urso

Dicas de verão: 20 dicas e recomendações para o uso de repelentes nas crianças

picada inseto

Papais e mamães trazem sempre uma preocupação quanto a segurança e toxicidades dos repelentes e por isso hoje falaremos um pouco sobre esse assunto, desmistificando muita coisa.

Papai e mamãe, se seu filho é alérgico, saiba que além dele ter alergias e reações que podem ser graves às picadas de inseto, eles podem também ter alergia ao repelente…

Lembre-se que é importante sempre respeitar a concentração permitida para a idade, se a criança já puder usar o repelente, e o intervalo entre as aplicações. O excesso pode causar problemas. As reações mais comuns são: coceira, dermatite de contato (aquela vermelhidão e coçeira somente onde foi aplicado), urticária (presença de várias placas avermelhadas por todo o corpo que coçam muito), angioedema (inchaço de lábios, mãos, pés e olhos – esse sim extremamente perigoso, deve ser levado ao Hospital imediatamente), bolhas e irritação nos olhos. Se o seu filho apresentar algum desses sintomas, consulte o pediatra.

Como já havia falado no outro post, a maioria dos repelentes são seguros para as crianças, com o seu uso no mercado há um bom tempo, e aprovados pela Organização Mundial da Saúde e pela Academia Americana de Pediatria.

Cuidados para o uso de repelentes tópicos: 

  1.  Generosidade x Exagero: não passar nem demais nem de menos. Aplicar uma camada que cubra totalmente a pele, mas não precisa besuntar!
  2.  Homogeneidade: o repelente só protege 4 cm da área aplicada. Se você aplicar somente na bochecha do rosto não garante a proteção das outras áreas como nariz ou queixo.
  3.  Seletividade: repelente irrita a mucosa, por isso evite essas áreas.
  4.  Repetição: aplique e reaplique sempre que necessário, respeitando sempre as orientações do seu pediatra!

20 dicas e recomendações  para o uso de repelentes em crianças

  1. Leia o rótulo do produto antes de aplicá-lo e conserve-o para consulta.  Leia também as recomendações do fabricante do produto sempre antes de aplicá-lo.
  2. Guarde a embalagem para possíveis emergências ou intoxicações. Uma dica: se for muita coisa para carregar (sei como é viagem de férias com a família toda), tire uma foto da embalagem e do rótulo e mantenha com você durante a viagem (pode deixar salvo no celular!)
  3. Teste o repelente antes de usá-lo. Coloque uma pequena quantidade na dobra do braço da criança e espere algumas horas. Se ocorrer alguma reação, cuidado, ele pode ser alérgico ao produto. Procure a orientação do pediatra.
  4. Não use repelentes tópicos em menores de 2 meses de idade. Em crianças entre 6 meses a 2 anos, aplique uma vez ao dia. Em crianças entre 2 a 12 anos, aplique até 3 vezes ao dia.
  5. Consulte o médico se você for viajar para áreas com muitos mosquitos, para avaliar a possibilidade de aplicar mais vezes o repelente.
  6. Aplique o produto conforme as instruções do fabricante, somente nas partes do corpo permitidas. Passe somente o necessário ( o excesso não é absorvido!) e reaplique nos intervalos recomendados pelo fabricante ou o pediatra.
  7. Não aplique próximo a alimentos (principalmente os de spray ou aerossol, por motivos óbvios…).
  8. Mantenha os repelentes fora do alcance de crianças e não permita que elas apliquem o repelente sozinhas. (não é creme hidratante!).
  9. Evite passar o repelente próximo das mucosas, como boca, nariz, olhos e genitais.
  10. Não use sobre a pele irritada ou ferida. Se for muito necessário aplicar, saiba que pode arder e causar reações.
  11. Para aplicar o repelente no rosto da criança, primeiro coloque uma quantidade suficiente na sua mão, e então passe no rosto com cuidado, evitando o contato com mucosas (olhos e boca).
  12. Sempre lave as mãos (as suas e a do seu filho) após aplicar o produto. Lembre-se que eles levam tudo à boca…
  13. Não precisa usar repelente debaixo da roupa, mas você pode espirrar um pouco de repelente sobre a roupa (para as mamães muito neuróticas!)
  14. Evite usar junto com protetores solares, pois um pode reduzir o efeito do outro. Se houver necessidade, como nos dias de sol e idas à mata ou cachoeira, por exemplo, passe primeiro o protetor solar, e depois de 20 minutos, aplique o repelente. Mas saiba que isso já diminui um pouco a eficácia dos dois. Quando for preciso reaplicar, retire tudo, protetor e repelente, e reaplique.
  15. Quando voltar para um ambiente fechado e não for ficar muito exposto a insetos, retire o repelente com água e sabão, e use os protetores de barreira e de ambiente.
  16. Não deixe a criança dormir com o repelente, prefira usar roupas compridas e mosquiteiros.
  17. Se você suspeitar de qualquer reação adversa ou intoxicação, lave a área exposta e entre em contato com serviço de intoxicação (CEATOX 0800-014-8110). Se necessário, procure um Hospital e leve a embalagem do repelente.
  18. Reaplicar o repelente após atividade com água, seja praia ou piscina. Retirar bem o repelente antes de reaplicar.
  19. Saiba que em épocas e regiões de alta temperatura e umidade a duração do efeito do repelente diminui e mais reaplicações são necessárias.
  20. Não use perfumes! Eles atraem mais insetos.

Espero que tenham gostado! Procurei colocar o máximo de dicas para ajudar os papais e mamães  a enfrentarem os insetos! Boas férias de verão! E sem mosquitos 🙂

Se você gostou desse post, escreva nos comentários e compartilhe!

Um abraço,

Dra. Kelly Oliveira,

CRM 145039

Você também pode gostar de:

Dicas de verão: saiba como proteger seu filho contra as picadas de inseto

Dicas de verão: Saiba como proteger seu filho contra as picadas de inseto – parte 2

Referência Bibliográfica:

Insect repellents: recommendations for use in children. GP Stefani et al. 1. Rev Paul Pediatr 2009;27(1):81-9

photo credit: http://3.bp.blogspot.com/-PSkeI1DQk2A/U7A5xc0qbiI/AAAAAAAAYqQ/QskwmAVTGnQ/s1600/boys+with+bug+nets.jpg