urso

Asma e Bronquite na criança: O que você precisa saber

 

jeffersoncountyapps.jeffersoncountywi.gov

 

Chiado no peito, cansaço e aperto no peito, fica resfriado com frequência…se seu filho vira e mexe fica cansado e precisa de inalação com Berotec®, Aerolin®, ou usa prednisolona, também conhecida como Prelone® ou Predsin®, ele pode ter asma! Mas peraí doutora…asma??? Mas asma é tão perigoso…bem, é muito mais perigoso quando não diagnosticado e não tratado…lembrando que um sinônimo para asma é bronquite e eles são a mesma doença!

Hoje vamos falar sobre essa doença tão comum no nosso meio. Vamos entender o que é, como ela funciona, e como saber se meu filho que “chia” vai ser asmático ou não… Vamos adentrar no universo da asma!

A asma é uma doença difícil de diagnosticar, pode atacar sem aviso, e a Ciência ainda não desvendou totalmente os mecanismos inflamatórios relacionados a ela. É a doença crônica mais comum em crianças e felizmente tratável com medicação.

A asma é uma doença pulmonar que provoca inflamação e estreitamento das vias aéreas, tornando-se difícil respirar. Enquanto isso afeta as pessoas de todas as idades, na maioria das vezes começa na infância.

Os pais tendem a preocupar-se ao primeiro sinal de tosse ou chiado, mas, na realidade, um episódio de uma só vez não é indicativo de asma.

Definição

A Asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, na qual muitas células e elementos celulares têm participação. Essa inflamação crônica está associada a uma resposta exagerada das vias aéreas, que leva a episódios repetidos de sibilos, dispnéia (conhecido como “falta de ar”), opressão torácica e tosse, em especial à noite ou no início da manhã. Esses episódios são uma consequência da obstrução ao fluxo aéreo dentro do pulmão que se torna extensa e variável, capaz de se reverter espontaneamente ou com tratamento.

 

Porque a asma é tão importante?

Asma é a doença crônica mais comum da infância, e em mais da metade das pessoas com asma, os sintomas começam durante a infância, frequentemente cedo na vida. A asma é responsável por faltas à escola, inúmeras idas ao pronto socorro e hospitalizações, e isso leva a um grande comprometimento da qualidade de vida dos pequenos. Embora alguns fatores de risco para o desenvolvimento da asma ainda são desconhecidos, tais como alérgenos específicos que causam sensibilização, nenhuma intervenção ainda se tornou eficaz para impedir o desenvolvimento da asma, ou modificou o seu curso natural. Ela afeta 300 milhões de indivíduos no mundo, e estima-se que no Brasil existam 20 milhões de asmáticos, sendo a quarta causa de internação hospitalar. Por isso precisamos entender um pouco essa doença que acomete ou pode acometer nossos pequenos!

Como a doença evolui?

Os fatores que levam a asma ainda são pouco compreendidos, e ainda não foi possível identificar claramente que crianças conhecidas como “bebê chiadores” serão asmáticos no futuro.  Bebês e crianças com vários episódios de sibilância durante a infância evoluem de formas diferentes, mesmo sob as mesmas circunstâncias e com os mesmos fatores de risco. O risco do desenvolvimento da asma se relaciona tanto com a predisposição genética do paciente (herança do pai e mãe…) quanto a fatores ambientais (exposição a cigarro, poluição e infecções virais recorrentes), o que chamamos hoje de epigenética.

 

Quais são as características que ajudam a prever se a criança sibilante será asmática ou não?

  • Diagnóstico de dermatite atópica nos três primeiros anos de vida (feito pelo médico);
  • Pai ou mãe com asma; diagnóstico de rinite nos três primeiros anos de vida;
  • Sibilância sem resfriado (virose);
  • Eosinofilia mo sangue > 3% ( após descartar a presença de parasitoses).

Atenção! O tabagismo é um fator isolado que aumenta o risco de asma…por isso se você papai ou mamãe fumam, saiba que está prejudicando não só você, mas também o seu filho…

É Asma ou não? Eis a questão

Os sintomas mais comuns da asma são tosse, chiado, aperto no peito, falta de ar e dificuldade para respirar. A tosse é um mecanismo de proteção projetado para mover o muco através do trato respiratório, como já expliquei em posts anteriores… Em uma criança com ou sem asma, tosse pode ser pior à noite, porque durante o dia a criança se movimenta e isso ajuda na drenagem de muco. No entanto a noite, ficamos deitados e a falta de movimento faz com que o muco se acumule nas vias aéreas, aumentando assim os ataques de tosse.

Tosse causada por um vírus pode durar de duas a seis semanas ou às vezes até mais tempo, mas a tosse crônica – tosse por mais de oito semanas – deve ser investigada.  Apesar da asma poder apresentar apenas tosse, um médico experiente pode ajudar a distinguir entre uma tosse causada por um vírus da gripe (ou outros germes) de uma tosse secundária a asma. É importante saber, entretanto, que em uma criança com asma a tosse geralmente é iniciada por um vírus de resfriado comum e agravada pela asma, levando a dificuldade de diagnóstico.

Muitas vezes, a maneira mais fácil de diferenciar os dois é um teste terapêutico, que consiste em usar o medicamento e avaliar se responde ou não. Se houver uma resposta à medicação, é provável que seu filho tenha asma, mas a boa noticia é que existe medicação para isso! Se não houver resposta ao medicamento, é improvável que seu filho tenha asma, E outros diagnósticos precisam ser buscados (veja tabela dos diagnósticos diferenciais logo abaixo).

Saiba que em crianças com asma geralmente há um quadro misto, em que um vírus é responsável por desencadear os sintomas de asma; em outras palavras, os medicamentos para asma irão ajudar a controlá-la, mas não os sintomas provocados pelo vírus da gripe em si…ou seja, ele pode continuar com febre, tosse e coriza nasal, mas sem chiado no peito nem cansaço!

Embora a asma possa se apresentar-se apenas com tosse, uma criança com asma normalmente têm uma tosse crônica com sibilos. No entanto, o que a maioria das mães chama de chiado nem sempre é considerado pelo médico. O diagnóstico final deve ser feito pelo médico.

Quais são então as manifestações clínicas sugestivas de asma?

  • Episódios frequentes de sibilância, o famoso “chiado no peito” , por mais de uma vez por mês
  • Tosse ou sibilos que ocorrem à noite ou cedo pela manhã, provocados por riso ou choro intensos ou exercício físico
  • Tosse sem relação evidente com viroses respiratórias
  • Presença de atopia, especialmente rinite alérgica ou dermatite atópica
  • História familiar de asma e atopia
  • Boa resposta clínica a β2-agonistas inalatórios (Berotec® ou Salbutamol ou Aerolin®), associados ou não a corticóides orais ou inalatórios

Diagnóstico diferencial

A asma precisa ser diferenciada de outras doenças, pois muitas vezes os sintomas iniciais são muito semelhantes, e não existem outros critérios objetivos possíveis de serem feitos nos pequenos, como a espirometria nos adultos. No quadro abaixo, seguem alguns outros diagnósticos que devem ser pensados.

Crianças menores de cinco de idade
  • Rinossinusite
  • Fibrose cística, bronquiectasias, bronquiolite obliterante pós-infecciosa e discinesia ciliar
  • Síndromes aspirativas (refluxo gastroesofágico, distúrbios de deglutição, fístula traqueoesofágica e aspiração de corpo estranho)
  • Laringotraqueobroncomalácia, doenças congênitas da laringe (estenose e hemangioma) e anel vascular
  • Tuberculose
  • Cardiopatias
  • Imunodeficiências

 

Crianças acima de cinco anos e adultos
  • Rinossinusite
  • Síndrome de hiperventilação alveolar e síndrome do pânico
  • Obstrução de vias aéreas superiores (neoplasias e aspiração de corpo estranho)
  • Disfunção das cordas vocais
  • DPOC e outras doenças obstrutivas das vias aéreas inferiores (bronquiolites, bronquiectasias e fibrose cística)
  • Doenças difusas do parênquima pulmonar
  • Insuficiência cardíaca diastólica e sistólica
  • Doenças da circulação pulmonar (hipertensão e embolia)

O chamado “remodelamento”

A sibilância ocorre quando os músculos da via aérea tenso ou reprimir devido à inflamação. O resultado é a diminuição do diâmetro das vias aéreas, tornando-o mais difícil de movimentar o ar. Assim como você fazer um som sibilante quando você franzir os lábios e respirar, as vias aéreas também fazer um som chiado quando o diâmetro fica estreito.

Assim como uma tosse crônica por si só não significa que seu filho tem asma, um único episódio de sibilância não significa que a criança é asmática, uma vez que essas duas coisas podem acontecer em resposta a um forte resfriado.

Um vírus da gripe pode provocar inflamação o suficiente nos pulmões para causar um episódio de chiado uma única vez, é o que chamamos de bronquiolite ( veja o post publicado anteriormente no blog!). Sendo assim, as crianças com asma não vão “chiar” cronicamente, mas seus pulmões vão mostrar as mudanças que poderiam ser vistas sob um microscópio. Isso é chamado de “remodelamento”. Remodelamento das vias aéreas é uma resposta a inflamação das vias aéreas a longo prazo que pode conduzir a alterações estruturais permanentes.

 

Como diferenciar o bebê chiador da criança asmática então?

A asma é uma doença que é diagnosticada pela história. Em outras palavras, não se pode fazer um diagnóstico de asma a primeira vez que uma criança sibila. A cada episódio de sibilância, apesar de ser único, o sinal de o seu bebê pode ser asmático não deve ser deixado de lado.

Se houver suspeita de asma, o seu filho pode ser encaminhado para um especialista para uma série de testes de função pulmonar – estes normalmente são necessários nos casos mais graves, enquanto os casos mais leves podem ser tratados por um pediatra experiente. O teste vai não só confirmar o diagnóstico, mas também vai ajudar a definir a gravidade da doença.

Estes testes são projetados para medir o volume do pulmão e função muscular respiratória, mas devem ser realizados corretamente. Não é muito fácil medir a função pulmonar em crianças pequenas, e muitos vezes testes específicos só conseguem ser feitos com a crianças mais velhas, geralmente depois dos 6 anos… por isso  os pediatras dependem fortemente de história. Quanto mais episódios de sibilância e falta de ar a criança apresenta ao longo da vida, mais provável é que a criança seja asmática.

Outra forma de diagnosticar a asma é iniciar as crianças em medicamentos para asma e ver se eles respondem. Se eles respondem positivamente, ou seja, eles experimentam um alívio dos sintomas, eles provavelmente têm asma. Se o medicamento não ajudar, o chiado e a tosse são provavelmente secundários a um vírus de resfriado comum!

Assim o diagnóstico da asma deve ser feito baseado sobretudo na história do paciente, na sua evolução e no exame físico, somado a testes diagnósticos, desde que possíveis de serem feitos.

 

Espero que tenha ajudado a entender um pouco essa doença tão comum que é a asma! No próximo post falaremos um pouco sobre os desencadeantes da asma e um pouco sobre o seu tratamento. Não perca.

Coloquem aqui suas experiências, dúvidas e sugestões.

Um abraço,

Dra. Kelly

CRM 145039

 

Veja outras dicas  em:

 

Referências Bibliográficas

  • Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma – 2012
  • Pocket Guide for Asthma Management and Prevention (Fir Children 5 years and younger) – 2014, Global Initiative for Asthma
  • Global Strategy for Asthma Management and Prevention – 2014, Global Initiative for Asthma

Photo Credit: jeffersoncountyapps.jeffersoncountywi.gov

44 Comments

  • Naria Eliene 15/11/2014 Reply

    Tenho uma filha de cinco anos é ela e asmática desde os três anos , e muito sofrimento ver uma criança com crise , e eu também sou asmática desde criança

  • Pingback: Asma e bronquite na criança: prevenção e tratamento |

  • alice 15/11/2014 Reply

    minha filha é asmatica desde os tres meses de idade desde entao ela sofre com as crises, ela faz tratamento com clenil, aerolin e piemonte e me desfiz de varias coisas e dos caozinhos para que ela tenha uma saude melhor mais ainda assim ela todas as noites tossi muito que chega a vomitar,o pai dela guando crianca sofria com a asma.

    • Olá querida mamãe Alice, obrigada pelo seu comentário. Quanto mais novinha a criança geralmente o controle da asma é mais difícil. É importante que o seu filho faça o seguimento com um bom pediatra e também um especialista. Continue acompanhando os posts aqui no blog. Grande abraço. Dra Kelly

  • Natália 16/11/2014 Reply

    Olá! Minha filha de 8 meses foi diagnosticada com asma. Estamos fazendo medicina preventiva com Sungulair baby e Flixotide, para evitarmos as crises. Por enquanto está controlada, faz 3 dias que comecei o tratamento. Tomara que funcione!!

    • Olá querida mamãe Natalia, obrigada pelo comentário! Espero que a sua bebê fique bem,lembre-se que é importante acompanhar de perto com o médico.Continue acompanhando as novidades aqui, e se puder divulgue. Um abraço, Dra. Kelly

    • alessandra 26/05/2016 Reply

      ola Natalia…tudo bem?
      estava em busca de informações sobre bb chiador e localizei esta pagina.
      vi seu comentario e me identifiquei.
      Tenho uma bb de meses..ela foi dignosticada como bb chiador tem uns 3 meses. e faz uns 20 dias que começamos o tratamento sendo da forma que vc fez
      singulair baby e flixotide (2 x ao dia manha/noite)..desde que começei percebi muita diferença pois ela tinha chiado no peito toda semana e desde então não teve mais,..to muito feliz
      Porem por outro lado a minha duvida e a seguinte sera que ela ficara dependente de bombinha.

      Como esta a sua bb agora apos um tempo…poderia me informar

  • Pingback: Asma e bronquite: perguntas e respostas |

  • keilaeufrazio 17/11/2014 Reply

    Bom dia. Minha filha está com 2 meses e possui um chiado no peito, porém não está gripada e nem tem tosse. As pessoas me dizem que isso seria resto de parto. Isso existe? Isso some com o tempo? Posso me preocupar? Agradeço a resposta.

    • Olá querida mamãe Keila,
      Obrigada pelo envio da sua dúvida. O chiado no peito pode ser supeitado pelos pais, entretanto o diagnóstico só pode ser feito por médico, através do exame físico. É importante levá-la no pediatra para que ele saiba fazer o diagnóstico correto. Continue acompanhando as novidades aqui no blog! Um grande abraço, Dra Kelly

  • Pingback: Tosse dos 100 dias: entenda o que é a coqueluche |

  • Pingback: Rinite alérgica : porque ela pode prejudicar o desenvolvimento do seu filho |

  • Pingback: Refluxo x asma: qual a relação entre eles? |

  • Graciano Aragão 02/12/2014 Reply

    Meu filho tem 3 meses ele tosse tosse e fica sem ar já levei pra o pediatra e nada lendo agora sobre asma acho que ele tá com asma.
    Qual o exame que eu possa fazer para saber se é mesmo asma?

    • Olá Graciano,
      Obrigada pelo envio da sua dúvida. O diagnóstico de asma é clínico e deve ser feito pelo pediatra. Com essa idade ainda é muito pequeno para afirmar se tem asma ou não, mas algumas suspeitas devem ser feitas. Sugiro que procure um pediatra de confiança para avaliar o seu filho. Continue acompanhando as novidades aqui no blog!
      Um abraço,
      Dra. Kelly

  • Pingback: Dicas e recomendações para que tem APLV | pediatria descomplicada

  • Pingback: Alergia alimentar: Livro de receitas para alérgicos e recomendações importantes | pediatria descomplicada

  • Pingback: Dermatite atópica: o que você precisa saber | pediatria descomplicada

  • Pingback: Dermatite atópica: medidas simples e eficazes para aliviar os sintomas dos pequenos | pediatria descomplicada

  • Pingback: Introdução alimentar na criança: como começar uma alimentação saudável | pediatria descomplicada

  • Pingback: Mamãe, seu filho está com bronquiolite? Saiba o que é e o que fazer | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: entenda a doença do outono | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: a importância da prevenção | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: Como tratar? | pediatria descomplicada

  • Pingback: Dicas de inverno: dúvidas comuns para o frio -parte 1 | pediatria descomplicada

  • Pingback: Quando iniciar a introdução alimentar – recomendações | pediatria descomplicada

  • Fernanda Jordao 21/10/2015 Reply

    Ola tenho um prematurinho em casa que hoje está com 3 meses de vida e já faz alguns dias que ele tem tosse, ou melhor crises de tosse, no começo achávamos que seria um resfriado mas ele não tem febre e nem coriza, quando ele tosse muito perde o fôlego algumas vezes chega a vomitar e quando isso acontece sempre vem uma baba grossa. Levei ele na urgência mas o medico super arrogante não me deu nenhuma resposta, apenas escutou o pulmão dele e passou xarope. Já me disseram que pode ser resto de parto. O que posso fazer pra melhorar esse quadro dele?

  • luane vinhote 30/11/2015 Reply

    Dra por favor me diga como devo uzar o aerolim numa crise asmatica numa crianca de cinco anos.como devo preparar p nebulização e quanto tempo deve durar p fazer uma segunda ou ate mais nebulizações ???

  • laudiceia 02/02/2016 Reply

    Gostaria de saber então no caso do meu filho q vai fazer 2 anos ele quando tem um resfriado com toxe começa cansar dai eu inalo ele com bromifen e solução fisiológica o cansaço deminui más o chiado no peito continua diminui um pouco.Nesse caso então pode ser asma ou não?

  • Pingback: Gripe H1N1: entenda a doença e sinais de gravidade – parte 1 | pediatria descomplicada

  • Jaqueline 06/04/2016 Reply

    Olá! Minha filha tem 2 anos e sofre com constantes episódios de tosse e chiado, a uns 4 meses atráz levei a um alergista e ela disse q ela era um bebê chiador e entrou com clenil uma vez ao dia e disse q sempre que estivesse as crises era pra entrar com 5 dias de prednisolona e 7 dias de aerolin de 4/4 horas… trabalho na área da saúde e sei o qnto corticóides fazem mal, estou pensando em tratá-la com pediatra homeopata, a senhora acha que pode ser um bom caminho?

  • Fabio 21/04/2016 Reply

    Bom,meu filho tem 3 anos e meio e quando está com gripe é muito difícil ele fica muito cansando tosse muito e vomita será que é começo de bronquite?

  • Fabio 21/04/2016 Reply

    Como diferenciar uma gripe de bronquite?

  • Priscila 29/04/2016 Reply

    Oi eu sou Priscila sou mãe da Emanuelle , ela vive com crise dou pra ela Aerolin , clenil 50,cetotifeno,ambroxou,predsim,inalação cm berotec e atrovent . dou tudo isso pra ela sempre nos horários certos mas nem spre após tomar os remédios passa a falta de ar oq devo fazer ???

  • Cleideane 30/04/2016 Reply

    Tenho um bb de um ano e seis meses. Desde 1 mês de vida ele chiava e resfriava muito. Mas somente aos seis meses, após ele ficar internado por uma crise respiratória , foi diagnosticado como um possível asmático. Ele já internou 3 vezes. A última vez foi em fevereiro, no carnaval. Levei-o em um pneumologista para uma melhor investigação. No entanto, não saí de lá satisfeita com o atendimento. Afinal, a maioria dos profissionais de saúde hoje em dia demonstram despreparados para atuar. A peneologista passou um medicamento tipo o clenil, porém, uma marca melhor ( que teria de ser comprada pois nos postos de saúde não é distribuído) , não gravei o nome porque nem fiz questão de usar. Resolvi por conta própria estudar sobre a enfermidade e as alternativas de tratamento naturais ( método q tenho mais confiança ) e decidi fazer o tratamento caseiro com o xarope de abacaxi e várias outras formas de terapia. Graças a Deus, meu pequeno ficou 2 meses direto sem ter nenhum tipo de problema. E antes, era crises respiratórias 2 vezes ao mês. No entanto, essa semana minha sobrinha gripou , tendo muita tosse. Como os dois brincam muito juntos, um dia depois ele pegou o mesmo resfriado dela. E como consequências , desencadeou as crises de asma. Quando ocorre às crises dele, eu faço o uso do sabutamol de uma em uma hora até que a respiração fique um pouco controlada, e depois de quatro em quatro horas. E nos intervalos, utilizo os medicamentos homeopátas para tosse e gripe. Pelo poder de Deus parece surtir efeitos. É muito ruim ver nossos pequenos assim. Tenho certeza que se levasse ele ao médico hoje, ele iria ser internado. Pois sua respiração estava muito cansada igual das outras vezes. Não ia ser nada bom ficar num hospital nesse frio. Sem contar q deve estar lotado devido a mudança do tempo. Por isso resolvi confiar na misericórdia e poder de Deus! Pedi a Ele uma direção , e até então , acho ter sido a melhor alternativa. Pesquiso muito sobre essa enfermidade . E quero ainda achar um médico de confiança para acompanhar meu filho, pois até o momento não encontrei e me sinto sem esperança com os médicos que tenho encontrado no momento .

  • Fabiana Correa 21/06/2016 Reply

    Como aumentar a imunidade da criança para evitar as crises ??

  • Pingback: Não pega esse vento gelado menino! – o tempo frio causa gripe? | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquite, dermatite e tempo seco, o que fazer? | pediatria descomplicada

  • Luana 01/12/2016 Reply

    Doutora Boa noite!! Meu filho tem 10 anos e basta um resfriado ou mudança de clima ele começa a. Escorrer o nariz e uma tosse que aparentemente bem com secreção ai eu começo a fazer nebolizaçao com soro e prometo de ipratropio e o bromidrato de fenoterol fico alternando uma. Hora faço So com o soro outra com os remédios mas confesso que fico muito nervosa em ver meu filho respirando apertado e quanto a tosse sou antialérgico não sei não o que fazer isso não ocorre direto mas quando fica resfriado toda vez vem com o chiado e a respiração apertada e ele reclamou que algo beliscou assim no pescoço onde fica entrando e saindo com a respiração notei que fica mais fundo.o que devo fazer meu filhomeutudo não aguento mais ver ele assim.

Deixe uma resposta