplicada, kelly oliveira, repelentes, picadas de insetos, zika virus, dengue, chikungunya

Fonte: Jana Rodrigues

 Repelentes de insetos pode ser usado por mulheres grávidas ou amamentando?

Sim. Não há contraindicação do uso de repelentes para grávidas ou lactantes.

 Posso usar um repelente de insetos e um produto que contenha protetor solar ao mesmo tempo?

Sim. As pessoas podem, e devem utilizar o  protetor solar e o repelente de insetos quando estão ao ar livre. Aplique primeiro o protetor solar e depois o repelente.

Devo usar produtos combinados protetor solar + repelente de insetos?

Não é recomendado usar um produto único que combinam repelente de insetos contendo DEET e protetor solar, pois o protetor solar deve ser reaplicado com mais frequência que o repelente.

Produtos abaixo NÃO tem eficácia comprovada  

  • Pulseiras embebidas em produtos químicos repelentes
  • Alho ou vitamina B1 tomado por via oral
  • Dispositivos de ultra-som que emitem ondas de som projetadas para manter os insetos longe

Dicas para usar repelentes com segurança

O que DEVO fazer:

  • Leia o rótulo e siga todas as instruções e precauções.
  • Aplique apenas repelentes de insetos do lado de fora da roupa do seu filho e sobre a pele exposta. Produtos contendo permetrina não devem ser usados ​​sobre a pele.
  • Use somente repelentes de pulverização em áreas abertas para evitar a inalação direta.
  • Use apenas o suficiente para cobrir a pele exposta. Utilizar mais vezes que o recomendado não torna o repelente mais eficaz.
  • Ajude aplicar repelente de insetos em crianças pequenas. Supervisione as crianças mais velhas ao usar esses produtos.
  • Lavar a pele de seus filhos com água e sabão para remover qualquer repelente quando eles retornarem dentro de casa, e lavar as roupas antes de usá-las novamente.
  • Lave as mãos após aplicar o repelente e lave as mãos do seu filho.

O que NÃO devo fazer:

  • Nunca aplique repelente de insetos para crianças menores de 2 meses.
  • Nunca repelente de insetos diretamente no rosto de seu filho. Em vez disso, borrife um pouco em suas mãos em primeiro lugar e, em seguida, esfregue-o no rosto de seu filho. Evite os olhos, a boca e a região genital.
  • Não aplique repelente de insetos em cortes, feridas ou pele irritada.
  • Não utilize produtos que combinam DEET com protetor solar. O DEET pode tornar o fator de proteção solar (FPS) menos eficaz. Estes produtos podem expor demais o seu filho a DEET porque o filtro solar deve ser reaplicado com freqüência.
  • Não durma com repelente no corpo.

Outras maneiras de se proteger de picadas de insetos

  • Evite áreas que atraem insetos voadores, tais como latas de lixo, poças de água parada, e canteiros ou pomares.
  • Use calças compridas, camisa de mangas compridas leves, meias e sapatos fechados quando você sabe que o seu filho vai ser exposto a insetos. Use um chapéu de abas largas para ajudar a manter os insetos longe do rosto. Um mosquiteiro pode ser usado sobre carrinhos de bebê em áreas onde há exposição a insetos.
  • Evite roupas com cores brilhantes ou estampas floridas, pois atraem mais insetos.
  • Não use sabonetes perfumados, perfumes ou sprays de cabelo perfumados, pois atraem insetos.
  • Mantenha as telas de portas e janelas em bom estado de conservação.
  • Verifique ao final do dia se não tem algum carrapato no seu corpo, ou picadas de inseto suspeitas.
  • O repelente mais eficaz para carrapatos é permetrina. Ela não deve ser aplicada na pele, mas na roupa do seu filho.

 O que é permetrina?

A permetrina é um repelente e inseticida. Podem ser usado sobre roupas, sapatos, mosquiteiros e equipamento de camping. São eficazes para matar carrapatos e outros artrópodes.

Bom gente, esse foi um resumão para vocês se protegerem no verão! Criança e grávidas cuidado redobrado!

Mais dicas de proteção vocês encontram nos meus posts:

 Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).

Vote no blog Pediatria Descomplicada como Top Blog 2015 na área de saúde e bem estar!

Se você gosta do conteúdo e gostaria que o blog continuasse publicando informações relevantes, acesse o link e vote! Compartilhe!

sky_blog_1

Um abraço,

Dra. Kelly Oliveira

CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

Referências bibliográficas:

54 Comments

  • Michela 09/12/2015 Reply

    Olá, Kelly! Qual repelente você recomenda para bebês de 4 meses?

    • Oi querida. No Brasil, o único disponível seria o de citronela, natural. O DEET que é permitido fora do Brasil para essa idade, só é autorizado aqui a partir dos 2 anos. Difícil viu, pq falta opção…espero q o Post tenha ajudado! Um bjo Dra Kelly

  • cjldo2013 10/12/2015 Reply

    Republicou isso em maismaismedicina.

  • Ana 10/12/2015 Reply

    Posso usar repelente de tomadas no quarto do bebe de 1 mês?

  • oi Dra Kelly! primeiro, parabéns pelo seu blog, é maravilhoso! Estou sempre por aqui tirando as dúvidas da maternidade rsrs. Meu bebê tem 8 meses. Moro aqui em SP,zn, e aqui tem muuuuuuuitos pernilongos, mas muito mesmo. Uso aqueles repelentes de tomada, mosquiteiro, fecho tudo e mesmo assim, o apê ta sempre cheio e meu bebê vive cheio de picadas. Ia comprar repelente de farmacia, mas li no seu texto q não pode dormir com ele na pele. Pra noite seria melhor usar os naturais? Pensei em comprar citronela, mas estou numa duvida cruel….se puder me ajudar…muito obrigada!

  • Dani 10/12/2015 Reply

    Confirmando: Não posso passar filtro solar e depois um Repelex (kids ou qualquer outro)?

  • Viviane 10/12/2015 Reply

    Comprei o Gold da Lucex com 20% de icaridina, gostaria de saber se é seguro aplicar na minha filha q tem 4 anos.

  • Debora Bicalho 11/12/2015 Reply

    Oi Dra., bom dia! Sou gestante e estou usando o Exposis gel e spray para proteção quanto a Zika, que está muito preocupante. Bem, fico na dúvida se é seguro reaplicar só de 10 em 10h, como consta na embalagem, uma vez que está escrito até 10h. Poderia sugerir um tempo seguro para reaplicação?

    Obrigada.

  • Janete Nakatani 12/12/2015 Reply

    Muito didático e instrutivo

  • Priscilla 12/12/2015 Reply

    Muito interessante a sua publicação, mas fiquei com dúvidas. Comprei o repelente da johnsons ( o verdinho) para minha bebê de 10 meses e o off family para minha filha de 4 anos. Fiz as escolhas certas!??

  • Rosita 12/12/2015 Reply

    Ola.. Já tive chikungunya i aqui onde moro estamos em alerta máximo por cauza da zica. N m preoucupo c a zika pq n to grávida nem convivo c nenhuma mulher q esteja grávida ou tentando engravidar, ainda bem. Uma preocupação a menos, néh? Quero viajar pro Caribe ano q vem e to c medo da possibilidade d pega chikungunya d nvo, visto q o Caribe e área d epidemias eternas, q parecem nunca acabar e fico c medo d pega essa doença d nvo. Os médicos dizem q n existe essa possibilidade. Isso procede?

  • Marcia 13/12/2015 Reply

    Parabéns pela matéria, muito útil e que nos ajudou bastante nesses tempos em que o próprio governo não tem postado muita informação útil sobre o assunto, apenas como evitar dentro das casas??? E muitos pediatras estão desatualizados.
    Sobre o texto só tenho uma dúvida, pois na conclusão você coloca que o Deet pode ser usado em bebes maiores que 2 meses e no quadro acima você descreve que pode ser usado para maiores de dois anos… Pode ou não usar em bebes a partir de dois meses?
    E obrigada por compartilhar esta informação tão útil a todos nós.

  • Luís Vital 14/12/2015 Reply

    Minha esposa está grávida de 2 meses, estamos tomando todos os cuidados possíveis, ela está sempre de roupa longa e passando repelente, estamos usando o repelente OFF, o mesmo tem duração de 2h e manda reaplicar somente 3 vezes, mas é impossível ficar tranquilo aplicando apenas 3 vezes ao dia, o que pode acarretar o uso além do permito???

  • Pingback: Mitos e verdades sobre o Zika vírus | pediatria descomplicada

  • Genilda 19/12/2015 Reply

    Olá!! Minha mãe teve AVC há 12 anos, posso usar o repelente a base de icaridina nela?? Tem contra indicação pra esse caso?? Obrigada!!

  • Rosita 23/12/2015 Reply

    quando peguei chikungunya, tudo começou com uma febre altíssima (39.5°C!) e muita dor de cabeça e nas juntas. Mal conseguia andar direito. Estava andando toda dobrada, curvada como uma mulher velha. Ah, você sabia que “chikungunya” significa “aqueles que se dobram”, em swahili, uma língua falada na Tanzânia e no norte de Moçambique. Agora sei porque tem a doença tem esse nome. Você simplesmente não tem outra escolha, tem que se curvar de tanta dor, é insuportável, parece que os ossos vão quebrar. Estava com muita sede, também. Ir ao consultório da médica foi um sufoco, visto que não conseguia subir a escada de tanta dor. Quando finalmente subi a tal da escada, só conseguia pensar: “Caracas! [uso muito essa gíria quando estou surpresa com algo] O que está acontecendo comigo?” A médica me olhou e começou a perguntar algumas coisas sobre o meu histórico de viagem e talz… Expliquei que tinha voltado de Fortaleza, e tive UM ÚNICO DIA de febre e estava sentindo muita dor nas articulações e na cabeça. “Tienes manchas en la piel?”, a doutora perguntou, num portunhol [ela não é brasileira]. “Não”, eu disse. “Certo. Você vai ter que fazer alguns exames, OK?”, ela disse, num português Pidgin. “Se realmente achas necessário…”, falei. Ela riu. A doutora simpática passou uns exames para dengue, chikungunya, PCR (Proteína C Reativa), Fator Reumatoide e Leucócitos. E lá fui eu, fazer os exames. Não estava andando, e sim, mancando. Um enfermeiro simpático me disse que provavelmente era dengue, visto que estava tendo epidemia de dengue aqui. Negativo para dengue, surpreendentemente. Quando voltei para casa, simplesmente me atirei com tudo na rede de dormir, e comecei a implorar por água. De novo. Alguém me trouxe água de côco. Agradeci, sorrindo. No outro dia, fui ao reumatologista, a mando da médica. Tive um diagnóstico errado de AIJ (Artrite Idiopática Juvenil). Foi um drama para minha família. Mamãe pegou o celular e começou q pesquisar sobre essa doença, chorando muito. Para mim, não era nada. Não que eu estivesse sendo insensível, mas simplesmente não fazia ideia da gravidade desse diagnóstico. Voltei na médica, que me pediu para refazer o exame de dengue. Negativo de novo. Fiz o exame de chikungunya. Positivo! Era isso. Curiosamente, houveram alterações no PCR (Proteína C Reagente) e Fator Reumatoide, gostaria de saber se a chikungunya costuma causar essas alterações. Fiquei faltando um mês de aula, não podia escrever, perdi 7kg NUMA SEMANA, e ainda fiquei 5 meses com dor nas juntas, foi horrível. Não desejo isso para ninguém. Naquele tempo, ainda não se falava em zika virus, chikungunya já era novidade aqui no Brasil. Agora, a gente ja tá um pouco mais familiarizado com a “chiku”, como eu e minha família chamamos a doença, devido à surtos no Oiapoque e Feira de Santana. Mas minha cidade nunca teve epidemia de chiku, apesar de estarmos enfrentando epidemia de zika, no momento, o que espero passar ilesa. tive que fazer fisioterapia e RPG por causa das dores da chiku, mas vira e mexe ainda sinto algumas dores… Agora aprendi a lição de que não devo descuidar do repelente, até para evitar a zika, que tá sendo um drama aqui na minha cidade 🙂 fico feliz em saber que nunca mais pegarei a chiku. Só to passando um perrengue aqui, visto que o famoso repelente Exposis não está disponível em nenhuma farmácia da minha terrinha tampouco acho no restante do Brasil, e estamos muito preocupados com a zika e sua ligação com a síndrome de guilain barre… Enquanto isso, sigo usando o repelente que sempre usei, o OFF!, e espero que meu relato sobre minha experiência com a chiku tenha sido útil para você 😉

    abraços,
    Rosita

  • Pingback: Microcefalia – protocolo de investigação | pediatria descomplicada

  • Laís Sanchez 01/01/2016 Reply

    Olá Dra. Kelley, foi muito bom encontrar seu artigo. Tenho uma dúvida quanto ao Exposis Gel e o Exposis Spray.Compreendi que a concentração é diferente; mas quanto a composição? Observei que há diferença na composição de ambos. Minha filha começou a apresentar alergia nas mão e nos pés, a dermatologista disse que é disidrose e pode estar relacionada à alergia de metais/níquel; anteriormente usava apenas o gel, mas com a falta deste, passei a usar o spray, notei que a pele das mãos e dos pés piorou. Há alguma relação? No spray vem o registro de anti-oxidantes… é possível ter níquel? Muito obrigada pela atenção. Um abraço,
    Laís

  • Pingback: » Aproveite o verão com saúde! - Uromaster Urologia

  • Vanessa 05/02/2016 Reply

    Fico com uma duvida… me parece ser praticamente impossível evitar o Aedes. Primeiro, pq se pode usar o repelente apenas no max 3 vezes; não se pode dormir com ele ( mas eu durmo com usando os repelentes, pq senão sou picada, já tentei fechar janela, usar mata mosquito de tomada, não adianta, não posso deixar a janela fechada durante o dia – os mosquitos tbm atacam durante o dia em minha casa. )

    Se não é possível usar repelente 24h, isso significa que em algum momento, vc pode ser picado pelo Aedes… Estou correta, doutora? Não existe nenhum repelente de uso continuo?

    • A recomendação é que não se respeite mais que 3 vezes. De fato é bem fóbico se proteger 100%. O repelente não é a única forma. Devemos combater o mosqutio, colocar telas nas janelas etc.

  • Francine Casciano 05/02/2016 Reply

    Por que não devemos dormir com repelente?

  • Renata 08/02/2016 Reply

    Dra. Kelly adorei o artigo.Em tempos de chuva percebi a casa cheia de moscas e mosquitos. Li em posts de mães do facebook que a substância DEET NÃO é recomendável nos repelentes para crianças.Aqui a sra. já afirma o contrário. Na verdade o que li em muitos rótulos dos repelentes indicados nas fotos acima é que são proibidos para crianças de 0 a 12 anos. A sra. confirma? Como fazer? Grata!

  • jana 09/02/2016 Reply

    Olá. Posso usar o exposis amamentando?
    Ou o repele?

  • patricia 11/02/2016 Reply

    Olá! Por que não pode dormir com repelente?

  • Daniella Haidar Pacifico 12/02/2016 Reply

    Vejo que os especialistas não recomendam dormir com o repelente no corpo. Por que? É menos tóxico para as crianças o repelente de tomada?

    • O repelente contém componentes tóxicos para o nosso corpo. Por isso a recomendação de não dormir com eles. O de tomads nao estáem contato direto com a pele, por isso pode usar. Um abraço Dra Kelly

  • Vivian Palmegiano 14/02/2016 Reply

    Boa tarde, Dra!!
    Minha filha tem 8 anos, eu posso passar nela repelente com DEET 14%?
    Peso e altura influênciam nessa determinação? Pois ela é bem grande, tem 1,40 e pesa 39,5 kg.

  • Pingback: Estudo publicado no NEJM associa Zika vírus e microcefalia | pediatria descomplicada

  • Miriam 16/02/2016 Reply

    Boa tarde Dra Kelly! Estou com um bebê de apenas 12 dias, quero saber qual o repelente indicado para o meu bebe, se é que tem algum disponível no mercado. Como estou amamentando qual o ideal para mim tambem
    Obrigada !

  • Rosimeire Maria da Silva Ferreira 11/04/2016 Reply

    Boa tarde, Dra. Kelly! Gostaria de saber se a fórmula do Autan é a mesma do Off?

  • Caroline 14/04/2016 Reply

    Dra. Kelly, costumo passar o repelente em minha bebê de 11 meses, no corpo todo, e não apenas nas áreas descobertas, pois já aconteceu várias vezes comigo, de ser picada por cima da roupa. Faz algum mal para o bebê?

  • Pingback: Pediatria Descomplicada | 12 Dicas na escolha do protetor solar para crianças

Deixe uma resposta