urso

Tosse: medidas simples e eficazes para acabar com esse mal

tosse na criança, dra kelly oliveira, pediatra em sao paulo, pediatria descomplicada

 Olá queridos papais e mamães!

O post de hoje é de minha autoria e foi publicado originalmente no dia 8 de outubro de 2014 no site Macetes de mãe, sobre medidas para alívio da tosse, onde escrevi um pouco a respeito da tosse…esse sintoma chato que incomoda muito as crianças…e os pais também.

Espero que ajude! Contem suas experiências, mandem suas dúvidas e comentários!

 

Tosse – medidas simples e eficazes para acabar com esse mal

Por Kelly Oliveira

Tosse é um sintoma comum na prática pediátrica e um dos grandes problemas que os papais e mamães de crianças pequenas enfrentam.

Quantas noites mal dormidas ou passadas em claro você, papai ou mamãe, passou porque seu pequeno filhote não parava de tossir? Quantos dias perdidos de escola e de trabalho por causa dessa tosse que não passa?

A angústia é tanta que medicamentos nas farmácias para combater a famigerada é o que não faltam. Inúmeros xaropes para tosse, creme para passar no corpo ou inalar, adesivos, chás e ervas medicinais… E, a maioria, se consegue sem prescrição médica. Mas como saber qual o melhor remédio? Será que vale mesmo a pena usar tanta medicação? Qual medicação é de fato eficaz para o alívio da tosse?

Bem, eu, como pediatra, tenho algumas ressalvas a fazer antes de dar as dicas de como aliviar a tosse. Por favor, leia-as antes de pular para a próxima parte.

# Ressalva número 1: Nenhum xarope é eficaz para “curar” a tosse. Isso mesmo! Não adianta pedir  ao seu pediatra algo que fará cessar a tosse, pois isso não acontece por completo!  A tosse é um mecanismo de defesa do organismo para expelir aquilo que está causando problemas no organismo, geralmente secundário ao acúmulo de secreção nas vias aéreas superiores e nos brônquios.  Existem medicações capazes de “sedar” a tosse, porém, não devem ser prescritas de forma nenhuma para crianças. Estas têm efeitos colaterais adversos que podem levar a sérias complicações nas crianças que não cabe explicar aqui.  Assim, por mais que existam tantos xaropes no mercado, saiba você, mamãe consciente e informada, que eles têm um apelo muito forte da indústria farmacêutica,  mas pouco resolvem de fato.

# Ressalva número 2: A tosse da qual falo aqui é aquela tosse secundária a um resfriado comum ou gripe e NÃO uma tosse acompanhada de uma febre prolongada, por mais de 72h, associada a queda do estado geral da criança (essa, sempre, deve ser avaliada pelo pediatra). A tosse acompanhada de desconforto respiratório também precisa de avaliação médica, assim como uma tosse prolongada, com duração maior que 15 dias associada a febre e emagrecimento.  Ou seja, nesse post, vamos falar de uma tosse mais “simples”, secundária a um resfriado comum ou gripe.

Dito isto, vamos às dicas!

Quanto mais água, melhor

A tosse leva a um mecanismo de irritação das vias aéreas superiores, que provoca o ressecamento das mucosas. Este, por sua vez, piora a tosse. Sem falar que, na presença de febre, há um aumento ainda maior da perda de água no organismo. Por isso, mamães, quanto mais água melhor! É fundamental o aumento da oferta de água e líquidos no geral para a criança. É bebezinho muito pequeno? Se mama no peito, a mamãe deve aumentar (e muito) o seu próprio consumo de água e oferecer mais vezes o peito. Se toma leite de fórmula ou já aceita comida, oferecer mais água e líquidos no geral! Uma boa hidratação alivia os sintomas e mantém as mucosas úmidas.

A boa e velha inalação

Por que será que todos os pediatras passam inalação e não prescrevem o xarope que você, mamãe, tanto quer comprar?

Porque inalação funciona! Sim, eu sei, dá trabalho e tem criança que não fica quieta de jeito nenhum, chora, esperneia e, assim demora para fazer, mas eu garanto, alivia! O mesmo princípio da hidratação vale aqui. A inalação vai promover a umidificação das mucosas e também dos brônquios! Ela ajuda a soltar o catarro que está preso, espesso. No princípio, pode até piorar a tosse, pois vai soltar secreção, mas com a criança conseguindo soltar o catarro, depois vem o alívio (delas e nosso!). Ah! E claro, nem precisa dizer que quanto mais vezes, melhor! Se seu bebe mama no peito, que tal fazer enquanto amamenta? É um período que você vai ter que estar com ele próximo a você por pelo menos 20 minutinhos e não “perde” mais um período do dia (sabemos o quanto isso é precioso para uma mãe!). E mais um detalhe importante: Não esquecer que a inalação deve ser somente com soro fisiológico, claro! Outras medicações, somente com indicação e prescrição médica.

Cuide do nariz também

Qualquer resfriado por menor que seja dá aquela obstrução nasal.  Bebê com nariz entupido não mama direito, não dorme direito e chora o tempo todo! Crianças maiores também dormem mal e, ao deitarmos, o acúmulo de secreção nasal leva também ao mecanismo da tosse. O princípio aqui é mecânico: quanto mais lavarmos o nariz, melhor! Em bebês pode ser com conta gotas ou uma seringa pequena, nos maiores existem dispositivos spray, seringas, etc… O que importa é lavar! No final do dia, a conta deve ser em torno de 10 vezes. Parece muito, mas é exatamente isso que vai determinar a melhora da tosse.

Santo mel

Sim, sou contra xaropes. Não, não contra todos os xaropes! Vou explicar o porquê.

Foi publicado na revista científica Pediatrics em 2012 um estudo sobre efeito do mel na tosse noturna e na qualidade do sono em crianças de 1 a 5 anos. Os resultados provaram que o mel, sim o mel, por si só, é um remédio eficaz para o alívio da tosse. Nesse estudo ele provou melhorar os sintomas de frequência e intensidade da tosse e também a qualidade do sono.  Tudo isso porque o mel tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias naturais que aliviam de fato o sintoma da tosse e o incômodo que ela causa. Outros estudos também corroboraram o uso do mel para tosse e a Organização Mundial da Saúde recomenda a sua utilização. Mas atenção! O mel deve ser usado somente em crianças acima de 1 ano pelo risco de alergias.

Receitinha de vó 

Eba! A máxima da vovó ainda vale: faça um xarope com mel que melhora! Mel puro, com guaco, com hortelã, não importa! O que importa é fazer!

Lembrem-se mamães que todas essas dicas feitas juntas são medidas básicas e muito úteis que ajudarão muito na saúde dos pequenos (e dos pais também!)

Bom, por hoje é só. Espero ter ajudado a aliviar algumas noites de sono.

Um grande abraço,

Dra. Kelly

Outros posts que você pode gostar:

2014 © – pediatria descomplicada por Kelly Oliveira / todos os direitos reservados.

32 Comments

  • Pingback: O que fazer quando seu filho está resfriado |

  • Pingback: Mamãe, seu filho está com bronquiolite? Saiba o que é e o que fazer |

  • Pingback: Asma e Bronquite na criança: O que você precisa saber |

  • Aline 14/11/2014 Reply

    Dra Kelly,
    Esse xaropinho de mel, tenho que ferver um pouco de mel com a erva ou é só colocar tudo junto e misturar?
    Obgd pelas dicas
    Bjss

    • Olá querida mamãe, obrigada pelo envio da dúvida. O estudo feito com mel para avliar sua eficácia foi feito com mel in natura, ou seja , o mel puro sem ferver com ervas. É sabido entretanto que existem outras susbstâncias naturais que també auxiliam no alivio da tosse ou dor de garganta, como o gengibre, a casca da romã. Por isso pode ser feito o xarope de mel acrescido dessas substancias. Não é necessário ferver, mas o aquecimento serve para homogeneizar a mistura.
      Um abraço,
      Dra Kelly

  • lisnanda grilo 15/11/2014 Reply

    hj li esta pagina pela primeira vez. meu filho ja teve bronquiolite, pneumonia atipica e passou por um periodo de muita tosse. agora apresenta uma tosse seca mais p branda do q p forte, na maioriadas vezes e mais presente a noite e pela manha. pelo pediatra deve ser aletgico a mudanca de tempo. mas pq toma os medicamentos e a tosse n cessa, so e controlada? o q devo fazer p q meu filho fique bom definitivamente

    • Olá querida mamãe. Obrigada pelo envio da sua dúvida. A idéia do blog é ser o mais esclarecedor possível e ter informações confiáveis para os pais. O seu filho passou por duas infecções qie deixaram o pulmão “inflamado”, e após uma infecção a tosse é o último sintoma a ir embora, pode demorar até 2 meses. Se essa tosse é secundária somente a infecção que ele teve ou uma crise de chiado, ou mesmo outra infecção, o pediatra precisa fazer uma investigação detalhada. Como médica nao posso dar condutas pela Internet, somente orientações. Continue acompanhando o blog para mais dicas e informações!
      Um abraço,
      Dra. Kelly

  • Pingback: Asma e bronquite na criança: prevenção e tratamento |

  • Pingback: Asma e bronquite: perguntas e respostas |

  • Pingback: Tosse dos 100 dias: entenda o que é a coqueluche |

  • Pingback: Bronquiolite: entenda a doença do outono | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: a importância da prevenção | pediatria descomplicada

  • Pingback: Bronquiolite: Como tratar? | pediatria descomplicada

  • Layannerego 07/04/2015 Reply

    Ola meu filho de 4 anos ta vom brinquite ele teve pneumonia mes passado e agora ta com bronquite o que fazer para aliviar a tosse seca dele faco inalacao 3 vezes por dia como a pediatra mandou mas nao passa a tosse ela passou um xarope chamado dexametasona ele ajuda mesmo ou tem outro mas eficaz meu com limao posso dar pra ele.?

    • Oi querida Layanne, vc deve acompanhar com o pediatra da sua filha para saber o que esta acontecendo. A tosse é o último sintoma a melhorar e pode demorar até 2 meses. O que não pode ter falta de ar e dificuldade para respirar. Atendo em consultório particular em São Paulo, caso queira uma avaliação. Continue acompanhando as novidades por aqui! Para seguir o site clique no botão seguir na página do blog. A página do Facebook é http://www.facebook.com/pediatriadescomplicada e o instagram é @pediatriadescomplicada. Um bjo Dra Kelly Marques Oliveira

  • Pingback: Dicas de inverno: dúvidas comuns para o frio -parte 1 | pediatria descomplicada

  • Mariana 07/08/2015 Reply

    Dr Kelly muito obrigada por tantos esclarecimentos, minha filha tem 2 anos e 5 meses, diagnosticada com bronquite, ela tosse muito, mas muito, não sei se tem relação, mas a tosse piorou depois que começou o flixotide, sigo na luta… Tentando e tentando..

  • Pingback: Vacinação: tudo que você precisa saber – parte 1 | pediatria descomplicada

  • neidirene 19/10/2015 Reply

    gostei da pagina e tenho uma duvida azitromicina e um antibiotico eficaz pra um quadro de bronquiolite? A medica receitou e fiquei com essa duvida.Obrigada por sua atenção.

  • Érica Nunes 23/11/2015 Reply

    olá doutora tenho um bebezinho de 6 meses que esta com uma tosse chata há uns 3 meses, não passa por nada, o peito dele chia demais de noite, mas quando eu o levo ao pediatra e são feitos exames de raio x não constam catarro nos pulmões, só que ele gofa catarro puro, o que pode ser isso

  • Cilene 17/12/2015 Reply

    Boa noite Dra. Kelly, depois de uma semana complicada com o meu filho que tem 9 anos e até aos 5 anos nunca me deu trabalho com asma, gripe ou tosse, mas depois que operou em 2011 as amígdalas e adenoide, logo depois disso começou a ter tosses, gripes e descobri que tinha asma, nunca sofreu uma crise, apenas um pulmão chiando e peito cheio. Mas conheci o Dr. Roberto Rincon pneumologista, onde o mesmo após fazer alguns exames, ficou constatado que o Rafael meu filho sofria de asma,começou a fazer tratamento e até hoje faço tratamento nele com o Dr. Rincon, começou a fazer uso e faz até hoje do singulair, as vezes do busonide e seretide, mas já tem um tempo que não usa o seretide e busonid, Meu marido pegou uma tosse insuportável esses dias e acabou passando pra mim e meu filho, hoje estou aqui no Guarujá, trouxe a maquina de inalação e vários remédios, ele já tomou o predsin, desalex e essa tosse continua, ontem começou a fazer barulho o peito quando ele respira, mas chiando ainda não, comecei a fazer inalação com aerolin gotas de 8/8 hs sendo 5ml soro + 12 gotas de aerolin, ele começou a tossir bastante e depois dá uma calmada, mas por conta desse catarro preso, vou comprar o fluimicil pediatrico e vou dar a ele, sempre tento seguir receitas de médicos que passaram para o meu filho, mas confesso que tenho medo as vezes de medicar sem levar ao médico, meu marido acha que eu levo muito meu filho em hospitais, sendo que no fundo é verdade, ele tem alguma coisa hoje, amanhã estou eu em hospital. Acho que eu posso dar o fluimicil 20mg 3 vezes ao dia 6,5ml para ver se solta esse catarro do peito, que já estou usando a terceira inalação com aerolin e acalmou bem a tosse, mas quando tosse é tipo 3 a 4 vezes direto e depois acalma.
    desculpa pelo o livro que eu escrevi kkkkk Mas ser mãe é complicado ver o filho doente e a noite sem saber o que fazer, fico sem dormir dias até ele melhorar, amei seu blog, queria muito que você pudesse atender planos de saúde, quem sabe um dia a gente se conhece.
    Parabéns pelo o trabalho e muito sucesso na vida!! Cilene Hiroce.

  • Pingback: Gripe H1N1: entenda a doença e sinais de gravidade – parte 1 | pediatria descomplicada

  • Adriana 19/06/2016 Reply

    Olá Dra Kelly, meu filho tem 1 ano e 6 meses, esteve internado pela 1ª vez por BCP+BE, tomou ATB + inalação + hidrocortisona por 4 dias. Recebeu alta e tomou mais 2 doses de Ceftriaxona IM (alta 07/06/16). Desde quarta (15/06) está com sintomas de tosse produtiva + diminuição apetite (principalmente comida) e um pouco de cansaço, foi ao médico na sexta e iniciou inalação com Berotec+ Atrovent + SF e Brondilat por 7 dias ( pediatra está achando que é bronquite), porém hj iniciou febre baixa 38ºC. Será que preciso voltar ao pediatra, ou posso esperar 72h? Vou tentar o mel como mais uma medida. …
    Obs.: Ele está na escolinha no período da manhã. (mais exposição ao frio!)

  • Michela 20/06/2016 Reply

    Olá, dra Kelly! Você recomenda o nebulizador ultrasonico?

  • Lívia 20/06/2016 Reply

    Boa tarde doutora.a ajuda com fitoterápicos ajudam as crianças??? Obrigada

  • Michela 20/06/2016 Reply

    Olá Dra Kelly! Qual nebulizador você indica? O normal ou o ultrasônico ?

  • kezia 05/07/2016 Reply

    Boa tarde Drª Kelly, gostaria de saber a quantidade de soro fisiologico para fazer inalação no nebulizador

  • Pingback: Bronquite, dermatite e tempo seco, o que fazer? | pediatria descomplicada

  • Lidiana 14/08/2016 Reply

    Gostei muito das colocações de Drama. Kelly. Muitas vezes atitudes simples têm resultados positivos e isso deve ser valorizado, principalmente no que se refere à saúde de nossas crianças.

Deixe uma resposta