urso

Bronquiolite: a importância da prevenção

bronquiolite, pediatria descomplicada, dra kelly oliveira, pediatra sao paulo, tosse na criança

A bronquiolite é uma doença das vias aéreas inferiores que começa com um resfriado comum, mas evolui para tosse, cansaço e desconforto respiratório. É preciso estar atento aos sintomas pois eles podem piorar rapidamente, principalmente em bebês menores de 3 meses, ou com alguma comorbidade, como prematuridade, doença do refluxo gastroesofágico, cardiopatia ou alguma outra doença de base.

No post anterior entendemos pouco o que é a bronquiolite e porque ela é tão prevalente nessa época do ano, mas que pode também ocorrer nos outros meses.

Entendemos quais são os sinais de alerta que devemos estar atentos e quando levar ao pediatra para avaliação.

Hoje vamos entender qual o seu tratamento e o que você pode fazer em casa para melhorar o desconforto respiratório do seu bebê, além de medidas eficazes para prevenir a doença!

Agora, vamos falar um pouco sobre PREVENÇÃO!

Como prevenir a doença?

Amamentação

O incentivo do aleitamento materno é uma medida eficaz na prevenção de infecção pelo vírus sincicial respiratório, principal agente da bronquiolite e diminui em um terço o risco de hospitalização por infecção do trato respiratório inferior (como a penumonia).

Diga não ao cigarro!

Pacientes que convivem com tabagistas têm maior risco de desenvolver bronquiolite.
Por isso mamãe ou papai, se você fuma, saiba que isso pode prejudicar muito o seu bebê, além de todos os outros efeitos danosos que o cigarro têm…Parar de fumar é um esforço que vale a pena, pois têm benefício para todos!

Lavagem das mãos e uso do álcool gel

É uma medida simples e eficaz na prevenção da transmissão da doença. O álcool gel pode ser uma opção alternativa eficaz e rápida. Por isso, mamãe, se você está resfriada e não quer passar para o seu bebê, lave bem as mãos, várias vezes, tenha um álcool gel sempre à mão e quando for amamentar, se ainda amamenta, use uma máscara simples.

Mamãe ou papais resfriados

Isso vale também para titios, vovós e irmãzinhos. Se estiver resfriado, dobro de cuidado com lavagem das mães e uso de máscar simples pode impedir que o seu resfriado passe para o seu bebê. Muitas vezes a doença é passada dessa forma, e o que é somente um resfriado no adulto pode causar a bronquiolite na criança.

Se você está com tosse e seu bebê tem menos de 6 meses, informe-se sobre a vacina triplice bacteriana acelular, a DTPa (Difteria, Tétano e Pertussis) que protege contra coqueluche, outra doença que já expliquei aqui e vale a pena conferir! Esse assunto é outro, por isso não vou me aprofundar aqui, mas é uma das doenças que pode ser confundida com a bronquiolite, e o pediatra deve estar atento.

Outras medidas específicas que podem ser feitas para evitar “pegar” a doença:

Vacina contra influenza

A vacina é uma medida acessível e eficaz na proteção contra vários tipos de vírus responsáveis pela bronquiolite. Está disponível no SUS, em postos de vacinação e em clínicas particulares.

Vacine você e seu filho contra a gripe!  A vacina pôde ser realizada nos bebês partir de 6 meses, e pode ser feita anualmente. Fique de olho nas campanhas! Informe-se dos detalhes com o seu pediatra.

Palivizumab

O Palivizumab é uma imunoglobulina hiperimune contra o vírus sincicial respiratório (VSR), um anticorpo monoclonal contra o VSR.  Seu uso não previne a infecção pelo vírus, mas evita as formas graves na população de alto risco, para quem há indicação da sua utilização.

Além disso há o risco de reações e efeitos adversos, por isso não deve ser usado de rotina.

Seu alto custo limita o uso em larga escala, mas o governo brasileiro disponibiliza esta medicação para as seguintes situações:

  • Menores de um ano nascidos prematuros abaixo de 28 semanas
  • Menores de dois anos de idade portadores de:
    • Cardiopatias congênitas cianóticas
    • Cardiopatias com hipertensão pulmonar grave
    • Cardiopatias com repercussão hemodinâmica (em uso de medicação)
    • Doença pulmonar crônica da prematuridade em uso de terapia medicamentosa nos 6 meses que antecedem a estação de pico (outono e inverno)

Consulte o pediatra para saber se seu filho entra nesses critérios.

Espero que vocês possam saber agora um pouco mais sobre como prevenir essa doença que atrapalha tanto nossos pequenos…

No próximo post falaremos sobre o tão esperado tratamento, continue acompanhando por aqui!

Deixem abaixo comentários, dúvidas e sugestões!

Para seguir o blog e receber as novidades por email, basta clicar no botão “seguir” no site. Siga também no Facebook (ative o receber notificações, para receber aviso dos posts novos) e instagram (@pediatriadescomplicada).
Um abraço,
Dra. Kelly Marques Oliveira
CRM 145039

Consultório particular em São Paulo: (11) 5088-6699

*As informações dadas aqui não substituem a consulta médica. Se houver dúvida o médico deverá ser consultado.

Outros posts que você pode gostar de ler:

Referências Bibliográficas

  • Diagnosis and Management of Bronchiolitis. Subcommittee on Diagnosis and Management of Bronchiolitis. Pediatrics 2006;118;1774
  • High Volume Normal Saline Alone Is as Effective as Nebulized Salbutamol-Normal Saline, Epinephrine-Normal Saline, and 3% Saline in Mild Bronchiolitis. Pediatr Pulmonol. 2010; 45:41–47
  • Steroids and bronchodilators for acute bronchiolitis in the first two years of life: systematic review and meta-analysis

photo credit: http://resources2.news.com.au/images/2011/05/27/1226064/365234-baby-eliza.jpg

6 Comments

Deixe uma resposta